Instituto Histórico e Geográfico de Montes Claros

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox grammar.svg
Esta página ou secção precisa de correção ortográfico-gramatical.
Pode conter incorreções textuais, podendo ainda necessitar de melhoria em termos de vocabulário ou coesão, para atingir um nível de qualidade superior conforme o livro de estilo da Wikipédia. Se tem conhecimentos linguísticos, sinta-se à vontade para ajudar.

O Instituto Histórico e Geográfico de Montes Claros - "Casa de Simeão Ribeiro Pires" - é a entidade cuja finalidade é a promoção e a difusão de conhecimentos de história, geografia e ciências afins, no município brasileiro de Montes Claros e da região norte do estado de Minas Gerais, bem como também no "fomento da cultura, a defesa e a conservação do patrimônio histórico, artístico e cultural", fundado em 27 de dezembro de 2006, idealizado pelos pesquisadores Dário Teixeira Cotrim, Haroldo Lívio de Oliveira, Luís Ribeiro e Wanderlino Arruda.[1]

Histórico e publicação[editar | editar código-fonte]

A instituição teve seu germem entre membros da Academia Montesclarense de Letras que laborando na pesquisa histórica e geográfica no Norte Mineiro e do Sudoeste Baiano, decidiram criar a nova instituição. Na data de sua fundação reuniram-se em casa de Wanderlino Arruda, além do próprio, os seguintes membros-fundadores: Yvonne de Oliveira Silveira, Zoraide Guerra David, Juvenal Caldeira Durães, Gy Reis, Luiz Ribeiro, Dário Cotrim, Haroldo Oliveira e Amelina Chaves.[2]

Para tanto contou-se com apoio e orientação do Instituto Histórico e Geográfico de Minas Gerais através de seus membros Marco Aurélio Baggio, Fernando Antônio Xavier Brandão e Jorge Lasmar, também presentes na sua instalação.[2]

Teve por sua primeira diretoria composta por Luiz de Paula Ferreira (Presidente de Honra), Wanderlino Arruda (Presidente), Dário Cotrim (1º Vice-Presidente), Haroldo Lívio de Oliveira (2º Vice-Presidente), Marta Verônica V. Leite (Diretora Executiva), Petrônio Braz (Diretor Secretário), Lázaro Francisco de Sena (Diretor-Secretário Adjunto), Juvenal Caldeira Durães (Diretor de Finanças), Hélio de Morais (Diretor de Finanças Adjunto), Regina Maria Barroca Peres (Diretora de Protocolo), Raquel Veloso Mendonça (Diretora Cultural), Amelina Chaves (Diretora de Biblioteca), Milene A. C. Maurício (Diretora de Museu), Itamaury Telles de Oliveira (Diretor de Relações Públicas) e Luiz Ribeiro (Diretor de Jornalismo). Este quadro social coordenou a instalação da instituição no seu primeiro biênio, tendo sido reeleito para o biênio seguinte.[1]

O Instituto, que tem por lema "Labor omnia vincit", publica uma Revista que reúne artigos de seus membros efetivos e correspondentes. É responsabilidade de uma Comissão, integrada por sete de seus membros.[1]

Membros efetivos e correspondentes[editar | editar código-fonte]

O IHGMC possui cem membros efetivos, com suas respectivas Cadeiras e Patronos; os membros correspondentes não têm número limitado e eram, em 2009, um total de vinte e nove membros.[1]

Referências

  1. a b c d IHGMC (2009). «Créditos e histórico». Montes Claros: ed. Millenium. Revista do Instituto Histórico e Geográfico de Montes Claros. IV. 232 páginas 
  2. a b IHGMC (2007). «Créditos e histórico». Montes Claros: ed. Millenium. Revista do Instituto Histórico e Geográfico de Montes Claros. IV. 196 páginas 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]