Inferno (Marvel Comics)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados de Inferno, veja Inferno (desambiguação).

A Saga Inferno foi um evento ocorrido nas histórias em quadrinhos produzidos pela Marvel Comics, com repercussões em todo o Universo Marvel, mas com foco nas aventuras dos X-Men.

Enredo[editar | editar código-fonte]

A Saga, publicada em 1988 nos E.U.A., teve como principal personagem causadora a ruiva Madelyne Pryor, que fôra casada com Ciclope (Scott Summers), no período da primeira morte de Jean Grey, tendo com ele o bebê Nathan Chistopher Summers, que viria a se tornar o Cable. Com a volta de Jean e o reigresso de Ciclope no mundo aventureiro (como membro do primeiro X-Factor, Madelyne acabe se aliando aos X-Men, que na época se passavam por mortos e operavam através de uma cidade fantasma no deserto australiano, antiga base dos Carniceiros de Mutantes.

Porém, Madelyne (que na saga é revelada como um clone idêntico de Jean Grey, criada pelo Senhor Sinistro, para ter um filho com Ciclope e gerar o mutante perfeito) não aceita a rejeição de Scott e se alia a dois demônios, oriundos da dimensão infernal conhecida como Limbo: Nastirth e Sym. Se transformando na "Rainha dos Duendes", tencionando abrir um portal definitivo entre o Limbo e a Terra, transformando o planeta em um verdadeiro Inferno.

Com o início da fusão (cujo epicentro era o edifício Empire State, em Nova York, as pessoas primeiramente começaram a ter comportamentos agressivos e malévolos, sendo posteriormente transmutacionadas em demônios do Limbo. Até mesmo objetos inanimados, como cadeiras e telefones eram infectados com espíritos demoníacos e assumiam consciência.

A abertura do portal foi potencializada com a tentativa de homicídio de vários bebês (utilizados como vértices de pentagramas nos céus de Nova York) e seria concretizada com o sacrifício de Nathan Christopher Summers pela própria Rainha dos Duendes, que foi impedida pela ação conjunta do X-Men e do X-Factor. Com a morte de Madelyne e dos dois principais demônios líderes do movimento, os efeitos do Limbo sobre a Terra desaparecem e as coisas voltam ao ritmo normal.

Principais consequências[editar | editar código-fonte]

O evento tem como principais consequências:

  • A revelação de que Madelyne Pryor era na verdade um clone de Jean Grey construído pelo Sr. Sinistro, para obter o mutante perfeito através da mescla dos genomas de Ciclope e Jean, concretizados no bebê Nathan Christopher Summers. Esse fato explica a enorme semelhança entre Madelyne e Jean.
  • A própria morte de Madelyne
  • A primeira revelação da amplitude das maquinações e a periculosidade do Sr. Sinistro.
  • O reencontro entre as equipes X-Men e X-Factor, que haviam perdido contato e estavam em desacordo devido a vários mal-entendidos.
  • A perda do domínio de Illyana Rasputin sobre o Limbo e sua reversão para a idade de 5 anos;
  • A infecção da dimensão do Limbo com o Vírus Tecnorgânico.
  • O fim do grupo de jovens mutantes conhecidos como "Exterminadores", cuja maioria dos membros foi incorporada aos "Novos Mutantes".
  • Lyla Cheney é considerada morta após teletransportar alguns montros para o sol deixando Missel desolado.

Principais grupos envolvidos[editar | editar código-fonte]

Homem-Aranha[editar | editar código-fonte]

Durante a Saga Inferno, o Homem-Aranha enfrentou diversos demônios. Um deles possuiu o corpo de seu inimigo Duende Macabro, que passou a ter capacidades sobrenaturais. Mais tarde o demônio sairia do corpo do Duende Macabro, transformando-se em um outro Duende... o Duende Demoníaco.