International Cometary Explorer

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Merge-arrow 2.svg
Este artigo ou secção deverá ser fundido com Sonda ISEE-3/ICE. (desde agosto de 2019)
Se discorda, discuta esta fusão aqui.


International Cometary Explorer
ISEE-3.gif
Renderização artística da sonda.
Propriedades
Fabricante Fairchild Industries
Massa 390 kg
Altura 1,7 m
Largura Diâmetro: 1,58 m
Geração de energia Painéis solares fotovoltaicos
Missão
Data de lançamento 12 de agosto de 1978, 15:12 UTC
Veículo de lançamento Delta 2914 #144
Local de lançamento Estados Unidos LC-17B, Estação da Força Aérea de Cabo Canaveral
Destino Terra
Lua
21P/G-Z
1P/Halley
Desativação 05 de maio de 1997
Especificações orbitais
Referência orbital Heliocêntrica
Excentricidade orbital 0,05
Inclinação orbital 0,1º
Período orbital 355 dias
Época 28 de março de 1986, 00:00 UTC


International Cometary Explorer (também referenciado como Internacional Sun/Earth Explorer 3 ou simplesmente Explorer 59) é a designação de uma sonda espacial internacional de pesquisas espaciais.

Histórico[editar | editar código-fonte]

A International Cometary Explorer era parte do programa ISEE (International Sun-Earth Explorer), uma cooperação científica entre a NASA, o ESRO e a ESA para estudar a interação entre o campo magnético da Terra e do vento solar. O programa utilizou três sondas, duas idênticas (ISEE-1 e ISEE-2) e uma em torno do sol, sendo esta última, justamente o International Cometary Explorer.

Esta sonda tornou-se a primeira a visitar um cometa, passando através da cauda de plasma do cometa Giacobini-Zinner dentro de cerca de 7.800 km do núcleo no dia 11 de Setembro de 1985.[1] A NASA suspendeu contato rotineiro com a ISEE-3 em 1997, e fez verificações de status breves em 1999 e 2008.[2][3]

Reaproveitamento[editar | editar código-fonte]

Em 29 de Maio de 2014, uma comunicação bidirecional com a International Cometary Explorer, foi restabelecido pelo Projeto ISEE-3 Reboot Project, um grupo não oficial, com o apoio da empresa Skycorp.[4][5][6] Em 02 de Julho de 2014, eles dispararam os propulsores pela primeira vez desde 1987, no entanto, queimas posteriores dos propulsores falharam, aparentemente devido a uma falta de nitrogênio para pressurizar os tanques de combustível. A equipe do projeto iniciou um plano alternativo para usar a nave espacial para recolher dados científicos e enviá-lo de volta à Terra em 2031, mas em 16 de Setembro de 2014, o contato com a sonda foi perdido.[7]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «Stelzried, C .; Efron, L .; Ellis, J. (julho-setembro 1986). Halley Comet Missões (PDF) (Relatório). NASA. pp. 241-242. TDA Relatório de Progresso 42-87» (PDF). Stelzried, C .; Efron, L .; Ellis, J. (julho-setembro 1986). Halley Comet Missões (PDF) (Relatório). NASA. pp. 241-242. TDA Relatório de Progresso 42-87. Julho–Setembro de 1986. Consultado em 31 de Outubro de 2016 
  2. «Spaceship come home: can citizen scientists rescue an abandoned space probe?». The Verge. 23 de maio de 2014. Consultado em 1 de novembro de 2016 
  3. (mika.mckinnon@gmail.com), Mika McKinnon. «Can This 1970s Spacecraft Explore Again?». Gizmodo (em inglês) 
  4. «ISEE-3 spacecraft makes first Earth contact in 16 years». Ars Technica 
  5. «CTV News Channel: Reviving a dead satellite». CTVNews. Consultado em 1 de novembro de 2016 
  6. Chang, Kenneth (14 de junho de 2014). «Calling Back a Zombie Ship From the Graveyard of Space». The New York Times. ISSN 0362-4331 
  7. «Cowing, Keith (September 25, 2014). "ISEE-3 is in Safe Mode". Space College. Retrieved October 7, 2014. The ground stations listening to ISEE-3 have not been able to obtain a signal since Tuesday the 16th.». ISEE-3 is in Safe Mode. Spacecollege.org. 7 de Outubro de 2014. Consultado em 21 de Outubro de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre International Cometary Explorer
Ícone de esboço Este artigo sobre espaçonaves ou sondas espaciais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.