Inquérito estatístico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Merge-arrows 2.svg
Foi proposta a fusão deste artigo ou se(c)ção com Questionário. Pode-se discutir o procedimento aqui.
Editor, considere adicionar mês e ano na marcação. Isso pode ser feito automaticamente, com {{Fusão|1=Questionário|{{subst:DATA}}}}.
Wikitext.svg
Este artigo ou seção precisa ser wikificado (desde junho de 2009).
Por favor ajude a formatar este artigo de acordo com as diretrizes estabelecidas no livro de estilo.

Os inquéritos estatísticos são usados para recolher informação quantitativa nos campos de marketing, sondagens políticas, e pesquisa nas ciências sociais. Um inquérito pode incidir sobre opiniões ou informação factual, dependendo do seu objectivo, mas todos os inquéritos envolvem a ministração de perguntas a indivíduos. Quando as perguntas são colocadas por um pesquisador, o inquérito é chamado uma entrevista ou um inquérito ministrado por um pesquisador. Quando as questões são administradas pelo respondente, o inquérito é referido por questionário ou um inquérito auto-administrado.

O que é um questionário?

Um questionário é um instrumento de investigação que visa recolher informações baseando-se, geralmente, na inquisição de um grupo representativo da população em estudo. Para tal, coloca-se uma série de questões que abrangem um tema de interesse para os investigadores, não havendo interacção directa entre estes e os inquiridos.

Estrutura e padronização[editar | editar código-fonte]

As questões de um inquérito estão normalmente estruturadas e padronizadas. A estrutura pretende reduzir o enviezamento. Por exemplo, as questões devem ser ordenadas de tal forma que uma questão não influencie a resposta às questões subsequentes.

Os inquéritos são padronizados para assegurar a confiança, generalidade e a validade. Cada respondente deverá ser apresentado com as mesmas questões e na mesma ordem que os outros respondentes.

No desenvolvimento organizacional, inquéritos construídos cuidadosamente são muitas vezes usados como base para a colecta de dados, diagnóstico organizacional, e consequente planeamento de acção. Alguns mestres do DO (e.g. Fred Nickols) consideram mesmo que o desenvolvimento guiado de inquéritos é a "sine qua non" do DO.

Vantagens dos inquéritos[editar | editar código-fonte]

As vantagens dos inquéritos estatísticos incluem:

  • É uma forma eficiente de colectar informação de um grande número de respondentes. Grandes amostras são possíveis. Técnicas estatísticas podem ser usadas para determinar a validade, a fiabilidade e a significância estatística.
  • Os inquéritos são flexíveis no sentido em que uma grande variedade de informação pode ser recolhida. Eles podem ser usados para estudar atitudes, valores, crenças e comportamentos passados.
  • Porque eles estão padronizados, eles estão relativamente livres de vários tipos de erros.
  • São relativamente fáceis de ministrar.
  • Há uma economia da colecta dos dados devido à focalização providenciada por questões padronizadas. Apenas questões de interesse para o pesquisador são colocadas, gravadas, codificadas e analisadas. Tempo e dinheiro não são gastos em questões tangenciais.

Desvantagens dos inquéritos[editar | editar código-fonte]

As desvantagens dos inquéritos incluem:

  • Eles dependem da motivação dos sujeitos, sua honestidade, memória e capacidade de resposta. Os respondentes podem não estar conscientes das suas razões para qualquer determinada acção. Eles podem ter esquecidos as suas razões. Eles podem não estar motivados para dar respostas correctas, na verdade, eles podem estar motivados a fornecer respostas que os apresentem numa luz favorável.
  • Inquéritos não são apropriados para estudar fenómenos sociais complexos. O indivíduo não é a melhor unidade de análise nestes casos. Os inquéritos não dão um completo senso dos processos socias e a análise parece superficial.
  • Inquéritos estruturados, particularmente aqueles com repostas fechadas, podem ter baixa validade quando pesquisando variáveis afectivas.
  • As amostras de inquéritos são normalmente auto-escolhidas, e por isso amostras sem probabilidade das quais as características da população não podem ser inferidas.

Vantagens dos questionários auto-administrados[editar | editar código-fonte]

  • São menos caros que as entrevistas.
  • Não requerem um grande número de entrevistadores qualificados.
  • Podem ser ministrados em grande número, num curto espaço de tempo, num só lugar.
  • A anonimidade e privacidade encorajam respostas mais cândidas e honestas.
  • Não há enviesamento pelo entrevistador.
  • Rapidez de ministração e análise.
  • Possível de ser processada por computador.
  • Menor pressão nos respondentes

Vantagens das entrevistas administradas pelo pesquisador[editar | editar código-fonte]

  • Menos questões mal entendidas e respostas impróprias.
  • Menos respostas incompletas.
  • Maior taxa de respostas.
  • Maior controle sobre o ambiente no qual o inquérito é ministrado.

Construção das questões

Sempre que um investigador elabora e administra um inquérito por questionário, e não esquecendo a interacção indirecta que existe entre ele e os inquiridos, verifica-se que a linguagem e o tom das questões que constituem esse mesmo questionário, são de elevada importância. Assim, é necessário ser cuidadoso na forma como se formula as questões, bem como na apresentação do questionário.

Na elaboração de um questionário é importante, antes de mais, ter em conta as habilitações do público-alvo a quem ele vai ser administrado. É de salientar que o conjunto de questões deve ser muito bem organizado e conter uma forma lógica para quem a ele responde, evitando-as irrelevantes, insensíveis, intrusivas, desinteressantes, com uma estrutura (ou formato) demasiado confusos e complexos, ou ainda questões demasiado longas. Deve, o investigador, ter o cuidado de não utilizar questões ambíguas que possam, por isso, ter mais do que um significado, que por sua vez, levem a ter diferentes interpretações. Não deve incluir duas questões numa só (double-barrelled questions), pois pode levar a respostas induzidas ou nem sempre relevantes, além de não ser possível determinar qual das “questões” foi respondida, aquando o tratamento da informação. O investigador deve ainda evitar questões baseadas em pressuposições, pois parte-se do princípio que o inquirido encaixa numa determinada categoria e procura informação baseada nesse pressuposto. É também necessário redobrar a atenção ao formular questões de natureza pessoal, ou que abordem assuntos delicados ou incómodos para o inquirido. As questões devem ser reduzidas e adequadas à pesquisa em questão. Assim, elas devem ser desenvolvidas tendo em conta três princípios básico: o Princípio da clareza (devem ser claras, concisas e unívocas), Princípio da Coerência (devem corresponder à intenção da própria pergunta) e Princípio da neutralidade (não devem induzir uma dada resposta mas sim libertar o inquirido do referencial de juízos de valor ou do preconceito do próprio autor).

Métodos de inquérito[editar | editar código-fonte]

Há várias formas de administrar um inquérito, incluindo:

  • Telefone
    • taxa de respostas 40% - 60%
    • relativamente eficiente em termos de custo, dependendo dos custos das chamadas
    • bom para grandes amostras a nível nacional ou internacional
    • não pode ser usado para informação não áudio (gráficos, demonstrações, sabor/cheiro)
    • três tipos:
      • entrevista por telefone tradicional
      • discamento assistido por computador (computer assisted telephone dialing)
      • entrevista assistida por computador (computer assisted telephone interviewing - ver software CATI)
  • Correio
    • taxa de respostas 5% - 30%
    • o questionário pode ser entregue aos respondentes ou enviado por correio, mas em qualquer caso, eles retornam ao pesquisador via correio.
    • custo é muito baixo, uma vez que correio em massa é barato na maioria dos países.
    • grandes atrasos, por vezes de meses, antes de os inquéritos serem retornados e a análise estatística possa começar.
    • não apropriado para temas muito complexos
    • não há enviezamento introduzido pelo entrevistador
    • grandes quantidades de informação podem ser obtidas: alguns inquéritos por correio têm 50 páginas ou mais
    • as taxas de resposta podem ser melhoradas pelo uso de painéis de respondentes por correio
      • membros do painel concordaram em participar
      • paineis podem ser usados em desenhos longitudinais (longitudinal designs) onde os mesmos respondentes são inquiridos várias vezes
  • Inquéritos online
    • podem usar a internet ou e-mail
      • a internet é preferível ao e-mail porque formulários interactivos HTML podem ser usados
    • as taxas de respostas eram quase 90% antes de 2000, mas têm vindo a baixar desde então (hoje 30% - 60%)
    • muito barato
    • resultados muito rápidos
    • fácil de modificar
    • as taxas de respostas podem ser melhoradas usando painéis - membros dos painéis têm de concordar em participar
  • Inquérito pessoal em casa
    • os respondentes são entrevistados em pessoa, nas suas casas, (ou à porta de casa)
    • custos muito altos
    • taxa de resposta 40% - 50%
    • possível de fazer quando estão envolvidas também representações gráficas, cheiros, ou demonstrações
    • adequado para longos inquéritos
  • Inquérito por intercepção de passantes no shoping comercial
    • os passantes num centro comercial são interceptados - eles são entrevistados no local, levados para um quarto e entrevistados ou levados para um quarto onde preenchem um questionário auto-administrado
    • taxa de respostas é de cerca de 50%
    • socialmente aceitado - as pessoas acham que um centro comercial é um local mais apropriado do que as suas casas
    • potencial para enviesamento via entrevistador
    • rápido

Tácticas usadas para aumentar as taxas de resposta[editar | editar código-fonte]

  • brevidade - uma única página se possível
  • incentivos financeiros
    • pagos em avanço
    • pagos na termo
  • incentivos não monetários
    • brindes pecuniários (canetas, notepads)
    • bilhete de loteria, sorteio ou concurso
    • coupons de desconto
    • promessa de contribuição para uma obra de caridade
  • notificação preliminar
  • técnicas de pequenos passos (foot-in-the-door techniques) - começar com um pequeno pedido
  • personalização do pedido - dirigir-se a indivíduos específicos
  • pedidos de seguimento (follow-up requests)
  • afirmar afiliação com universidades, institutos de pesquisa ou caridades
  • apelos emocionais
  • ofertas de simpatia

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Em inglês