Independência do Peru

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
San Martín proclama a independência do Peru, por Juan Lepiani.

A Independência do Peru foi proclamada pelo general argentino José de San Martín, em 28 de julho de 1821, que também foi o primeiro presidente do Peru, cargo que ocupou do dia da independência até o dia 20 de setembro de 1822.

A independência peruana foi resultado de um lento processo de desentendimento entre a elite local (chamada elite criolla) e o Império espanhol.

Guerra de Independência do Peru[editar | editar código-fonte]

A Guerra de Independência do Peru foi composta de uma série de conflitos militares no Peru começando com a reconquista militar do vice-rei José Fernando de Abascal y Sousa em 1811 na Batalha de Guaqui, indo com a derrota definitiva do Exército Espanhol em 1824 na Batalha de Ayacucho e culminando, em 1826, com o cerco de Callao.[1] As guerras de independência aconteceram no contexto da revolta de 1780-1781 pelo líder indígena Túpac Amaru II e a remoção anterior do Alto Peru e das regiões do Rio da Prata do Vice-Reino do Peru. Por conta disto, o vice-rei tinha muitas vezes o apoio da "oligarquia de Lima", que via seus interesses de elite ameaçados pela rebelião popular e se opunha à nova classe comercial em Buenos Aires. Durante a primeira década de 1800, o Peru tinha sido um reduto para os apoiadores da coroa espanhola, que lutaram contra aqueles a favor da independência no Peru, Alto Peru, Quito e Chile.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre o Peru é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.