Incidente de Petrich

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Guerra do Cachorro Fugido
Data 19 de outubro de 1925 – 29 de outubro de 1925
Local Petrich, sul da Bulgária
Desfecho Após a decisão da Liga das Nações, forças gregas se retiram da Bulgária e a Grécia paga uma indenização à Bulgária.[1]
Combatentes
Flag of Bulgaria.svg Reino da Bulgária Flag of Greece (1822-1978).svg Segunda República Helênica
Principais líderes
Bóris III da Bulgária Pavlos Kountouriotis

O incidente em Petrich ou a Guerra do Cachorro Fugido,[2] foi uma crise greco-búlgara em 1925[3] , em que houve uma pequena invasão da Bulgária pela Grécia na cidade de Petrich, próximo da fronteira, após a morte de um capitão grego e um sentinela por soldados búlgaros.[4] [5] [6] O incidente terminou depois de uma deliberação da Liga das Nações.

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

As relações entre a Grécia e a Bulgária haviam sido tensas desde o início do século XX. Houve problemas minoritários entre os dois países, também problemas sobre a questão macedônia e a atividade dos Komitadjis. Todos esses problemas causaram muitas disputas e muitos conflitos de fronteira entre a Grécia e a Bulgária[7] . O clima estava tenso e escalada poderia ocorrer a qualquer momento.

Incidente[editar | editar código-fonte]

Belles está localizado em: Grécia
Belles
Localização de Belles. Em Belles estava o posto grego que os búlgaros atacaram matando um capitão e um sentinela.

Teria começado em 19 de outubro, quando um soldado grego correu atrás de seu cachorro que havia cruzado o outro lado da fronteira com a Grécia na passagem de Demirkapia em Belasitsa, assim, às vezes o episódio é conhecido como a Guerra do Cachorro Fugido. A fronteira era guardada por sentinelas da Bulgária, e um deles atirou no soldado grego.

De acordo com jornais da época, o incidente de fronteira greco-búlgaro foi provocado quando os soldados búlgaros violaram as fronteiras gregas, atacaram um posto grego em Belles e mataram um capitão grego e um sentinela. [8] [9] [10]

Reação búlgara e grega[editar | editar código-fonte]

A Bulgária explicou que o disparo foi devido a um mal-entendido e expressou seu pesar.[11] Além disso, o governo búlgaro propôs a formação de uma comissão mista de oficiais gregos e búlgaros para investigar o incidente, mas o governo grego respondeu que se recusa enquanto soldados búlgaros permanecerem em território grego. [12] [13]

Além disso, o governo ditatorial do general grego Theodoros Pangalos emitiu um ultimato à Bulgária, dando um prazo de 48 horas [14] ; a Grécia em seu ultimato exigiu:

  • a punição dos responsáveis; [15]
  • um pedido oficial de desculpas;[16]
  • dois milhões de francos franceses, como compensação para as famílias das vítimas. [17] [18]

Além disso, a Grécia enviou soldados para a Bulgária para ocupar a cidade de Petrich com o objetivo de cumprir as exigências gregas para reparação. [19]

Intervenção internacional[editar | editar código-fonte]

Petrich está localizado em: Bulgária
Petrich
Localização da cidade de Petrich. No Sul está a Grécia.

A Bulgária ordenou que suas tropas fornecessem apenas uma resistência simbólica e apelou à Liga das Nações para intervir no litígio. Voluntários e veteranos de guerra de toda a região foram convocados para se juntar à resistência. Do outro lado, a Grécia deixou claro que não estava interessada no território búlgaro, mas exigiu uma compensação.

A Liga ordenou:

  1. cessar-fogo;
  2. as tropas gregas deveriam retirar da Bulgária; e
  3. a Grécia deveria pagar uma compensação para a Bulgária.

Ambos os países aceitaram a decisão, embora a Grécia reclamasse da disparidade entre o seu tratamento e o da Itália no incidente de Corfu, em 1923, uma vez que a decisão mostrou que havia duas regras diferentes na Liga: uma para as grandes potências, como a Itália, e outra para as menores, como Grécia[20] .

A compensação que a Grécia tinha de pagar pelo dano material e moral foi £ 45.000 e deveria pagá-lo em dois meses. [21]

Referências

  1. Erin Barrett, Jack Mingo. Just Curious About History, Jeeves. [S.l.]: Simon and Schuster, 2010. 288 p.
  2. The History of Greece, The Greenwood Histories of the Modern Nations, Elaine Thomopoulos, ABC-CLIO, 2011, ISBN 0313375127, War%20of%20the%20Stray%20Dog%201925&f=false p. 110.
  3. O incidente greco-bulgário Folha da Manhã, Ano I, edição 119, página 5 (27 de outubro de 1925). Visitado em 3 de março de 2014.
  4. "LATEST CABLES.", National Library of Australia, 24 October 1925, p. 2. Página visitada em 26 June 2013. "Greece. and Bulgaria have clashed, following a frontier incident, where a Greek captain and a sentry were shot dead at an outpost."
  5. "TROUBLE ON GREEK FRONTIER.", National Library of Australia, 23 October 1925, p. 3. Página visitada em 26 June 2013. "After attacking the Greek outpost and shooting the two men, the Bulgarians hoisted the white flag. They explained that the firing was due to a misunderstanding."
  6. "BULGARIA EXPLAINS.", National Library of Australia, 22 October 1925, p. 1. Página visitada em 26 June 2013. " The Greco-Bulgarian frontier incident was caused by Bulgarian regulars attacking a Greek outpost at Belesh and shooting dead a sentry and a captain."
  7. "Една неизвестна война, завършила със...строеж". Списание "Български войн", бр.10 от 2005
  8. "LATEST CABLES.", National Library of Australia, 24 October 1925, p. 2. Página visitada em 26 June 2013. "Greece. and Bulgaria have clashed, following a frontier incident, where a Greek captain and a sentry were shot dead at an outpost."
  9. "TROUBLE ON GREEK FRONTIER.", National Library of Australia, 23 October 1925, p. 3. Página visitada em 26 June 2013. "After attacking the Greek outpost and shooting the two men, the Bulgarians hoisted the white flag. They explained that the firing was due to a misunderstanding."
  10. "BULGARIA EXPLAINS.", National Library of Australia, 22 October 1925, p. 1. Página visitada em 26 June 2013. " The Greco-Bulgarian frontier incident was caused by Bulgarian regulars attacking a Greek outpost at Belesh and shooting dead a sentry and a captain."
  11. "BULGARIA EXPLAINS.", National Library of Australia, 22 October 1925, p. 1. Página visitada em 27 June 2013. "He says that subsequently Bulgaria hοisted the white flag and explained that the firing was due to a misunderstanding. The Greek Government, however, despite the Bulgarian expressions of regret and explanations, is determined to throw full light on the incident."
  12. "GREEKS AND BULGARS.", National Library of Australia, 24 October 1925, p. 35. Página visitada em 27 June 2013. "The Greek Prime Minister (General Pangalos) has refused the Bulgarian proposal to form a commission of inquiry into the frontier incident at Petrich while Bulgarian troops remain in Greek territory."
  13. "MORE FIGHTING.", National Library of Australia, 24 October 1925, p. 15. Página visitada em 27 June 2013. "The Bulgarian Government proposed the formation of a mixed commission of Greek and Bulgarian officers to investigate the incident on the spot, but this was declined by the Greek Government."
  14. "LATEST CABLES.", National Library of Australia, 24 October 1925, p. 2. Página visitada em 26 June 2013."the Greek Government has issued an ultimatum to Bulgaria giving a time limit 48 hours,"
  15. "LATEST CABLES.", National Library of Australia, 24 October 1925, p. 2. Página visitada em 26 June 2013."the punishment of those responsible."
  16. "LATEST CABLES.", National Library of Australia, 24 October 1925, p. 2. Página visitada em 26 June 2013."...an expression of regret,..."
  17. "LATEST CABLES.", National Library of Australia, 24 October 1925, p. 2. Página visitada em 26 June 2013."...an indemnity of two million French francs,..."
  18. "BULGARIA EXPLAINS.", National Library of Australia, 22 October 1925, p. 1. Página visitada em 26 June 2013. "...compensation for the relatives of the killed."
  19. "BULGARIA EXPLAINS.", National Library of Australia, 22 October 1925, p. 1. Página visitada em 26 June 2013. "According to an Athens telegram the Government has decided to order the Greek troops to advance into Bulgaria and to occupy the town of Petrich, the headquarters of the Macedonian-Bulgarian committee, with the object of enforcing the Greek demands for satisfaction for a violation of Greek territory,..."
  20. Fellows, Nick. History for the IB Diploma: Peacemaking, Peacekeeping: International Relations 1918-36. [S.l.]: Cambridge University Press, September-2012. p. 132. ISBN 978-1107613911
  21. Raghunath, Rai. History. [S.l.: s.n.]. p. 351.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia possui o
Portal Guerra
Portal A Wikipédia possui o
Portal da Grécia
Portal A Wikipédia possui o
Portal da Bulgária

Ligações externas[editar | editar código-fonte]