Instituto de Virologia de Wuhan

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Instituto de Virologia de Wuhan
Wuhan Institute of Virology main entrance.jpg
História
Fundação
Quadro profissional
Tipo
Sede social
País
Coordenadas
Organização
Organização mãe
Website

O Instituto de Virologia de Wuhan é um instituto de pesquisa sobre virologia administrado pela Academia Chinesa de Ciências e encontra-se localizado no distrito de Jiangxia, em Wuhan. Em 2015, foi aberto neste instituto o primeiro laboratório de biossegurança de nível 4 na China continental.[1]

Centros de investigação[editar | editar código-fonte]

O Instituto possui os seguintes centros de investigação:

  • Centro de enfermidades infecciosas emergentes;
  • Centro de Recursos de Vírus e Bioinformática da China;
  • Centro de Microbiologia Aplicada e Ambiental;
  • Departamento de Bioquímica Analítica e Biotecnologia;
  • Departamento de Virologia Molecular.

Suspeita do novo coronavírus ter se originado no Instituto[editar | editar código-fonte]

Há rumores de que o Instituto foi a origem da pandemia de COVID-19 como resultado de alegações de pesquisa com armas biológicas,[2] conceito que alguns especialistas dos Estados Unidos rejeitaram, observando que o Instituto não era adequado para pesquisas com armas biológicas, que a maioria dos países abandonou as armas biológicas por serem infrutíferas e que não havia evidências de que o vírus fosse geneticamente modificado.[3] Em fevereiro de 2020, o especialista em vírus e investigador líder mundial em coronavírus Trevor Bedford observou que "a evidência que temos é que as mutações no vírus são completamente consistentes com a evolução natural". Por outro lado, mesmo antes do início da pandemia, alguns virologistas questionaram se experimentos anteriores sobre a criação de novos coronavírus em um laboratório (realmente feitos) justificavam o risco potencial de liberação acidental.[4]

Durante uma entrevista coletiva na Casa Branca em 15 de abril de 2020, o presidente norte-americano Donald Trump disse que o governo dos EUA está tentando determinar se o vírus COVID-19 emanou do Instituto. O presidente disse que estava ciente dos relatórios e disse: "Estamos fazendo um exame muito minucioso dessa situação horrível que aconteceu". Também em uma entrevista à Fox News, o secretário de Estado Mike Pompeo disse: "sabemos que esse vírus se originou em Wuhan, na China" e que o Instituto de Virologia de Wuhan fica a apenas alguns quilômetros do mercado de animais suspeito de ter sido onde se originou o vírus SARS-CoV-2.[5]

Também em abril de 2020, o descobridor do HIV e ganhador do Prêmio Nobel de Medicina de 2008, Luc Montagnier afirmou que o novo coronavírus foi fabricado acidentalmente no laboratório chinês de Wuhan.[6]

No entanto, em 18 de abril de 2020, o Instituto negou as acusações e informou que nenhum de seus funcionários foram contaminados.[7]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências