Instituto Geral de Perícias do Rio Grande do Sul

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde abril de 2013). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

O Instituto-Geral de Perícias (IGP) é o órgão da segurança pública do Estado do Rio Grande do Sul que tem como função coordenar e realizar as perícias médico-legal, papiloscópicas e criminalísticas. Tem sua criação na Constituição do RS (artigo 139-A) e organização através da Lei Complementar nº 10.687, de 09 de janeiro de 1997.


Instituto Geral de Perícias
Visão geral
Nome completo Instituto Geral de Perícias do Rio Grande do Sul
Tipo Polícia Científica
Subordinação Secretaria de Segurança Pública - SSP/RS
Estrutura operacional
Sede Rua Voluntários da Pátria, 1358
Porto Alegre, Centro -  Rio Grande do Sul
Website www.igp.rs.gov.br
Portal da polícia
editar

Desempenha suas atividades com autonomia administrativa e funcional, de forma desvinculada da Polícia Civil do Estado, como na maioria dos Estados brasileiros. Em 1989 o Rio Grande do Sul, através de sua Constituição, inovou ao adotar a autonomia administrativa e técnica do IGP, que tem servido como exemplo de uma perícia científica de elevado padrão tecnológico.

Como todos profissionais que fazem a gestão do órgão são profissionais do quadro em sua maioria peritos possuem o conhecimento necessário para conduzir um órgão tão complexo devido a sua multidisciplinariedade.

Os peritos realizam atividades que buscam esclarecer a verdade dos fatos em diversos momentos do processo , ou seja, atuam na investigação com a polícia civil, e em qualquer momento do processo respondendo questionamentos da acusação por parte do Ministério Publico, da defesa e do Judiciário .

O processo constante de evolução da perícia gaúcha tem motivado vários estados a reestruturarem seus órgãos periciais desvinculando-os da polícia , trazendo assim mais isonomia a prova técnica .

Com previsão de entrega em 2018, em 2017 iniciou-se a construção do centro de excelência em perícias do RS (novo IGP), um prédio de 7 andares com 12 mil metros quadrados exclusivo para as atividades periciais, com laboratórios de última geracão em um projeto revolucionário integrando diferentes áreas da criminalística, identificação humana e medicina-legal.

Corresponde à Polícia Científica de outros Estados e é subordinado diretamente à Secretaria de Segurança Pública do Estado, trabalhando em estreita cooperação com a Brigada Militar e a Polícia Civil.

O IGP é formado por cinco departamentos, os quais possuem sedes em diversos municípios do Estado:

  • Departamento Médico-Legal (DML)
  • Departamento de Identificação (DI)
  • Departamento de Criminalística (DC)
  • Departamento de Perícias Laboratoriais (DPL)
  • Departamento de Perícias do Interior (DPI)

Seu quadro de servidores efetivos é composto pelas seguintes funções, conforme a Lei nº 14.519/2014:

  • Peritos Criminais - nas várias especialidades, são os responsáveis pelo exame dos locais de crime e pelas análises forenses laboratoriais.
  • Peritos Médicos-Legistas - responsáveis pelas necrópsias e pelos exames de corpo de delito.
  • Papiloscopistas - responsáveis pela identificação humana por impressões digitais e por identificações civil, criminal ou post-mortem.
  • Fotógrafos Criminalísticos - responsáveis pelo registro fotográfico em locais de crime e representação facial humana.
  • Técnicos em Perícias - exercem as atividades de apoio em necropsias e em locais de crime.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]