Inforpress

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde novembro de 2015).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.

A INFORPRESS - Agência Cabo-verdiana de Notícias é a agência de notícias oficial da República de Cabo Verde.

É membro-fundador da Aliança das Agências de Informação de Língua Portuguesa (ALP).

História[editar | editar código-fonte]

Fundada em 1988 e sediada na Cidade da Praia. Foi criada originalmente com o nome de Cabopress, o que manteve até 1998, quando adotou a atual denominação. Às vezes é também referida como "Agência Noticiosa de Cabo Verde", embora esse não seja seu nome oficial.


Sua redação central é localizada no Largo de Marconi, no bairro da Achada de Santo António, na Ilha de Santiago.

Actividade[editar | editar código-fonte]

A agência oferece serviços de notícias em texto, vídeos, áudio (para rádios), infográficos e afirma estar em preparação "para também disponibilizar fotografias", além de "prestar serviços a todos os órgãos de comunicação social, quer nacionais quer estrangeiros, dentro e fora do país"[1]. Seus conteúdos publicados no website são de livre acesso, mas os pacotes informativos que oferece aos clientes (textos e imagens) são acessíveis mediante assinatura prévia. Os vídeos para uso em emissoras de TV vêm nos formatos editados e não editados (brutos). A empresa também diz ser "vocacionada para prestar serviços especializados a empresas públicas e privadas, instituições do Estado e outras, quer nacionais quer estrangeiras". Para a imprensa cabo-verdiana e estrangeira, a Inforpress fornece um serviço generalista sobre notícias de politica, economia, sociedade, esportes, cultura e meio ambiente.

Por meio de seu serviço Inforpress-TV, a empresa promete um serviço de emergência para televisões (Emergência-TV) "que consistirá na prestação de serviço encomendado à última hora, cujo material recolhido é entregue ao domicílio, em dispositivo"[2].

Em outubro de 2014, foi anunciado que o governo cabo-verdiano planejava fundir a Inforpress à estrutura da Rádio Televisão Cabo-Verdiana (RTC), com previsão de efetivação até junho de 2015[3]. Entretanto, o prazo não foi cumprido. Em setembro de 2015, o presidente cabo-verdiano, Jorge Carlos Fonseca, sancionou a lei de fusão entre as duas empresas, para entrar em vigor 30 dias depois e criar uma nova entidade, a Radiotelevisão & Inforpress, Sociedade Anónima (RTCI)[4].

Em junho de 2015, a jornalista Arminda Barros, da Inforpress, foi indicada por consenso entre governistas e oposição para ser a primeira presidente da nova entidade de regulação da mídia em Cabo Verde, a Autoridade Reguladora da Comunicação Social (ARC)[5].

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • CORREIA, José Mario. Da Cabopress à Inforpress SA 1988-2011, duas décadas de jornalismo: um novo começo... online. Lisboa: JM Edições, 2011.

Referências

  1. «Inforpress - Sobre». Consultado em 14 de novembro de 2015.. Arquivado do original em 17 de novembro de 2015 
  2. «Inforpress - Sobre». Consultado em 14 de novembro de 2015.. Arquivado do original em 17 de novembro de 2015 
  3. PANApress - Cabo Verde funde agência de notícias, rádio e televisão (25 de outubro de 2014)
  4. Lusa - PR de Cabo Verde promulga lei sobre fusão de órgãos públicos de comunicação social (23 de setembro de 2015)
  5. Inforpress - ARC deve pautar por criar uma cultura de regulação dos meios de comunicação social - presidente indigitada Arquivado em 17 de novembro de 2015, no Wayback Machine. (26 de junho de 2015)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Links externos[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre meios de comunicação é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.