Inculturação

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Inculturação é a influência recíproca entre o cristianismo e as culturas dos países onde a fé cristã é praticada.[1] [2]

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O termo latino inculturatio foi criado em 1974, no documento de 32ª Congregação Geral da Companhia de Jesus, e expressava o desejo dos jesuítas indianos de criar um jeito indiano de praticar o cristianismo.[3]

"Anchieta e Nóbrega na cabana de Pindobuçu", pintura de Benedito Calixto de 1927. A pregação de jesuítas como José de Anchieta no Brasil foi um exemplo de inculturação, pois os jesuítas, para melhor ensinar a doutrina cristã aos nativos, se utilizaram de elementos da cultura indígena.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura. Disponível em http://www.snpcultura.org/projecto_cultural_definicao_inculturacao.html. Acesso em 16 de janeiro de 2016.
  2. Arautos do Evangelho. Disponível em http://www.arautos.org/artigo/16221/Inculturacao-e-evangelizacao-das-culturas.html. Acesso em 16 de janeiro de 2016.
  3. Arautos do Evangelho. Disponível em http://www.arautos.org/artigo/16221/Inculturacao-e-evangelizacao-das-culturas.html. Acesso em 16 de janeiro de 2016.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • FRANZEN, A. Church history, Kirchengeschichte. Herder. Freiburg. 1988.
  • SCHINELLER, P. A Handbook on Inculturation. New York, 1990.
  • SHORTER, A. Toward a Theology of Inculturation. Maryknoll, NY, 1988.
  • MIRANDA, M. F. Inculturação da fé. São Paulo: Loyola, 2001.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]