Instituto Ipsos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Instituto Ipsos
Indústria Instituto de pesquisas
Fundação 1975
1997 (no Brasil)
Sede Paris
Área(s) servida(s) Mundo
Locais Mundo
Empregados 16.000
Website oficial Ipsos França
Ipsos Brasil

Instituto Ipsos é a terceira maior empresa de pesquisa e de inteligência de mercado do mundo. Fundada na França em 1975, a Ipsos conta hoje com 16.000 funcionários e está presente em 87 países, incluindo o Brasil.[1]

Impeachment[editar | editar código-fonte]

Segundo pesquisas do Ipsos, em 1º de fevereiro de 2016, 60% dos brasileiros apoiam o processo de impeachment de Dilma Rousseff[2]

A pesquisa também constatou que a gestão da presidente Dilma é considerada ruim ou péssima por 79% dos entrevistados. Já 15% a classificaram como regular e apenas 5% como ótima ou boa.[2]

Lava Jato[editar | editar código-fonte]

De acordo com Ipsos, 1º de fevereiro de 2016 apontou que cerca de 8 em cada 10 brasileiros são favoráveis a continuidade da Operação Lava Jato até o fim das investigações, mesmo que isso gere instabilidade política no país. A pesquisa ouviu 1.200 pessoas durante o ano de 2015.[3]

Para o presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), Luís Antônio Boudens, essa percepção dos entrevistados em relação à Lava Jato mostra o quanto a população precisa de uma solução para a corrupção. “A atuação dos agentes federais no combate à corrupção atraiu a atenção da sociedade e isso se reflete na confiança e credibilidade que recebe da população”.[3]

Outras pesquisas[editar | editar código-fonte]

Uma pesquisa nacional do Instituto Ipsos em parceria com a Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio-RJ), demonstra o crescimento de hábitos culturais nos brasileiros nos últimos oito anos. Foram ouvidos 1.200 consumidores em 72 municípios de todo o país entre os dias 2 e 14 de dezembro de 2015. O número de pessoas que disseram ter ido ao cinema e ao teatro cresceu 100%, passando de 17%, em 2007, para 35%, em 2015, e de 6% para 12%, na mesma comparação, mostra a pesquisa.[4]

Em uma outra pesquisa, desta vez realizada pelo Ipsos MORI, o Brasil foi eleito o 3º (terceiro) país mais ignorante do mundo, ficando atrás apenas do México e da Índia, primeiro e segundo lugar, respectivamente. No estudo denominado Perils of Perception (Perigos da Percepção), realizado com 33 países, foram feitas 12 perguntas, tais como "Qual a porcentagem de imigrantes no seu país?" e "Qual a porcentagem de brasileiros com acesso à internet", e depois comparou-se as respostas com os dados reais. A pesquisa foi feita entre os dias 1 e 16 de outubro, e participaram dela cerca de 1000 brasileiros. Por outro lado, o país com a população mais consciente sobre a realidade do seu país foi a Coréia do Sul, seguida pela Irlanda e pela Polônia, respectivamente.[5]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Ipsos Brasil - Institucional». Ipsos. Consultado em 8 de março de 2016 
  2. a b Inaldo Sampaio. «Pesquisa do Ipsos revela que 60% dos brasileiros apoiam o impeachment». CBN. Consultado em 8 de março de 2016 
  3. a b «Brasileiros querem a continuidade da Operação Lava Jato até o fim das investigações». FENAPEF - Federação dos Policiais Federais. 2 de fevereiro de 2016. Consultado em 8 de março de 2016 
  4. Agência Brasil (27 de fevereiro de 2016). «Brasileiros passam a frequentar mais cinemas e teatros, diz pesquisa». Consultado em 8 de março de 2016 
  5. GERMANO, Felipe (14 de dezembro de 2015). «Brasil é o terceiro país mais ignorante do mundo». Ideias. Guia do Estudante. Consultado em 30 de setembro de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]