Indie pop

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Indie pop
Origens estilísticas
Contexto cultural Final da década de 1970 no Reino Unido
Instrumentos típicos
Formas derivadas Indie rock
Subgêneros
Chamber pop • Twee pop
Outros tópicos
Indie rockJangle popDream pop

Indie pop (em português: pop independente) é uma subcultura musical e complemento do indie rock[5] que, em sua definição original, combina "pop de guitarra" com a ideologia ética Do it yourself ("Faça você mesmo"),[4] do punk. O estilo se originou no Reino Unido no final da década de 1970. De acordo com o site AllMusic, o Indie pop "reflete o lado mais doce e suave do underground, com uma maior ênfase em harmonias, arranjos e composição."[5]

Os artistas deste gênero musical desejam percorrer um caminho mais distante do mercado musical de natureza predominantemente comercial. Eles fazem questão de preservar sua autonomia e o domínio integral de sua música e da carreira profissional.[6]

História e definições[editar | editar código-fonte]

O crítico musical Dave Heaton, do PopMatters, escreveu o seguinte (sobre o uso do termo indie pop):[7]

O indie pop caracteriza-se pela sua produção; enquanto os artistas do pop mainstream costumam convocar uma equipe de compositores (muitas vezes com o artista em questão tendo pouco ou nenhum envolvimento com o songwriting), artistas do Indie pop escrevem todas as suas músicas sozinhos; ocasionalmente convidam outros músicos para ajudar com o processo criativo. Enquanto lançamentos do pop padrão são geralmente controlados por grandes gravadoras, artistas indie muitas vezes possuem contratos com selos independentes e têm pleno controle criativo sobre a sua música e imagem. Embora alguns músicos do indie pop sejam ligados à grandes gravadoras, eles geralmente utilizam esses selos ​​exclusivamente para a distribuição de sua música.[8]

Musicalmente, o Indie pop é caracterizado pela estrutura de música pop e instrumentação típica do rock (bateria, guitarra, baixo, vocal), embora alguns artistas do gênero desviem disso, incluindo instrumentação eletrônica, além de piano e instrumentos de corda.[9] O indie pop difere do indie rock na medida em que é mais melódico. Pode ser difícil descrever como deveria soar uma canção indie pop, uma vez que alguns artistas do gênero realmente não fazem um som parecido com o de outros músicos do mesmo estilo.[8]

Uma característica que define o som do gênero é a liberdade acima mencionada na direção do mesmo. Como tal, muitos indie pop acts podem incorporar elementos de outros gêneros (ou mesmo ter um som distinto que é difícil de descrever), têm letras mais complexas, mais difíceis de entender, foco em temas além do habitual (muitas vezes podem abordar temas mais obscuros em comparação com o pop mainstream). Além disso, muitos artistas do gênero fazem uso de instrumentos eletrônicos e sintetizadores com vários graus de destaque, embora nem todos músicos do gênero o façam.[8]

Indie pop ou Twee Pop (no casa das bandas europeias) é talvez melhor comparado ao chamado indie rock bubblegum - uma música com o espírito do desafio DIY na grande tradição do punk, mas com uma simplicidade e inocência não visto ou ouvido desde os primeiros dias do rock & roll. Twee pop tem suas origens em 1986, quando a revista britânica NME lançou uma fita cassete apelidada de C-86, que incluia músicas de bandas como McCarthy, The Wedding Present, Primal Scream e Bodines - influenciadas em igual medida, pelo pop de guitarra dos The Smiths e pelas músicas de três acordes dos Ramones. Também chamado de "pop anorak" e pop "desajeitado" pela imprensa britânica, o C-86 foi um movimento de vida curta, mas influenciou várias bandas novas, de ambos os lados do Atlântico, que absorveram as lições fundamentais da cena de simplicidade e honestidade de forma impressionante.[10][11]

Outra característica da cena original era sua temática não-sexual, muitas vezes dita ingênua. O jornalista e critico musical Simon Reynolds, falando sobre o aspecto político e cultural do twee pop, se refere a uma "revolta na infância": "A inocência infantil e assumida ingenuidade permeiam a cena: suas roupas são assexuadas, suas mangas têm franjas, suas cores são em tons pastéis."[12]

Contudo, com o passar do tempo a ideologia inicial do twee pop perdeu sua força, restando apenas o legado em nome da simplicidade e honestidade musical no universo pop, em contraposição à exuberância e aos exageros do chamado pop mainstream. Na Europa, um dos maiores sucessos de crítica do gênero nos anos 1990 foi alcançado pela banda Belle and Sebastian.[13] Nos Estados Unidos, vários artistas de indie pop foram lançados pela K Records. No Brasil, bandas geralmente citadas como influenciadas pelo estilo são Ludov e Pato Fu.

No início da atual década, a música indie ganhou bastante força com ajuda da internet; nomes como Lana Del Rey, Foster the People, Florence and the Machine, Emily Kinney, Regina Spektor, Marina and the Diamonds e Arctic Monkeys foram alguns dos responsáveis, além do cantor Gotye, que teve enorme sucesso em 2012, sendo uma de suas músicas a mais tocada do ano: "Somebody That I Used to Know". Outro exemplo é a banda Echosmith.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Twee as fuck: The history of indie pop Pitchfork
  2. Indie pop history Jstor.org
  3. 80s Music: Jangle pop
  4. a b 10 canadian jangle and indie pop bands Aux TV
  5. a b AllMusic Guide
  6. Música indie pop
  7. a b The Best of Indie-pop 2013 PopMatters
  8. a b c Indie pop TV Trope
  9. Indie pop
  10. AllMusic: "Twee Pop "
  11. AllMusic: "C-86"
  12. Redhead, Steve (1990). End-of-the-Century Party, Youth and Pop Towards 2000. [S.l.]: Manchester University Press. 82 páginas 
  13. Modern Scottish Culture Google Books
Ícone de esboço Este artigo sobre música é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.