Internacional (álbum)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Internacional
Álbum de estúdio de Sandy & Junior
Lançamento 4 de junho de 2002 (2002-06-04)
Gravação 2001
Gênero(s)
Duração 46:13
Idioma(s)
  • Inglês
  • espanhol
  • francês
  • português
Formato(s)
Gravadora(s) Universal Music
Produção
  • Simon Franglen
  • Steve Robson
  • Tony Swain (exec.)[3]
Cronologia de Sandy & Junior
Sandy & Junior
(2001)
Ao Vivo no Maracanã
(2002)
Singles de Internacional
  1. "Love Never Fails"
    Lançamento: 11 de junho de 2002 (2002-06-11)
  2. "Words Are Not Enough"
    Lançamento: 23 de setembro de 2002 (2002-09-23)

Internacional é o décimo álbum de estúdio da dupla brasileira Sandy & Junior, lançado em 4 de junho de 2002 pela Universal Music. O álbum foi lançado em diversas regiões sob o título Sandy & Junior. O projeto contou com alguns dos produtores mais requisitados da época, com o intuito de expandir o sucesso da dupla e capitalizar o sucesso do teen pop que era produzido no final da década de 1990 e início dos anos 2000.[1] Sua sonoridade também incorpora dance-pop e R&B, enquanto as letras das canções exploram temas como amor e relacionamentos através de uma perspectiva adolescente.[1]

Após o lançamento de álbuns e turnês bem-sucedidos no Brasil, Sandy e Junior foram creditados por abrir caminho para uma onda de pop adolescente no País no final da década de 1990 e início dos anos 2000.[4] Max Hole, então diretor de marketing da Universal Music na Inglaterra, se interessou pela dupla e propôs que eles expandissem seu sucesso a nível mundial. As conversas começaram em 2000 e, em meados de 2001, a dupla viajou a Los Angeles para gravar dois álbuns: um em língua portuguesa, lançado no mesmo ano, e o outro composto por canções em inglês. As canções originalmente gravadas em inglês, mas não todas, também tiveram versões em espanhol, francês e português.

A Universal Music investiu uma grande quantidade de esforço e capital para que a dupla fizesse turnês de divulgação pela Europa e América Latina durante os anos de 2002 e 2003. O primeiro single do álbum, "Love Never Fails" (que também teve versões em espanhol, francês e português), experimentou sucesso moderado em alguns países da América Latina e Europa. O álbum foi certificado com platina no Brasil e ouro em Portugal. O álbum foi recebido com avaliações negativas pelos críticos brasileiros, que acusaram falta de personalidade no projeto. No entanto, algumas publicações estrangeiras elogiaram o álbum. Embora parte da mídia tenha noticiado que os irmãos falharam em tentar conquistar outros mercados,[5] tanto os cantores quanto a Universal Music viam a consolidação internacional como um "projeto a longo prazo".[6] A promoção do álbum terminou em 2003, e Sandy e Junior citaram motivos pessoais para o encerramento precoce das atividades de divulgação.

Antecedentes e desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

No final da década de 1990, Sandy e Junior estavam fazendo a transição de cantores mirins para ídolos adolescentes da música pop.[4] Eles foram creditados por liderar uma onda de artistas adolescentes no Brasil durante esse período e o início da década seguinte[4] e, tendo vendido mais de 10 milhões de álbuns àquela altura,[7] a gravadora Universal Music resolveu investir na carreira internacional da dupla, que até então havia experimentado apenas versões em português de canções de artistas estrangeiros como Savage Garden, Celine Dion, Bee Gees e Whitney Houston. No álbum anterior, a dupla chegou a gravar "Endless Love", mas dessa vez na sua versão original, em inglês, e a canção foi tida como uma prévia do trabalho internacional, que viria a seguir.[8] A iniciativa de lançar a dupla no mercado internacional foi de Max Hole, que era diretor de marketing da Universal Music da Inglaterra. Em 2000, ele viajou ao Brasil para se encontrar com Sandy e Junior e assistiu a um show da turnê Quatro Estações.[9] Sandy e Junior gravaram 12 canções em inglês em meados de 2001, em estúdios de Miami e Los Angeles.[10][11] O investimento no álbum foi de 1 milhão de dólares e cinco produtores foram contratados, incluindo Simon Franglen, Steve Robson, Tony Swain e Moogie Canazio.[3][8] A chamada "operação Sandy e Junior", da Universal, previa que seria necessário investimento de US$ 1,5 milhão para transformar os irmãos em estrelas internacionais.[12] O empresário responsável pela carreira internacional do duo foi Richard Ogden.[13] Em outubro de 2001, Sérgio Martins, da Veja, comentou sobre os preparativos para a estreia da dupla no seguimento do teen pop internacional e afirmou que "o mercado para cantores e dançarinos adolescentes" estava dando "sinais de saturação" em países como Estados Unidos.[8] José Teles, do Jornal do Commercio, escreveu em outubro de 2001:

[...] depois do advento dos irmãos Sandy & Junior, o show business brasileiro não pode ser mais o mesmo. Houve dezenas de ídolos infanto-juvenis no Brasil, mas nenhum com o profissionalismo, talento e competência dessa moça de 18 anos e seu irmão de 17, cujo fanatismo que despertam lembra os tempos da beatlemania, ou mais recentemente, a menudomania. Só um acidente de percurso evitará que Sandy & Junior tornem-se superastros do valioso mercado hispânico, nas três Américas.[14]

Para gravar seu primeiro álbum em inglês, o envolvimento da dupla com a língua inglesa foi grande desde o fim das gravações da novela Estrela-Guia (2001). A Universal Music chegou a mandar uma preparadora vocal norte-americana para passar 15 dias com Sandy e Junior em Campinas falando inglês o tempo todo. Apesar disso, os dois já dominavam o idioma.[15] Os irmãos também falaram sobre a experiência de gravar versões em espanhol, francês e português para algumas faixas: "Cada idioma é único. O idioma influencia muito as canções e faz com que elas soem diferentes em cada língua." Eles tiveram mais facilidade para gravar em espanhol e, de forma geral, não acharam confusa a experiência de gravar em diversas idiomas num curto período de tempo.[13] "Tem sido tão emocionante trabalhar com pessoas que nunca pensamos vir a conhecer, como a Dianne Warren", afirmou Junior; "Sim, sou uma grande fã dela, por isso foi um momento emocionante. Ela é demais, e muito divertida", acrescentou Sandy.[16]

A sonoridade do álbum incorpora pop, dance-pop[1] e R&B,[2] enquanto as letras das canções abordam temas como amor e relacionamentos de um ponto de vista dos adolescentes.[1] Cinco das canções do álbum foram gravadas por outros artistas anteriormente, sendo elas: "Love Never Fails" (pela cantora Kathie Lee Gifford em 2000 no seu álbum The Heart of a Woman), "Words are not Enough" (pela banda inglesa Steps em 2001), "Don't Say You Love Me" (pelo grupo The Corrs em 1997 no seu álbum Talk On Corners), "We've Only Just Begun" (pela dupla The Carpenters em 1970 no álbum Close to You) e "Whenever You Close Your Eyes" (pelo cantor Tommy Page em 1991 no seu álbum From The Heart).

Lançamento e divulgação[editar | editar código-fonte]

Sandy e Junior comentaram o desafio de gravar e divulgar as canções em diferentes países com diferentes idiomas:

"Eu não tenho dificuldade para aprender outras línguas, mas a Sandy é impressionante! [...] [Ela] chega num país, conversa com as pessoas no caminho, anota e aprende. Na Alemanha, ela saiu falando umas frases e o público adorou. E eu tenho que correr atrás né, para não parecer antipático." —Junior
"Fomos fazer um show no México e tínhamos que cantar em espanhol. Na primeira música, comecei a cantar em francês! Quando me dei conta, mudei rapidamente e continuei em espanhol. Mas todo mundo percebeu que a gente estava confuso e foi uma gargalhada geral." —Sandy[17]

O álbum foi lançado em junho de 2002.[18] Para a divulgação, viagens por diversos países foram marcadas. Na Alemanha, a dupla chegou a apresentar-se no programa para adolescentes The Dome e na versão alemã do Top of the Pops, onde cantaram com banda e dançarinos "Love Never Fails" (duas vezes), além de "Words Are Not Enough". Concederam entrevistas para jornais e revistas, bem como para rádios do país (como a RTL 2). Seguindo o curso, a dupla dirigiu-se para a Espanha, participaram do programa Musica 3 TV onde performaram "El Amor No Fallara" e "Convence Al Corazon". Completando a série de apresentações na TV do país, apresentaram-se no A Tu Lado, MTV España, Nickelodeon España, Musica Si (onde cantaram "Convence Al Corazon"). Também houve entrevistas para a Radio Club 25 e a estação de rádio Marca. A dupla seguiu então para a Suiça (onde fizeram um acústico de algumas canções num jantar do European MD's) e Porto Rico.[19] Outros países visitados foram Portugal, Chile[20] e México. No Chile, Sandy e Junior se apresentaram no Festival Internacional da Canção de Viña del Mar, onde Sandy recebeu o título de Miss Simpatia através de uma votação feita por jornalistas do festival.[21] Após a passagem pelo Chile em fevereiro de 2003, eles voltaram a divulgar o disco na Europa, conforme noticiou Ancelmo Gois, d'O Globo, na época.[22] O disco foi lançado com faixas diferentes em várias partes do mundo. Em 2003, a Universal Music resolveu lançar todas as faixas não lançadas no Brasil no CD 2 do álbum Ao Vivo no Maracanã, excluindo apenas remixes em espanhol e em francês.[23]

Na época em que Sandy e Junior voltaram ao Brasil para fazer um show no estádio do Maracanã, em outubro de 2002, parte da mídia já os acusava de terem falhado em tentar conquistar outros mercados.[5] Apesar disso, tanto a Universal Music quanto Sandy e Junior esperavam resultados "sólidos" à longo prazo.[5][17] Posteriormente, Sandy disse que "[a carreira internacional] foi um passo que nem sonhávamos dar, mas recebemos convites e fomos levando. A coisa foi acontecendo e, quando vimos, estávamos fazendo divulgação na Espanha, na Itália, na Alemanha, na América Latina. Foi muito bacana. A gente nem chegou a lançar CD na maioria dos países."[24]

Apesar dos irmãos terem alegado que voltariam a divulgar o álbum após o lançamento de um disco em português e a gravação de um filme,[25] sua promoção foi interrompida em meados de 2003, por causa da "pressão de trabalhar fora, longe de casa, dos pais e dos amigos", disse Junior.[26] Um dos próximos passos seria divulgar o álbum nos Estados Unidos, mas isso nunca aconteceu.[26]

"Tem gente que encara como mais um passo na carreira e tem quem ache que é a chance da vida. Mas comigo foi o oposto, e foi por isso que eu parei. Meio que fui sendo levada. A Universal de Londres estava de olho. Foi uma decisão em que não tive tempo para pensar e amadurecer. Quando ví, estava lá. Era muito jovem, estava num turbilhão de trabalhos. Tive que me virar em três: programa na Globo, novela, terminando a escola. Fomos disco de ouro em Portugal, cantei em francês, ficamos no top 10 na Espanha, em primeiro lugar na MTV Itália... Meu Deus, hoje olho para trás e não sei como dei conta de tudo isso. Sou uma só, estou satisfeita com minha carreira no Brasil. E eu não quero viver só para trabalhar, quero desfrutar das coisas que a carreira me traz. Minha vida é aqui."
—Sandy falando sobre a carreira internacional da dupla em entrevista para a Billboard Brasil, em 2010.[27]

Singles[editar | editar código-fonte]

Carro-chefe do projeto, "Love Never Fails" - que teve versões em espanhol, francês e português - atingiu o número um no Brasil,[28] top dez em Portugal,[29] Chile[30] e Venezuela[31] e top vinte na Espanha[32] e México,[33] enquanto seu videoclipe culminou a parada de videoclipes da MTV Itália.[34] A versão em espanhol também experimentou sucesso na Colômbia e Argentina.[35] A versão em espanhol do segundo single, "Words Are Not Enough", atingiu o top dez no Chile.[30]

Recepção da crítica[editar | editar código-fonte]

Críticas profissionais
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
AllMusic 3 de 5 estrelas.[2]
CliqueMusic 2 de 5 estrelas.[1]
O Globo Desfavorável[36]
Billboard Favorável[37]
IstoÉ Gente 2 de 5 estrelas.[18]

As avaliações da crítica especializada foram mistas. Drago Bonacich, do site americano Allmusic, definiu o álbum como: "todo R&B e Pop Latino, com performances refinadas e sentimentais".[2] Marco Antonio Barbosa, do site brasileiro CliqueMusic, fez uma crítica negativa ao lançamento e elegeu We've Only Just Begun, como "o destaque do álbum, ainda que meio comprometida pelo arranjo padronizado".[1] Antônio Carlos Miguel, do jornal O Globo fez uma crítica negativa, ressaltando: "Falta identidade, numa sucessão de baladas e canções dançantes que abusam de clichês desse gênero".[36] Leila Cobo da revista Billboard americana, fez uma crítica favorável ao disco, ressaltando que o uso de instrumentos acústicos deu ao álbum um som mais intimista, ainda acrescentando: "Tudo é prazeroso, belamente feito e totalmente mainstream".[38] Mauro Ferreira da revista IstoÉ Gente, fez uma crítica desfavorável ao disco, dizendo "o som da dupla é açucarado e chatinho. Sandy desperdiça sua voz afinada em baladas previsíveis como “When You Need Somebody” e “Don’t Say You Love Me”. Mas o pior são faixas como “Must Be Magic”, quando a dupla tenta entrar na batida dançante de musas adolescentes como Britney Spears."[18]

Desempenho comercial[editar | editar código-fonte]

O álbum chegou a ficar em primeiro lugar entre os CDs mais vendidos do Rio de Janeiro e na quarta posição em São Paulo, na lista da revista ISTOÉ Gente.[39] Alguns veículos de comunicação divulgaram que o CD teria vendido 350 mil cópias[12], outros 500 mil[36][40][41], enquanto outros dizem cerca de 700 mil cópias apenas no Brasil[42][43], no entanto o álbum ganhou disco de platina, por vendas superiores a 250 mil cópias, segundo a Pro-Música Brasil (PMB).[44] Internacional foi o nono álbum mais vendido de 2002 no Brasil, segundo a PMB.[45] Em apenas um mês, o CD já era Disco de Ouro em Portugal.[23] O álbum foi o 21º mais vendido de Portugal em 2002, segundo a Associação Fonográfica Portuguesa (AFP).

Faixas[editar | editar código-fonte]

N.º TítuloCompositor(es)Produtor (es) Duração
1. "Love Never Fails"  J. M. Pederson; K. Dahlgaard; J. Morrison; J. VoughnJam; Delgado; Simon Franglen 3:36
2. "Words Are Not Enough"  P. Nylen; A. CarlssonSimon Franglen 3:18
3. "Right Thing To Do"  J. Kask; S. Solomon; P. MansonSteve Robson 3:41
4. "When You Need Somebody"  Steve Robson; P. Kearney; D. JosephSteve Robson 3:59
5. "Don't Say You Love Me"  C. Bayer Sager; J. Corr; A. CorrSimon Franglen 4:36
6. "Precious Time"  P. Nylen; A. ThompsonSimon Franglen 3:28
7. "Must Be Magic"  B. Spalter; M. Norfleet; R. Nevil; E. NuriBradley Spalter 3:11
8. "We've Only Just Begun"  R. Nichols; P. WilliamsSimon Franglen 3:33
9. "Don't Run Away With My Heart"  J. M. Pederson; K. Dahlgaard; M. Jay; G. ChambersJam & Delgado 3:50
10. "This Is Me"  J. M. Pederson; K. Dahlgaard; C. BraideJam & Delgado 4:04
11. "Whenever You Close Your Eyes"  D. Warren; M. BoltonSimon Franglen 4:43
Duração total:
46:13

Turnê[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Sandy & Junior 2002

Desempenho nas tabelas musicais[editar | editar código-fonte]

Vendas e certificações[editar | editar código-fonte]

Região Certificação Vendas
Brasil (Pro-Música Brasil)[44] Platina 700,000[43]
Portugal (AFP)[24][43][48] Ouro 20,000[24][43][48]

Referências

  1. a b c d e f g Marco Antonio Barbosa (2002). «Crítica: Álbum Internacional da dupla Sandy e Junior (Cliquemusic)». cliquemusic.uol.com.br. Consultado em 29 de Agosto de 2012. Cópia arquivada em 14 de janeiro de 2018 
  2. a b c d Drago Bonacich (2002). «Critica do álbum Internacional da dupla Sandy & Junior (Allmusic)». AllMmusic. Consultado em 29 de Agosto de 2012 
  3. a b Créditos do álbum no AllMusic
  4. a b c Cardoso, Tom (27 de dezembro de 2000). «Brasil aprende a fabricar suas próprias estrelas teen». UOL HOST. CliqueMusic. Consultado em 3 de abril de 2018. Cópia arquivada em 13 de outubro de 2013 
  5. a b c «Sandy & Junior serão os primeiros artistas brasileiros a terem o Maracanã só para eles». Imirante.com. 2002. Consultado em 26 de junho de 2018. Cópia arquivada em 2 de outubro de 2017 
  6. «Sandy e Junior falam sobre filme e carreira internacional». UOL. Consultado em 5 de novembro de 2015. Cópia arquivada em 1 de agosto de 2017 
  7. André Bernardo (11 de março de 2001). «A estrela sobe». UOL HOST. O Mossoroense. Consultado em 29 de julho de 2018. Cópia arquivada em 5 de novembro de 2013 
  8. a b c Sérgio Martins (31 de outubro de 2001). «Vai dar certo? Os preparativos da dupla Sandy & Junior para o lançamento no mercado americano». Revista Veja. Consultado em 29 de Agosto de 2012. Cópia arquivada em 14 de maio de 2008 
  9. «On The Road to Rio». Billboard. Google Books. 16 de dezembro de 2000. Consultado em 28 de abril de 2018 
  10. Agência Lusa (16 de junho de 2002). «Sandy e Junior vão a Portugal lançar 1º CD da carreira internacional». UOL HOST. Folha de S.Paulo. Consultado em 28 de abril de 2018 
  11. «Sandy e Júnior ensaiam carreira internacional». O Estado de S. Paulo. 14 de maio de 2002. Consultado em 1 de maio de 2017 
  12. a b RICARDO FELTRIN (31 de julho de 2002). «Carreira internacional de Sandy e Jr. breca com dólar alto e venda fraca». Folha de S. Paulo. Consultado em 29 de Agosto de 2012 
  13. a b Latin notas Cobo, Leila (10 de agosto de 2002)
  14. José Teles (13 de outubro de 2001). «Prontos para o sucesso internacional». Jornal do Commercio. UOL HOST. Consultado em 9 de julho de 2015. Arquivado do original em 3 de março de 2016 
  15. Sandy - UOL Blog (arquivo)
  16. «Site internacional da dupla em 2002». Consultado em 10 de dezembro de 2002. Arquivado do original em 10 de dezembro de 2002 
  17. a b Leonardo Bruno (6 de outubro de 2002). «Show de placa». Extra. Globo.com. Consultado em 27 de agosto de 2019. Cópia arquivada em 27 de agosto de 2019 
  18. a b c Mauro Ferreira (17 de junho de 2002). «Sandy & Júnior Internacional». IstoÉ Gente. Consultado em 16 de novembro de 2017. Cópia arquivada em 31 de agosto de 2017 
  19. «Site Internacional da dupla Sandy e Junior de 2002». Sandyandjunior.net. Consultado em 29 de Agosto de 2012. Arquivado do original em 25 de dezembro de 2002 
  20. «Fans galleteados recibieron a brasileños de Sandy & Junior». La Cuarta (em espanhol). 18 de Fevereiro de 2003. Consultado em 29 de Agosto de 2012. Arquivado do original em 2 de março de 2016 
  21. «Por enfermedad Vodanovic no entregó Gaviota a Los Prisioneros». Emol (em espanhol). 23 de Fevereiro de 2003. Consultado em 29 de Agosto de 2012 
  22. Gois, Ancelmo (16 de fevereiro de 2003). «Rio, pg. 20 (Aniversário de Sandy)». O Globo. Consultado em 28 de junho de 2019. Cópia arquivada em 24 de junho de 2019 
  23. a b «Novidades elétricas, acústicas e remixadas no novo CD de Sandy & Junior». Site Universo Musical. 2003. Consultado em 16 de Agosto de 2012 
  24. a b c Raquel Gonzalez (11 de junho de 2015). «Sandy completa 25 anos de carreira e faz balanço: 'Passaram a me respeitar'». Gshow. Globo.com. Consultado em 5 de julho de 2015. Cópia arquivada em 5 de julho de 2015 
  25. Fábio Galib (5 de outubro de 2003). «Identidade revela fase mais madura de Sandy e Junior». Gazeta Digital. R7. Consultado em 12 de julho de 2015. Arquivado do original em 13 de julho de 2015 
  26. a b Há 10 anos Sandy e Junior se separavam Arquivado em 4 de julho de 2017, no Wayback Machine. O Povo
  27. «Entrevista do mês: Sandy». Billboard Brasil. 2010. Consultado em 7 de outubro de 2017 
  28. Crowley Broadcast Analysis do Brasil (7 de agosto de 2002). «As Mais Tocadas». Folha de S. Paulo. Consultado em 28 de junho de 2019. Cópia arquivada em 24 de junho de 2019 
  29. «Billboard Hits of the world». Estados Unidos: Nielsen Business Media, Inc. Billboard 10 de agosto de 2002. Consultado em 7 de fevereiro de 2016 
  30. a b Forte, Marina (2003). «Musa conquista o coração dos chilenos». Folha da Manhã. Consultado em 2 de junho de 2019 
  31. «Sandy e Junior seguem da Alemanha para Itália». Internet Group. Babado. 4 de setembro de 2002. Consultado em 2 de junho de 2019 
  32. «Billboard Hits of the world». Estados Unidos: Nielsen Business Media, Inc. Billboard 24 de agosto de 2002. Consultado em 7 de fevereiro de 2016 
  33. Batello, Débora (19 de junho de 2002). «Sandy e Jr. mostram os números da carreira internacional». Cifra Club News. Consultado em 18 de outubro de 2017 
  34. Antunes, Angela (11 de novembro de 2007). «Com a casa lotada, Sandy e Junior se despedem de Curitiba». Gazeta do Povo. Consultado em 2 de fevereiro de 2019 
  35. «Novidades acústicas, elétricas e remixadas no novo CD de Sandy & Junior». Universo Musical. 2002. Cópia arquivada em 16 de janeiro de 2016 
  36. a b c «Europa recebe operação Sandy & Júnior». Jornal O Globo. Consultado em 7 de abril de 2014. Arquivado do original em 8 de abril de 2014 
  37. Leila Cobo (10 de Agosto de 2002). Sandy & Junior: In their Brazilian homeland, dynamic teen siblings Sandy & Junior are a million-selling phenomenon. Billboard Magazine. [S.l.: s.n.] Consultado em 25 de Junho de 2014 
  38. Leila Cobo (10 de Agosto de 2002). «Sandy & Junior». Billboard Magazine. Consultado em 25 de Junho de 2014 
  39. a b c «HITS — Os discos mais vendidos da semana». ISTOÉ Gente. 8 de julho de 2002. Consultado em 16 de novembro de 2017. Cópia arquivada em 31 de agosto de 2017 
  40. O Globo. «Europa recebe operação Sandy e Júnior». Site Oficial Sandy e Júnior 
  41. Sara Duarte (3 de Dezembro de 2003). «Cinderela cresceu: Aos 20 anos, Sandy rejeita a fama de pobre menina rica e ícone das virgens e pela primeira vez fala sobre sexo, mentira e amores proibidos». IstoÉ. Consultado em 29 de Agosto de 2012 
  42. «SandyBr Galeria - Revista Contigo». Consultado em 31 de maio de 2014. Arquivado do original em 7 de abril de 2014 
  43. a b c d Sérgio Martins (11 de setembro de 2002). «Viagem & Turismo-Até agora, a carreira internacional rendeu mais passeios do que dividendos a Sandy & Junior». Revista Veja. Consultado em 29 de Agosto de 2012. Cópia arquivada em 31 de outubro de 2007 
  44. a b «Certificações (Brasil) (álbum) – Sandy & Junior – Internacional». Associação Brasileira dos Produtores de Discos. Consultado em 8 de junho de 2017 
  45. a b «ABPD: Albuns mais vendidos de 2002». Consultado em 4 de dezembro de 2015. Arquivado do original em 26 de setembro de 2015 
  46. «Site Oficial de Sandy e Junior (Versão de 2002)». sandyejunior.globo.com. 8 de agosto de 2002. Consultado em 9 de maio de 2015 
  47. «Sandy & Junior ‎– Sandy & Junior». Discogs. 2002. Consultado em 9 de maio de 2015 
  48. a b «Sandy e Junior falam à TV UOL sobre primeiro longa no cinema, programa de TV e carreira internacional». UOL Música. UOL HOST. 17 de junho de 2003. Consultado em 5 de julho de 2015. Cópia arquivada em 5 de julho de 2015 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]