Indie pop

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Indie pop
Origens estilísticas
Contexto cultural Final da década de 1970 no Reino Unido
Instrumentos típicos
Formas derivadas Indie rockchillwave
Subgêneros
Chamber pop • Twee pop
Outros tópicos
Indie rockJangle popDream pop

Indie pop (em português: pop independente) é uma subcultura musical e complemento do indie rock[6] que, em sua definição original, combina "pop de guitarra" com a ideologia ética Do it yourself ("Faça você mesmo"),[4] do punk. O estilo se originou no Reino Unido no final da década de 1970. De acordo com o site AllMusic, o Indie pop "reflete o lado mais doce e suave do underground, com uma maior ênfase em harmonias, arranjos e composição."[6] O indie pop não só incorpora a "qualidade singela do punk e sua ética DYI", mas também "a doçura e atratividade do pop mainstream".[7]

Os artistas deste gênero musical desejam percorrer um caminho mais distante do mercado musical de natureza predominantemente comercial. Eles fazem questão de preservar sua autonomia e o domínio integral de sua música e da carreira profissional.[8]

História e definições[editar | editar código-fonte]

Indie pop ou Twee Pop (no casa das bandas europeias) é talvez melhor comparado ao chamado indie rock bubblegum - uma música com o espírito do desafio DIY na grande tradição do punk, mas com uma simplicidade e inocência não visto ou ouvido desde os primeiros dias do rock & roll. Twee pop tem suas origens em 1986, quando a revista britânica NME lançou uma fita cassete apelidada de C-86, que incluia músicas de bandas como McCarthy, The Wedding Present, Primal Scream e Bodines - influenciadas em igual medida, pelo pop de guitarra dos The Smiths e pelas músicas de três acordes dos Ramones. Também chamado de "pop anorak" e pop "desajeitado" pela imprensa britânica, o C-86 foi um movimento de vida curta, mas influenciou várias bandas novas, de ambos os lados do Atlântico, que absorveram as lições fundamentais da cena de simplicidade e honestidade de forma impressionante.[9][10]

A banda Belle and Sebastian obteve algum sucesso comercial e grande sucesso de crítica.[11]

Outra característica da cena original era sua temática não-sexual, muitas vezes dita ingênua. O jornalista e critico musical Simon Reynolds, falando sobre o aspecto político e cultural do twee pop, se refere a uma "revolta na infância": "A inocência infantil e assumida ingenuidade permeiam a cena: suas roupas são assexuadas, suas mangas têm franjas, suas cores são em tons pastéis."[12]

Contudo, com o passar do tempo a ideologia inicial do twee pop perdeu sua força, restando apenas o legado em nome da simplicidade e honestidade musical no universo pop, em contraposição à exuberância e aos exageros do chamado pop mainstream. Na Europa, um dos maiores sucessos de crítica do gênero nos anos 1990 foi alcançado pela banda Belle and Sebastian.[13] Nos Estados Unidos, vários artistas de indie pop foram lançados pela K Records. No Brasil, bandas geralmente citadas como influenciadas pelo estilo são Ludov e Pato Fu.

No início da atual década, a música indie ganhou bastante força com ajuda da internet; nomes como Lana Del Rey, Foster the People, Florence and the Machine, Marina and the Diamonds, Gotye e Arctic Monkeys ganharam espaço dentro do mainstream, além de outros artistas solo e bandas.

O crítico musical Dave Heaton, do PopMatters, escreveu o seguinte (sobre o uso do termo indie pop):[5]

Musicalmente, o indie pop é caracterizado pela estrutura de música pop e instrumentação típica do rock (bateria, guitarra, baixo, vocal), embora alguns artistas do gênero desviem disso, incluindo instrumentação eletrônica, além de piano e instrumentos de corda.[14] O indie pop difere do indie rock na medida em que é mais melódico. De acordo com algumas definições, "pode ser difícil descrever como deveria soar uma canção indie pop, uma vez que alguns artistas do gênero realmente não fazem um som parecido com o de outros músicos do mesmo estilo".[15] Uma característica que define o som do gênero é a liberdade na direção do mesmo. Como tal, muitos indie pop acts podem incorporar elementos de outros gêneros (ou mesmo ter um som distinto que é difícil de descrever), têm letras mais complexas, foco em temas além do habitual (muitas vezes podem abordar temas mais obscuros em comparação com o pop mainstream). Além disso, muitos artistas do gênero fazem uso de instrumentos eletrônicos e sintetizadores com vários graus de destaque, embora nem todos músicos do gênero o façam.[15]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Twee as fuck: The history of indie pop Pitchfork
  2. Indie pop history Jstor.org
  3. 80s Music: Jangle pop
  4. a b 10 canadian jangle and indie pop bands Aux TV
  5. a b c The Best of Indie-pop 2013 PopMatters
  6. a b AllMusic Guide
  7. Dolan, Emily. «…This little ukulele tells the truth': indie pop and kitsch authenticity.». Cambridge University Press. Popular Music. Consultado em 6 de fevereiro de 2017 
  8. Música indie pop
  9. AllMusic: "Twee Pop "
  10. AllMusic: "C-86"
  11. Popular music and the state in the U.K. Google Books
  12. Redhead, Steve (1990). End-of-the-Century Party, Youth and Pop Towards 2000. [S.l.]: Manchester University Press. 82 páginas 
  13. Modern Scottish Culture Google Books
  14. Indie pop
  15. a b Indie pop TV Trope
Ícone de esboço Este artigo sobre música é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.