Instituto Estadual do Maranhão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão
IEMA
Fundação 14 de julho de 2003 (17 anos)(como UNIVIMA)
2 de janeiro de 2015 (6 anos) (como IEMA)
Tipo de instituição Pública
Mantenedora Bandeira do Maranhão.svg Governo do Estado do Maranhão
Localização São Luís, Maranhão (sede)
Reitor(a) Jhonatan Uelson Pereira Sousa de Almada
Página oficial www.iema.ma.gov.br

O Instituto Estadual de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IEMA) é uma autarquia estadual maranhense, vinculada à Secretaria de Estado da Educação, que oferece ensino médio, técnico e superior, contemplando também, de forma não dissociada, o ensino, a pesquisa e a extensão, na área tecnológica e no âmbito da pesquisa aplicada.

Sua estrutura física é composta por 13 campus (unidades plenas) e 12 polos (unidades vocacionais)[1].

Histórico[editar | editar código-fonte]

Anteriormente a instituição foi denominada Universidade Virtual do Maranhão (UNIVIMA), que havia sido criada pela Lei Estadual n° 7.934 de 14 de julho de 2003, sancionada pelo governador José Reinaldo Tavares. Estava vocacionada para o ensino virtual em nível técnico, universitário e de educação continuada na modalidade de educação a distância (EAD)[2].

Foi convertido em Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IEMA) por força da Medida Provisória nº 184, de 2 de janeiro de 2015, editada pelo governador Flávio Dino.[3]

A mesma MP definiu que todos os bens, os direitos e as obrigações da UNIVIMA passariam ao IEMA; bem como os servidores da UNIVIMA, que foram redistribuídos ao IEMA.[3]

O IEMA foi reorganizado pela Lei nº 10.385[4], de 21 de dezembro de 2015, com o intuito de ampliar a oferta de educação profissional técnica de nível médio no estado. A proposta é implantar o Instituto em 48 municípios até 2018, oferecendo à sociedade infra-estrutura, equipamentos e pessoal para o desenvolvimento da cursos de formação inicial e continuada, técnicos e tecnológicos, respeitando as necessidades locais e as prioridades estratégicas do Maranhão.

O IEMA também atua em parceria com prefeituras, associações, sindicatos e movimentos sociais chegando a 71 municípios em 2017.[5]

Em 2018, tornou-se a primeira escola pública do Maranhão a obter o título de Escola Associada da UNESCO. No mesmo ano, alunos do IEMA conquistaram 1.226 medalhas em olimpíadas nacionais e internacionais de conhecimento. O instituto também oferece programas de intercâmbio internacional aos estudantes, e de fluência em língua inglesa, cursos de formação inicial e continuada para os municípios mais pobres, oficinas de férias de reforço de conteúdos curriculares e incentivo à pesquisa científica. [6][7][8]

Unidades[editar | editar código-fonte]

O IEMA está organizado em Unidades Plenas e Unidades Vocacionais.[5]

Plenas[editar | editar código-fonte]

As Unidades Plenas (escolas de ensino médio técnico em tempo integral) em funcionamento são:

  • Axixá;
  • Bacabeira;
  • Coroatá;
  • Pindaré-Mirim;
  • São José de Ribamar;
  • São Luís (Centro);
  • São Luís (Itaqui-Bacanga)
  • Timon;
  • Santa Inês
  • Brejo
  • Presidente Dutra
  • Matões
  • Cururupu
  • São Vicente Férrer

Vocacionais[editar | editar código-fonte]

As Unidades Vocacionais atendem ao público geral, tanto jovens como adultos e ofertam: cursos técnicos profissionalizantes; de Formação Inicial e Continuada (FIC); além de oferecerem oficinas para quem deseja entrar no mercado de trabalho e aprimorar os conhecimentos profissionais. Estão em funcionamento em [9]:

  • Açailândia;
  • Bequimão;
  • Caxias;
  • Carolina;
  • Cintra (São Luís);
  • Codó;
  • Escola de Cinema (São Luís);
  • Estaleiro Escola (São Luís);
  • Imperatriz;
  • Pedreiras;
  • Pinheiro;
  • Praia Grande (São Luís);
  • Ribeirãozinho.

Centro de Educação Científica[editar | editar código-fonte]

Localizado na cidade de Caxias, busca promover a educação científica para os estudantes do ensino fundamental da rede pública e a formação continuada de professores. É uma parceria com o Instituto Santos Dumont-ISD e vinculado à Pró-Reitoria de Pesquisa, Extensão e Inovação do IEMA.[10]

Ensino à Distância (EAD)[editar | editar código-fonte]

Em abril de 2020, foi lançada a plataforma Maranhão Profissionalizado, com o objetivo de fornecer qualificação profissional em cursos online e gratuitos para o público geral, voltados para a área da Educação e para geração de emprego e renda.[11]

Reitores[editar | editar código-fonte]

  • Francisco Alberto Gonçalves Filho (1/01/2015 a 27/05/2015);
  • Ubirajara do Pindaré Almeida Sousa (27/05/2015 a 14/03/2016);
  • Jhonatan Uelson Pereira Sousa de Almada (14/03/2016 - presente)

Referências

  1. O IEMA. Instituto Estadual do Maranhão. 2017.
  2. Lei Estadual n° 7.934 de 14 de julho de 2003. Secretaria de Estado de Transparência e Controle – STC
  3. a b «Medida Provisória nº 184, de 2 de janeiro de 2015 - "Dispõe sobre a estrutura orgânica da Administração Pública do Poder Executivo do Estado do Maranhão e dá outras providências" - Realiza a Reforma Administrativa.» 🔗. Diário Oficial do estado do Maranhão - 02/01/2015. JusBrasil. Consultado em 20 de junho de 2016. Art. 10º. Ficam alteradas as denominações das seguintes órgãos, entidades e Secretarias de Estado: VII - Universidade Virtual do Maranhão - UNIVIMA para Instituto Estadual de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão, IEMA 
  4. Lei nº 10.385. Instituto Estadual do Maranhão. 2016.
  5. a b «O IEMA – IEMA». www.iema.ma.gov.br. Consultado em 8 de novembro de 2018 
  6. «Escola Associada da UNESCO – IEMA». www.iema.ma.gov.br. Consultado em 8 de novembro de 2018 
  7. «Com títulos inéditos, alunos do Iema somam mais de 1.200 medalhas em olimpíadas do conhecimento em 2018 | Governo do Estado do Maranhão». www.ma.gov.br. Consultado em 11 de novembro de 2018 
  8. «IEMA». www.iema.ma.gov.br. Consultado em 11 de novembro de 2018 
  9. «IEMA lança edital com mais de 2.000 vagas para cursos profissionalizantes – IEMA». Consultado em 15 de junho de 2020 
  10. «Centro de Educação Científica – IEMA». www.iema.ma.gov.br. Consultado em 11 de novembro de 2018 
  11. «Maranhão Profissionalizado». web.iema.ma.gov.br. Consultado em 15 de junho de 2020