Nkisi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Inkice)
Ir para: navegação, pesquisa
Representação de inquice congolês no Museu Etnológico de Berlim
Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Nkisi

Inquice é o mesmo que orixá nos candomblés de Angola e do Congo.[1] No panteão dos povos de língua quimbunda originários do Norte de Angola, o deus supremo e criador é Nzambi ou Nzambi Mpungu; abaixo dele, estão os Minkisi ou Mikisi (plural do termo quimbundo Nkisi, "receptáculo"), divindades da mitologia banta.[2]

Etimologia[editar | editar código-fonte]

"Inquice" é um termo que provém da língua africana quimbundo.[3]

Brasil[editar | editar código-fonte]

Os principais Minkisi (plural de Nkisi) no Brasil são:

  • Aluvaiá, Pambu Njila, Vangira, Maviletanga : intermediário entre os seres humanos e o outros Minkisi, é ele quem percorre todos os caminhos e encruzilhadas. Sendo uma divindade guardiã, Pambu Njila protege a Inzo (casa). Senhor da fecundação. Em algumas casas de culto a essa divindade, há quem afirme a existência de uma divindade feminina no culto aos familiares de Pambu Njila, sendo ela denominada de Panjira ou Vanjira.
  • Nkosi, Roxo Mukumbi, Panzuá, Xauê: - Nkisi de guerra e Senhor das estradas de terra, Nkisi do ferro e da forja, senhor dos metais e patrono dos ferreiros. Mukumbi, Biolê, Buré, Xoroquê, Megê, Naruê são qualidades desta divindade Nkisi.
  • Mukongo: engloba as energias dos caçadores de animais, pastores, criadores de gado e daqueles que vivem embrenhados nas profundezas das matas, dominando as partes onde o sol não penetra.
  • Gongobira ou Ngongobila: caçador jovem e pescador.
  • Nzazi: Kambarangunange: - é o próprio raio e o fogo, senhor da justiça entre os seres humanos.
  • Luango: é intitulado o "Trovão branco"
  • Kavungo, Kafungê ou Kafunjê, Kingongo, Kafundeji: nkisi da varíola, das doenças de pele, da saúde e da morte.
  • Nsumbo: senhor da terra, também chamado de Ntoto pelo povo do Congo.
  • Hongolo ou Angorô (masculino) e Angoroméa ou Hangoloméia (feminino): auxilia na comunicação entre os seres humanos e as divindades (representado por uma serpente).
  • Kindembu conhecido como Tempo: rei de Angola. Senhor do tempo e estações. É representado nas casas Angola e Kongo por um mastro com uma bandeira branca.
  • Matamba, Bamburucenda, Nunvurusemavula: guerreira, senhora das tempestades, comanda os mortos (Nvumbe).
  • Ndanda Lunda: Divindade aquática, ela é Nda (do quimbundo) ou Ndanda e nobríssima de Lunda, por isso é chamada de Ndanda Lunda - Senhora da fertilidade, e da Lua, muito confundida com Hongolo e Kisimbi.[4]
  • Nvunji: o mais jovem do Nkisi, Senhora da justiça. Representa a felicidade de juventude e toma conta dos filhos recolhidos.

O Deus supremo e Criador é Nzambi ou Nzambi Mpungu; abaixo dele, estão os Jinkisi/Minkisi, divindades da mitologia bantu. Essas divindades se assemelham a Olorun e orixás da mitologia iorubá, e a Olorum e orixás do candomblé queto.

Cuba e República Dominicana[editar | editar código-fonte]

  • Palo ou Las Reglas de Congo (com suas vertentes Palo Monte, Palo Mayombe, Brillumba e Kimbisa, todas de origem congolesa)

Haiti e República Dominicana[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. FERREIRA, A. B. H. Novo dicionário da língua portuguesa. 2ª edição. Rio de Janeiro. Nova Fronteira. 1986. p. 949.
  2. The Arts of Africa, Dallas Museum of Art
  3. FERREIRA, A. B. H. Novo dicionário da língua portuguesa. 2ª edição. Rio de Janeiro. Nova Fronteira. 1986. p. 949.
  4. Ndanda Lunda
  5. simbi nkita e nkissi divindades
  6. Simbi, Nkita e Nkissi

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]