Ingrid Bergman

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ingrid Bergman
Ingrid Bergman em 1944.
Nome completo Ingrid Bergman
Nascimento 29 de agosto de 1915
Estocolmo
Nacionalidade Suécia Sueca
Morte 29 de agosto de 1982 (67 anos)
Londres, Inglaterra
 Reino Unido
Ocupação Atriz
Atividade 19321982
Cônjuge Lars Schmidt (1958 - 1975)
Roberto Rossellini (1950 - 1957)
Dr. Petter Lindström (1937 - 1950)
Oscares da Academia
Melhor Atriz
1945 - Gaslight
1957 - Anastasia
Melhor Atriz Coadjuvante
1975 - Murder on the Orient Express
Emmys
Melhor Atriz - Minissérie ou telefilme
1982 - A Woman Called Golda
1960 - The Turn of the Screw
Tonys
Melhor Atriz em Peça
1947 - Joan of Lorraine
Globos de Ouro
Melhor Atriz - Drama
1945 - Gaslight
1946 - The Bells of St. Mary's
1957 - Anastasia
Melhor Atriz em Minissérie ou Telefilme
1983 - A Woman Called Golda
César
Honorário
1976
Prémios BAFTA
Melhor Atriz Coadjuvante
1975 - Murder on the Orient Express
Página oficial
IMDb: (inglês)

Ingrid Bergman (Estocolmo, 29 de agosto de 1915Londres, 29 de agosto de 1982) foi uma premiada actriz sueca.[1], considerada por muitos uma das maiores estrelas do cinema de todos os tempos.[2][3][4] Foi a primeira atriz estrangeira a ser premiada com o Oscar de melhor atriz e ganhou dois Oscares de Melhor Atriz principal e um de Melhor Atriz coadjuvante.

Nasceu na capital sueca, às 3h30min do dia 29 de agosto de 1915, filha de mãe alemã e pai sueco. A sua mãe morreu quando tinha dois anos e pai, Justus Bergman, era um fotógrafo boémio que lhe transmitiu o amor pelo teatro.

Ingrid entrou para a Real Escola de Arte Dramática de Estocolmo e antes de terminar o curso estreou no cinema, levada por um caçador de talentos. Em dois anos participou de nove filmes na Suécia.

Já famosa no seu país, Ingrid foi levada para Hollywood em 1939 para estrelar a versão de um dos seus mais bem sucedidos filmes suecos, "Intermezzo". A partir daí, o mundo inteiro rendeu-se a uma grande atriz que tinha um estilo próprio que em Hollywood alguns diretores e produtores definiam com um glamour ao ar livre, que fazia com que ela intrepretasse da mesma maneira vibrante tanto uma camponesa como uma princesa.

Bergman foi três vezes premiada com o Óscar, sendo duas como Melhor Atriz (principal) e uma como Melhor Atriz (coadjuvante/secundária). O primeiro Óscar veio em 1944 com "À Meia-Luz", o segundo em 1956 com "Anastácia, a Princesa Esquecida", e o terceiro em 1974 como uma solteirona retraída em "Assassinato no Orient Express". Participou em numerosos filmes, incluindo clássicos do cinema americano, como Casablanca, ou do italiano, como Stromboli.

Cena do filme Por quem os sinos dobram.

Casou-se em 1937 com Petter Lindström, com quem teve uma filha, Pia. Em 1949 divorciou-se e casou com o diretor italiano Roberto Rossellini, uma união que causou muita polémica, pois ambos eram casados quando se apaixonaram e abandonaram as respectivas famílias para viverem juntos. Essa paixão fez com que Ingrid fosse acusada de adúltera e de mau exemplo para as mulheres americanas e levou-a a ficar anos sem filmar nos Estados Unidos. Com Rossellini teve três filhos: Roberto e as gêmeas Isotta Ingrid e Isabella, hoje a atriz Isabella Rossellini. Esse casamento durou até 1957, quando se divorciaram. Foi casada com Lars Schmidt de 1958 até 1975, quando também se divorciou.

Morreu no dia do seu aniversário, com 67 anos, depois de lutar seis anos contra um câncer nos seios e de fazer duas mastectomias. Em uma entrevista um ano antes de falecer, Ingrid disse que se recusava a se render à doença e que por isso continuava a fumar e a beber vinho e champagne. Está sepultada no Norra begravningsplatsen, Estocolmo.[5]


Biografia[editar | editar código-fonte]

Ingrid nasceu em 29 de agosto de 1915, em Estocolmo,seu pai era o sueco Justus Bergman (02 de maio de 1871 - 29 de julho 1929),e sua mãe era a alemã Frieda Adler ( 12 de setembro de 1884 - 19 de janeiro de 1918).[6]Quando ela tinha dois anos, sua mãe morreu,seu pai, que era um artista e fotógrafo, morreu quando ela tinha 13 anos.[7] Nos anos antes de sua morte, ele queria que ela se tornasse uma estrela da ópera, e ela teve aulas de voz por três anos,porem Bergman nutria uma paixão pelo mundo da atuação desistindo das aulas dois anos depois.[7]

Após sua morte, ela foi enviada para morar com uma tia, que morreu de doença cardíaca apenas seis meses depois.[7] Ela então se mudou com sua tia Hulda e seu tio Otto.[8]

Mais tarde, ela recebeu uma bolsa de estudos para a Royal Dramatic Theatre School, patrocinada pelo estado , onde Greta Garbo , alguns anos antes havia recebido uma bolsa semelhante.[1] Depois de vários meses a ela foi dada uma parte um papel numa peã teatral chamada Crime , escrito por Sigfrid Siwertz.

Durante sua férias de verão, ela também foi contratada por um estúdio de cinema sueco, o que levou a deixar a Royal Dramatic Theatre depois de apenas um ano, para trabalhar em filmes em tempo integral.

Período em Hollywood:1939-49[editar | editar código-fonte]

O primeiro papel de Bergman nos Estados Unidos veio quando o produtor de Hollywood David O.Selznick que a trouxe para a América para estrelar Intermezzo:A Love Story (1939), um remake em inglês do seu filme sueco anterior Intermezzo (1936).[7] Incapaz de falar inglês e incerto sobre sua aceitação pelo público americano, ela esperava completar este filme e voltar para casa para a Suécia.[9][7] Seu marido, Dr. Petter Lindström, permaneceu na Suécia com sua filha Pia (nascida em 1938).Ela interpretou o papel de um jovem pianista acompanhante de Leslie Howard um famoso violinista. [9]

Ela chegou a Los Angeles em 6 de maio de 1939 e ficou na casa de Selznick até encontrar outra residência.[10] De acordo com o filho de Selznick, Danny, que era uma criança na época, seu pai tinha algumas preocupações sobre Ingrid:"Ela não falava inglês, ela era muito alta, seu nome soava muito alemão e as sobrancelhas eram muito grossas."[11]

Intermezzo tornou-se um enorme sucesso e como resultado Bergman se tornou uma estrela.Selznick apreciou sua singularidade, e como sua esposa Irene , permaneceram amigos importantes durante toda sua carreira.[7]

Sucesso e filmes clássicos[editar | editar código-fonte]

Bergman em Gaslight em 1944,pelo qual venceu seu primeiro prêmio Oscar.

Depois de completar seu último filme na Suécia e aparecer em três filmes moderadamente bem sucedidos (Adam Had Four Sons , Rage in Heaven e Dr. Jekyll e Mr. Hyde ,todos em 1941) nos Estados Unidos, Bergman co-estrelou com Humphrey Bogart no clássico Filme Casablanca(1942), que continua a ser seu papel mais conhecido.[7] Neste filme, ela interpretou o papel de Ilsa, a bela esposa norueguesa de Victor Laszlo, interpretada por Paul Henreid.[7]Bergman não considerou Casablanca ser uma de suas atuações favoritas."[12] Eu fiz tantos filmes que eram mais importantes, mas o único que as pessoas querem conversar é com Bogart." [7]Em anos posteriores , ela afirmou: "Eu sinto sobre Casablanca que ela tem uma vida própria. Há algo de místico sobre ele.

Depois de Casablanca , com Selznick , ela interpretou o papel de Maria em For Whom the Bell Tolls (1943), que também foi seu primeiro filme colorido. Para o papel, ela recebeu sua primeira indicação ao Oscar pela Melhor Atriz . O filme foi tirado do romance de nest Hemingway do mesmo título . Quando o livro foi vendido para a Paramount Pictures.[13]

No ano seguinte, ela ganhou o Oscar de Melhor Atriz por Gaslight (1944), um filme em que George Cukor dirigiu-a como uma,seguindo Bergman próxima interpretou uma freira em The Bells of St. Mary's (1945) pelo qual recebeu sua terceira indicação consecutiva ao Oscar de Melhor Atriz.Bergman estrelou alguns filmes de Alfred Hitchcock como Spellbound (1945), Notorious (1946) e Under Capricorn (1949),ganhando sua 4 indicação ao Oscar pelo desempenho em Spellbound].B[14]ergman recebeu outra nomeação de Melhor Atriz por Joan of Arc(1948), um filme independente baseado na peça de Maxwell Anderson, Joan of Lorraine , produzida por Walter Wanger,e inicialmente lançada pela RKO.[15]

Período italiano: 1949-57[editar | editar código-fonte]

Bergman e Rossellini em 1951.

Bergman admirava fortemente dois filmes do diretor italiano Roberto Rossellini que ela tinha visto nos Estados Unidos.[16] Em 1949, Bergman escreveu para Rossellini, expressando essa admiração e sugerindo que ela fizesse um filme com ele.[16] Isso levou a que ela fosse lançada em seu filme Stromboli(1950). Durante a produção, Bergman manteve um romance com Rossellini, e começaram assim eles começaram um namoro.[16] Bergman ficou grávida de Robin Rossellini (nascido em 2 de fevereiro de 1950).[17]

Este caso causou um enorme escândalo nos Estados Unidos, onde levou a que Bergman fosse denunciado no plenário do Senado dos Estados Unidos.

Em conseqüência do escândalo, Bergman retornou a Itália, deixando seu marido e filha (Pia). Ela passou por um divórcio publicitário e uma batalha de custódia.Bergman e Rossellini se casaram em 24 de maio de 1950.Além de Renato, eles tiveram gêmeas (nascido em 18 de junho de 1952),e Isabella Rossellini , que se tornou atriz e modelo.Rossellini completou cinco filmes estrelados por Bergman entre 1949 e 1955: Stromboli,Europa 51,Viaggio in Italia,Giovanna d'Arco al Rogo , e La Paura.O uso de uma estrela de Hollywood em seus filmes tipicamente "neo-realistas", em que Rossellini normalmente usava atores não-profissionais, provocou algumas reações negativas em certos círculos.

Após a separação, Bergman atuou em Elena et les Hommes1956.Embora o filme não tenha sido um sucesso, seu desempenho passou a ser considerado como um dos seus melhores.

Anos posteriores: 1957-82[editar | editar código-fonte]

Anastasia e outros filmes[editar | editar código-fonte]

Com seu papel principal em 1956 no longa Anastasia(1956), Bergman fez um retorno triunfante para a tela americana e ganhou o Oscar de Melhor Atriz pela segunda vez.[18] sendo descrita como "uma das maiores atrizes do mundo".Bergman fez sua primeira aparição pública após-escândalo em Hollywood nos Oscars de 1958, quando foi apresentadora do Oscar de Melhor Filme.[19]Ela foi dada uma aplaudida de pé depois de ser apresentado por Cary Grant,ela continuou a alternar entre performances em filmes americanos e europeus para o resto de sua carreira e também fez aparições ocasionais em dramas de televisão como The Turn of the Screw (1959) para a Ford Startime TV,pelo qual ela ganhou o prêmio Emmy para Desempenho único excepcional por uma atriz em nini-série ou tele filme.[20]

Durante este tempo, ela se apresentou em várias peças teatrais,ela casou com o produtor Lars Schmidt, um compatriota sueco, em 21 de dezembro de 1958.[21] Este casamento terminou em divórcio em 1975. Schmidt morreu em 18 de outubro de 2009. Depois de um longo hiato, Bergman fez o filme Cactus Flower (1969), com Walter Matthau e Goldie Hawn.[7]

Em 1972, o senador Charles H. Percy entrou com um pedido de desculpas no Registro do Congresso pelo ataque feito a Bergman 22 anos antes por Edwin C. Johnson.[22]

Bergman tornou-se uma das poucas atrizes a receber três Oscars quando ganhou seu terceiro (e primeiro na categoria de Melhor Atriz Coadjuvante) por seu desempenho em Murder on the Orient Express(1974). O diretor Sidney Lumet ofereceu a Bergman o papel a Bergman que insistiu em interpretar o papel."[23]

Morte e legado[editar | editar código-fonte]

A lapide de Ingrid Bergman no cemitério Norra begravningsplatsen.

Bergman morreu em 29 de agosto de 1982 em seu aniversário de 67 anos em Londres, em decorrência de um câncer de mama.[24]Seu corpo foi cremado no cemitério verde de Kensal ,Londres, e suas cinzas retornaram a Suécia.[25] A maior parte deles estava espalhada pelo mar em torno da ilhotas de Dannholmen,onde passou a maior parte dos verões de 1958 até sua morte em 1982.[7]

De acordo com o biógrafo Donald Spoto , ela foi "indiscutivelmente a estrela mais internacional na história do entretenimento".[11] Depois de sua estréia no cinema americano no filme Intermezzo: A Love Story (1939), co- estrelando Leslie Howard , Hollywood a viu como uma atriz única que era completamente natural em estilo e sem necessidade de maquiagem.[7]

O crítico de cinema James Agee escreveu que "ela não só tem uma semelhança assustadora com um ser humano imaginável, ela realmente sabe agir, em uma mistura de graça poética com realismo silencioso".[7][7] Bergman ganhou três prêmios da Academia por atuar, dois por Melhor Atriz e um por Melhor Atriz Coadjuvante.[9] Ela se classificou para o segundo lugar em termos de Oscar ganhou, com Walter Brennan (todos os três para Melhor Ator Coadjuvante), Jack Nicholson (dois para Melhor Ator e um para Melhor Ator Coadjuvante), Meryl Streep (dois para Melhor Atriz e um para Melhor Atriz Coadjuvante), e Daniel Day-Lewis (todos os três de Melhor Ator). Katharine Hepburn ainda mantém o recorde com quatro (todos para Melhor Atriz).[7][26]

Filmografia [1][editar | editar código-fonte]

Premiações[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c Ingrid Bergman (em inglês) no Internet Movie Database
  2. Internet Movie Database (em inglês) http:////www.imdb.com/list/dDJnyCS7U0c/ Verifique valor |url= (ajuda)  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  3. Internet Movie Database (em inglês). Imdb.com http://www.imdb.com/list/dDJnyCS7U0c/autor=Imdb  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  4. Miranda, Ulrika Junker; Anne Hallberg (2007). «Ingrid Bergman». Bonniers uppslagsbok (em sueco). Estocolmo: Albert Bonniers Förlag. p. 86. 1143 páginas. ISBN 91-0-011462-6 
  5. Ingrid Bergman (em inglês) no Find a Grave
  6. «The Official Ingrid Bergman Web Site» 
  7. a b c d e f g h i j k l m n o Chandler, Charlotte (2007). Ingrid: Ingrid Bergman, A Personal Biography. New York: Simon & Schuster. pp. 19, 21, 294. ISBN 0-7432-9421-1 
  8. «Ingrid Bergman's Lifelong Love Affair With the Jews» 
  9. a b c Erro de citação: Código <ref> inválido; não foi fornecido texto para as refs de nome LifeMag
  10. Selznick, David O. Memo from David O. Selznick," Selected and edited by Rudy Behlmer, Viking Press (1972), in letter dated 22 June 1939
  11. a b Thomson, David. The New Biographical Dictionary of Film, Alfred A. Knopf, N.Y. (2002)
  12. The Official Ingrid Bergman Website.
  13. Spoto, Donald. Notorious: The Life of Ingrid Bergman, HarperCollins (1997), p.300
  14. Adam J. Ledger. «Michael Chekhov». Literary Encyclopedia. The Literary Dictionary Company Limited. Consultado em 6 March 2007  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  15. «Steve Allen: The Mike Wallace Interview». Harry Ransom Center, University of Texas at Austin. 7 July 1957. Consultado em 5 November 2015  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  16. a b c Erro de citação: Código <ref> inválido; não foi fornecido texto para as refs de nome Bondanella
  17. «The American Film Institute Salute to Alfred Hitchcock». Internet Movie Database. Consultado em 23 October 2006  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  18. «1957 Academy Awards». Internet Movie Database. Consultado em 23 October 2006  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  19. "Is Ingrid the Greatest?", The Indianapolis Star, July 16, 1961
  20. Gary Moody. «All the Oscars: 1958». OscarSite.com – A celebration of all things Oscar. Consultado em 10 December 2006  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  21. «Ingrid Bergman profile». Cannes Film Festival. Consultado em 23 October 2006. Arquivado do original em 12 March 2006  Verifique data em: |acessodata=, |arquivodata= (ajuda)
  22. Leamer, Laurence (1986). As Time Goes By: The Life of Ingrid Bergman. [S.l.]: Harper & Row. ISBN 0-06-015485-3 
  23. «The Punch Line». Las Vegas Review-Journal. 26 August 2002. Consultado em 22 October 2006  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  24. Erro de citação: Código <ref> inválido; não foi fornecido texto para as refs de nome James
  25. Darrach, Brad (15 June 1987). «Gregory Peck». People. Consultado em 5 October 2015  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  26. Anna, Canoni. «Woody Guthrie's daughter». Interview 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikiquote Citações no Wikiquote
Commons Imagens e media no Commons
Precedida por:
Jennifer Jones
por The Song of Bernadette
Oscar de melhor atriz
por Gaslight

1945
Sucedida por:
Joan Crawford
por Mildred Pierce
Precedida por:
Anna Magnani
por The Rose Tattoo
Oscar de melhor atriz
por Anastasia

1957
Sucedida por:
Joanne Woodward
por The Three Faces of Eve
Precedida por:
Tatum O'Neal
por Paper Moon
Oscar de melhor atriz coadjuvante
por Murder on the Orient Express

1975
Sucedida por:
Lee Grant
por Shampoo
Precedida por:
Jennifer Jones
por The Song of Bernadette
Globo de Ouro de melhor atriz em filme dramático
por Gaslight

1945
Sucedida por:
Ingrid Bergman
por The Bells of St. Mary's
Precedida por:
Ingrid Bergman
por Gaslight
Globo de Ouro de melhor atriz em filme dramático
por The Bells of St. Mary's

1946
Sucedida por:
Rosalind Russell
por Sister Kenny
Precedida por:
Anna Magnani
por The Rose Tattoo
Globo de Ouro de melhor atriz em filme dramático
por Anastasia

1957
Sucedida por:
Joanne Woodward
por The Three Faces of Eve
Precedida por:
Jane Seymour
por East of Eden
Globo de Ouro de melhor atriz em minissérie ou filme para televisão
por A Woman Called Golda

1983
Sucedida por:
Ann-Margret
por Who Will Love My Children?