Influenciador digital

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ambox important.svg
Foram assinalados vários aspectos a serem melhorados nesta página ou se(c)ção:
PewDiePie é atualmente o youtuber com maior número de inscritos em seu canal. [carece de fontes?]

Influenciador digital ou digital influencer [1]é um indivíduo que utilizam uma rede social para expressar análises e influenciar a opinião de outras indivíduos, através de publicações em texto ou vídeo online e, que são seguidos por um público massivo.

O influenciador originado na internet, as vezes não se restringem a apenas uma rede social, a união delas faz com que alcance uma audiência maior. O surgimento desses novos formadores de opinião digitais também causa uma mudança comportamental e de mentalidade nos seus seguidores, que tendem a ser facilmente influenciados.


Conteúdo[editar | editar código-fonte]

O mais importante para esses influenciadores digitais formarem o seu público é o conteúdo que eles produzem. Alguns contêm um conteúdo completamente original, os demais desenvolvem um formato parecido com o de outros influenciadores, mas com uma abordagem distinta.

  • Jogos: é um dos conteúdos mais numerosos, pois a categoria se estende a gameplays, recomendações, avaliações, novidades e curiosidades sobre jogos.
  • Fitness: a categoria promove hábitos saudáveis, dicas de alimentação, autoestima, motivação e exemplifica alguns exercícios físicos.
  • Culinária: mostra a confecção de receitas e técnicas culinárias.
  • Jornalismo promove a disseminação de notícias, opiniões e debates, é considerado jornalismo cívico, pois nem sempre a pessoa é jornalista propriamente dito.
  • Moda e beleza: é focado em oferecer dicas de moda, beleza e estilo.
  • Entretenimento/humor: é a área mais vasta e mais procurada entre os jovens, tem diversos formatos como vlogs, resenhas, FAQs (perguntas frequentes) e inúmeras outras se enquadram nessa categoria.
  • Conhecimentos gerais: aborda temas mais sérios, envolvendo pesquisa, e oferece conhecimento ao público.
  • Esportes: trata de noticias, resenhas ou promove a prática de esportes.

Mudanças na sociedade virtual[editar | editar código-fonte]

A chegada dessas pessoas que ganharam destaque nas redes sociais trouxe algumas mudanças na forma com que o conteúdo na internet é adquirido, pois atualmente já é bastante comum a disseminação de informações e opiniões oriunda de pessoas que contêm uma maior influência. Essas informações, vez ou outra, podem se mostrar falsas ou provenientes de fontes duvidosas e, como alguns usuários não verificam a veracidade das informações, muito conteúdo equivocado acaba sendo massificado. Hoje, as novas gerações vêm trocando o uso da televisão e de outros meios de acesso a informação pelo acesso à internet, tornando o problema da confiabilidade das informações recebidas um pouco maior.

Os influentes digitais são os atuais responsáveis por ditar novas tendências e costumes, seus fãs, como acompanham suas vidas, passam a reproduzir o estilo e gostos de seus ídolos e isso causa uma alteração na forma com que os seus seguidores interagem entre si. Como cada influenciador é especializado em uma área e um seguidor pode ser influenciado por vários influenciadores com temáticas diferentes ao mesmo tempo, seja ela de jogos, moda, política, fitness, entre outros faz com que um usuário possa em um mesmo espaço pertencer a vários grupos distintos ao mesmo tempo.

Outro conceito que veio bastante atrelado ao aparecimento desse novo grupo de desenvolvedores de conteúdo para a internet foi o de viralizar, palavra essa que descreve algum conteúdo que ganhou bastante repercussão nas redes sociais. A viralização é algo que pode originar um novo influente digital, pois dada postagem que viralizou teve um enorme número de vísualizações e causou interesse no grande público.

Marketing[editar | editar código-fonte]

O marketing, oriundo da palavra em inglês market, não contém uma data precisa de surgimento, acredita-se que o marketing existe desde de as primeiras trocas e vendas realizadas por civilizações antigas, entretanto o marketing passou a ser estudado como uma área da ciência após o final da segunda guerra mundial.

A internet surgiu em 1960 para fins militares norte-americanos e por volta de 1980 a internet moderna se popularizou, contudo foi só em 2004 com a web 2.0 que o marketing digital passou a querer juntar o nome de suas empresas ao conteúdo digital.

Com o aumento do público alcançado por essas influenciadores digitais e uma redução na procura por outras mídias, os profissionais de marketing observaram uma oportunidade de negócio. Esses novos produtores de conteúdo já obtêm o canal de comunicação e já possuem um público caracterizado de acordo com o conteúdo produzido, de forma que o produto seja visualizado por alguém que já tem um perfil potencialmente adequado a consumir o produto.

Atualmente cerca de 80% do tráfego online está atrelado a algum tipo de influenciador. A internet também passou a desbancar o maior meio de comunicação, a televisão, uma pesquisa feita pela IMS Internet Media Services aponta que cerca de 82% dos brasileiros consomem vídeos sob demanda e 73% assistem à TV aberta e mesmo os que assistem televisão assistem por menos tempo que os internautas.

O marketing de influência, como é denominado, é uma forma de marketing em que o foco é colocado em indivíduos-chave específicos em vez do mercado-alvo como um todo. Identifica os indivíduos que têm influência sobre potenciais compradores e orienta as atividades de marketing em torno desses influenciadores.

O conteúdo do Influenciador pode ser enquadrado como publicidade testimonial onde eles desempenham o papel de um potencial comprador, ou podem ser terceiros. Esses terceiros existem na cadeia de suprimentos (varejistas, fabricantes, etc.) ou podem ser chamados influenciadores de valor agregado (como jornalistas, acadêmicos, analistas do setor, consultores profissionais, etc.).

O marketing do Influenciador tende a ser dividido em duas sub-práticas: marketing de influenciadores e marketing de influenciadores pagos. O marketing adquirido decorre de relacionamentos não remunerados ou preexistentes com influenciadores ou conteúdo de terceiros que é promovido pelo influenciador para promover seu próprio crescimento social pessoal. As campanhas de marketing influenciadas pagas podem assumir a forma de patrocínio, publicidade pré-roll ou mensagens de testemunho e podem aparecer em qualquer ponto do conteúdo. Os orçamentos variam amplamente e geralmente são baseados no alcance da audiência.

Pesquisas indicaram que 71% dos internautas brasileiros afirmaram seguir algum influenciador digital. Esse número sobe para 81% entre os jovens de até 19 anos. 73% dos entrevistados que seguem algum influenciador afirmaram que já compraram algum produto ou serviço por indicação de um influenciador digital.[2][3]

Outras mídias[editar | editar código-fonte]

Os influenciadores digitais têm um público tão sólido e numeroso que as outras mídias, que de certa forma são afetadas pelo crescente acesso à internet, passaram a convidá-los para fazerem participações em seus produtos. O mercado editorial enxergou nos influenciadores digitais a oportunidade de alcançar a população jovem brasileira, a qual possui resistência ao hábito da leitura. São exemplos de livros bem sucedidos: "Muito mais que cinco minutos" da youtuber Kéfera Buchmann, que vendeu mais de 300 mil cópias em 101 dias, e "Eu fico loko" do youtuber Christian Figueiredo, vendendo 172 mil cópias.

Prêmio influenciadores digitais[editar | editar código-fonte]

A CECOM - Centro de Estudos da Comunicação organizou um prêmio para os influenciadores digitais em 2016, escolhendo os candidatos através do Facebook Audience Insights e Google Adwords para concorrer em 17 categorias.

Categoria Voto técnico Voto popular
Cidades, Arquitetura e Urbanismo A arquiteta A arquiteta
Ciência e Tecnologia Fatos Desconhecidos Fatos Desconhecidos
Comportamento e Estilo de Vida Hypeness IncrívelClub
Cultura e Entretenimento Omelete Jovem Nerd
Design e Decoração Homens da Casa Homens da Casa
Economia, Política e Atualidades Jornalistas Livres Mídia Ninja
Educação, Cidadania e Inclusão Manual do Mundo Manual do Mundo
Empreendedorismo e Negócios Geração de valor Geração de Valor
Esporte Desimpedidos Desimpedidos
Gastronomia Panelaterapia Panelaterapia
Humor Porta dos Fundos Porta dos Fundos
Meio Ambiente e Sustentabilidade Mundo Sustentável Mundo Sustentável
Mídia e Comunicação Brainstorming9 Geek Publicitário
Moda e Beleza Camila Coelho Niina Lílian Secrets
Saúde e Fitness Dr. Drauzio Varella Dr. Drauzio Varella
Tecnologia Digital Tecnoblog Tecnoblog
Viagem e Turismo Melhores Destinos Melhores Destinos

Ver também[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  1. A produtora, em Manual do Mundo
  2. Blogueiras de moda influentes, em Vogue Globo
  3. Escritora Kefera, em Folha de São Paulo
  4. LOPES,Poliana; BRANDT, Karine. We Love Fashion Blogs: estratégias de aproximação da Petite Jolie com produtoras de conteúdo digitais.Temática, v. 7, n. 03, p. 124-137, mar. 2016.
  5. Resumo 52-0157, em Portal Intercom
  6. Resumo 11-2488, em Portal Intercom

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. bumeoficial (17 de setembro de 2018). «Digital Influencer: O Guia Para o Sucesso Na Internet». Blog Bume. Consultado em 8 de abril de 2019 
  2. Pacete, Luiz Gustavo. «Influenciadores já são a segunda fonte para tomada de decisão». Meio e Mensagem 
  3. Qualibest (13 de fevereiro de 2019). «Pesquisa - "O poder dos Influenciadores Digitais"». Instituto Qualibest. Consultado em 13 de fevereiro de 2019