Inundações e deslizamentos de terra no Nordeste do Brasil em 2022

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Inundações e deslizamentos de terra no Nordeste do Brasil em 2022
Casas são destruídas pelas fortes chuvas no Recife.
Data 23 de maio de 2022
Em curso
Vítimas 128 mortos[1]
4 mortos (Alagoas)[2]
Áreas afetadas
Causas Onda de leste, Anticiclone de Santa Helena e índice pluviométrico acima do esperado

Inundações e deslizamentos de terra ocorreram na região Nordeste do Brasil, em 2022. Sua causa foram as chuvas que atingiram principalmente o estado de Pernambuco, mas também Sergipe, Alagoas, Paraíba e Rio Grande do Norte. Os volumes de precipitação superaram a média histórica mensal em várias cidades em apenas três dias.[3][4][5]

Causas[editar | editar código-fonte]

Um fenômeno meteorológico denominado Ondas de Leste ou Distúrbios Ondulatórios de Leste resulta em um forte calor na costa do continente africano, e provoca um distúrbio nas correntes de ventos e pressão, que afeta a costa leste da região Nordeste.[6] Da costa africana ao Nordeste esses ventos transportam umidade que causam fortes chuvas e temporais nessa região.[6]

Por estado[editar | editar código-fonte]

Pernambuco[editar | editar código-fonte]

Parte de asfalto cede em rodovia.

Pernambuco foi o estado mais atingido. Entre os dias 28 e 29 de maio, a cidade do Recife esteve em alerta vermelho do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) — o que significa volume de precipitação alto (mais de 60 mm por hora ou 100 mm em um dia) e grande possibilidade de acidentes. Em 24 horas, a Região Metropolitana do Recife, a Zona da Mata e o Agreste de Pernambuco registraram precipitações de mais de 100 milímetros.[7]

Os municípios de Itapissuma e Itaquitinga registraram mais chuva, das 6h de 27 de maio até 6h de 28 de maio, do que o total previsto para todo o mês de maio. Recife, Olinda, Jaboatão dos Guararapes, São Lourenço da Mata, Igarassu e Abreu e Lima e ao menos outros doze municípios registraram chuvas de mais de 200 mm em 24 horas.[7]

O número de mortos só no Grande Recife alcançou 128.[1][7] Apenas no Jardim Monte Verde, no bairro do Ibura (zona sul do Grande Recife), ao menos 21 pessoas morreram.[4] Além disso, outras 4 mil pessoas ficaram desabrigadas por conta das chuvas.[4]

Alagoas[editar | editar código-fonte]

O estado também foi impactado pelas fortes chuvas, com mais de 10 mil pessoas desabrigadas e outras 3 mil desalojadas. Choveu na capital Maceió, mais de 250 mm de precipitação o que superou a média histórica mensal do local. Ao menos 33 municípios do estado estão em estado de emergência.[8]

Reação governamental[editar | editar código-fonte]

Estadual[editar | editar código-fonte]

Casas são destruídas após deslizamento de terra no Recife.

O governador de Pernambuco, Paulo Câmara, antecipou a nomeação de 92 novos soldados do Corpo de Bombeiros Militar de Pernambuco[7] para reforçar o trabalho de socorro às vítimas das chuvas e liberou 100 milhões de reais para as operações de salvamento.[4] O governo decretou situação de emergência, assim como 14 municípios da região metropolitana do Grande Recife[4] e também solicitou o apoio do Comando Militar do Nordeste para o serviço de busca e salvamento. A prefeitura de Recife abriu escolas e creches para receber as famílias que necessitam.[7]

Federal[editar | editar código-fonte]

No dia em que ocorreu a tragédia o presidente Jair Bolsonaro expressou as suas profundas condolências para com as famílias das vítimas, e disponibilizou 1 bilhão de reais para ajuda emergencial e para reconstrução de casas.[9] Ele também prometeu enviar o exército para improvisar uma Ação Cívico-Social à comunidades afetadas.[9] Em 30 de maio de 2022, o presidente sobrevoou o local da tragédia em um helicóptero, mas não conseguiu aterrissar devido à instabilidade do solo.[10]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Chuvas em Pernambuco: corpo de última desaparecida é encontrado e bombeiros encerram buscas; 128 pessoas morreram». G1. Grupo Globo. 2 de junho de 2022. Consultado em 3 de junho de 2022 
  2. «Idoso morre soterrado após deslizamento de barreira em Coruípe; Alagoas já soma 4 mortos pelas chuvas». g1. Grupo Globo. 31 de maio de 2022. Consultado em 31 de maio de 2022 
  3. «Chuva extrema no Nordeste do Brasil neste fim de semana». MetSul Meteorologia. 28 de maio de 2022. Consultado em 29 de maio de 2022 
  4. a b c d e g1, ed. (30 de maio de 2022). «Sobe para 91 número de mortos devido às chuvas no Grande Recife e para 5 mil total de desabrigados». Grupo Globo. Consultado em 30 de maio de 2022 
  5. «Inundações, desabamentos, deslizamentos... Alagoas tem mais de 10 mil afetados pelas chuvas». g1. Grupo Globo. 30 de maio de 2022. Consultado em 30 de maio de 2022 
  6. a b «Vai chover no fim de semana? Confira a previsão do tempo para Pernambuco». G1. 4 de junho de 2022. Consultado em 4 de junho de 2022 
  7. a b c d e «Chuvas em Pernambuco: 91 morreram e ao menos 26 estão desaparecidos». BBC Brasil. 28 de maio de 2022. Consultado em 29 de maio de 2022 
  8. «Mais de 30 cidades estão em situação de emergência pelas chuvas em Alagoas». G1. Consultado em 30 de maio de 2022 
  9. a b «Minstens 31 doden door noodweer in Brazilië» (em neerlandês). NOS. 29 de maio de 2022. Consultado em 29 de maio de 2022 
  10. «Zeker honderd doden door noodweer in Brazilië». msn.com (em neerlandês). ANP. 31 de maio de 2022. Consultado em 1 de junho de 2022 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Meteorologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre uma enchente ou inundação é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.