Este é um artigo bom. Clique aqui para mais informações.

Ipueira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para o município cearense, veja Ipueiras (Ceará). Para o município do Tocantins, veja Ipueiras (Tocantins).
Município de Ipueira
"Condomínio fechado"
Vista de Ipueira. Em destaque, a Capela de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.

Vista de Ipueira. Em destaque, a Capela de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.
Bandeira de Ipueira
Brasão de Ipueira
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 31 de dezembro de 1963 (52 anos)
Gentílico ipueirense
Prefeito(a) Paulo de Brito (DEM)
(2013–2016)
Localização
Localização de Ipueira
Localização de Ipueira no Rio Grande do Norte
Ipueira está localizado em: Brasil
Ipueira
Localização de Ipueira no Brasil
06° 48' 50" S 37° 11' 56" O06° 48' 50" S 37° 11' 56" O
Unidade federativa  Rio Grande do Norte
Mesorregião Central Potiguar IBGE/2008 [1]
Microrregião Seridó Ocidental IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes São João do Sabugi, São Mamede/PB, Várzea/PB e São José de Espinharas/PB.
Distância até a capital 318 km
Características geográficas
Área 127,348 km² [2]
População 2 221 hab. (RN: 165º) –  IBGE/2015[3]
Densidade 17,44 hab./km²
Altitude 217 m
Clima semiárido
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,679 (RN: 8°) – médio PNUD/2010[4]
PIB R$ 10 861 mil IBGE/2013[5]
PIB per capita R$ 8 247,23 IBGE/2013[5]
Página oficial

Ipueira é um município brasileiro no interior do estado do Rio Grande do Norte. Localizado na microrregião do Seridó Ocidental e mesorregião Central Potiguar, localiza-se a sudoeste da capital do estado, distando desta 318 quilômetros. Com uma área territorial de 127 km², a população municipal no censo demográfico era de 2 077 habitantes, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, sendo então o segundo município menos populoso do estado.

Situado em um ponto médio entre duas cidades-polo (Caicó, no Rio Grande do Norte, e Patos, na Paraíba), Ipueira foi emancipado de São João do Sabugi na década de 1960. O nome é formado através da junção do radical iapo (que significa igapó) mais o sufixo eira. O seu Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M) é de 0,679 (2010), considerado médio pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e o oitavo melhor do Rio Grande do Norte.

História[editar | editar código-fonte]

O território que hoje corresponde ao município de Ipueira foi anteriormente habitado pelos pegas, nação indígena pertence à grande família dos cariris. De acordo com a tradição, seu nome vem do hibridismo de iapo (igapó) e do sufixo português eira. O nome Ipueira significa lagoeiro, terreno alagado ou represa natural.[6]

Em 1925, Nestor Lima relatava que a fazenda Riacho Fundo, hoje a atual cidade de Ipueira, de João Manoel de Medeiros, situada no riacho dos bois, afluente do rio Sabugi e este do Seridó, pertencente ao município de Serra Negra do Norte, possuía engenho de rapadura, um pequeno açude e lavouras de cereais. Com a morte de seu proprietário, João Manoel de Medeiros, os bens repartidos entre os filhos. Entre esses, destacam-se Francisco Alencar de Medeiros e João Alencar de Medeiros, que se prontificaram a doar o terreno destinado à construção de um pequeno povoado e de uma capela em honra a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, cumprindo então uma promessa feita por seu pai.[6]

Os doadores, não querendo se encarregarem dos trabalhos de fundação e direção do povoado, fizeram um convite ao senhor Francisco Quinino de Medeiros, para que ele pudesse enfrentar a grande luta gloriosa e de honra para a família. Este, sem vacilar, pois, aceitou o convite, pois, há muito tempo, havia o desejo de trabalhar pelo engrandecimento de sua terra. Os trabalhos de desbravamento do campo para a localização do povoado foram iniciados em 3 de março de 1939 e se prolongou até junho do mesmo ano. A escritura do terreno doado, que media cem braças de frente e cento e cinquenta de fundo, foi lavrada pelo senhor José Carlos de Medeiros, que exercia o cargo de tabelião do 1º cartório de São João do Sabugi, no Rio Grande do Norte, em 27 de abril de 1939.[6]

Em 21 de março de 1939, ao meio-dia, foi demarcada uma linha, representando o centro do povoado, em rumo ao sol que nascia naquele instante e, por conseguinte, foram marcadas as linhas laterais que formariam uma quadra em forma de xadrez. O delineamento teve como agrimensores os senhores Francisco Quinino de Medeiros (fundador) e José Horácio de Medeiros e Francisco de Assis Dantas. Já no dia 5 de agosto de 1939, foi inaugurado o povoado, assistido pelo senhor Descartes Mariz de Medeiros, prefeito municipal de Serra Negra do Norte (na época, a atual localidade de Ipueira pertencia a Serra Negra do Norte) e o padre Walfredo Dantas Gurgel, de Caicó. Este último celebrou a primeira missa rezada no povoado, no local onde estava sendo erguida uma latada para uma antiga feira, contando com a presença de um público numeroso, vindo de localidades vizinhas. Em 11 de agosto de 1946, foi inaugurado o cemitério público, pelo prefeito Jaime Faria, estando novamente presente o monsenhor Walfredo Dantas Gurgel, que fez um discurso com bonitas palavras a respeito das melhorias e do progresso que o povo estava recebendo.[6]

Em 1º de janeiro de 1953, quando Ipueira já era pertencente a São João do Sabugi (este foi emancipado de Serra Negra do Norte em 1948), ocorreu a inauguração o Mercado Público Municipal, cujos trabalhos de construção foram iniciados pelo prefeito Dr. Gorgônio Artur da Nóbrega e concluídos durante a administração do prefeito Antônio Quintino. Quase quatro anos depois, em 31 de dezembro de 1956, o prefeito Severino de Assis Dantas inaugurou a iluminação elétrica, estando presente o dom José Adelino, Elvira Lins, demais pessoas do município e do vizinho estado da Paraíba. Em 5 de março de 1960 foi inaugurado o matadouro público na gestão do prefeito Amaury Gurgel.[6]

Finalmente, em 31 de dezembro de 1963, desmembra de São João do Sabugi o distrito de Ipueira (por força da lei estadual nº 3.016/1963), tornando-se então novo município do estado do Rio Grande do Norte.[7]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Mapa político de Ipueira com os municípios limítrofes.

Ipueira está localizado na região do Seridó, sul do estado do Rio Grande do Norte, na mesorregião Central Potiguar e microrregião do Seridó Ocidental,[1] distante 318 quilômetros de Natal, capital estadual,[8] e 1 938 quilômetros de Brasília, capital federal.[9] Ocupa uma área de 127,348 quilômetros quadrados (km²),[2] e se limita com os municípios de São João do Sabugi a norte e o estado da Paraíba (São José de Espinharas, São Mamede e Várzea) em todas as demais direções.[10]

O relevo do município, com altitudes entre duzentos e quatrocentos metros, é formada pela Depressão Sertaneja-São Francisco, que abrange uma série de terrenos situados entre o Planalto da Borborema e a Chapada do Apodi. Ipueira está situado em área de abrangência de terrenos do Grupo Caicó, composto pelo embasamento cristalino, provenientes da idade Pré-Cambriana inferior, com idade aproximada em dois bilhões e meio de anos. Geomorfologicamente há também a predominância de formas de relevo classificadas como "tabulares", de topo plano, com ordens de grandeza diferentes e de aprofundamento de drenagem, separados geralmente a partir de vales de fundo plano. Existem ainda os paragnaisses com biotita provenientes da Formação Jucurutu, com intercalações frequentes, na porção sul de Ipueira, próximo à divisa com o estado da Paraíba. O tipo de solo predominante é o bruno não cálcico vértico, que se caracteriza por ser raso, com sensibilidade a erosões, alta fertilidade, textura formada por areia e/ou argila e moderados índices de drenagem.[10]

O município possui todo o seu território inserido na bacia hidrográfica do rio Piranhas-Açu. Os principais riachos são dos Cachorros, do Cipó e de Fora. A cobertura vegetal predominante é a caatinga hiperxerófila, vegetação de caráter seco e com abundância de cactáceas e plantas de porte espalhado e menor. De acordo com o Plano Nacional de Combate a Desertificação (PNCD), o município se situa em um área com risco de desertificação classificado como "muito grave".[10]

O clima de Ipueira é caracterizado como semiárido quente,[10] com temperatura média anual em torno dos 26 °C e índice pluviométrico de 731 milímetros/ano, concentrados entre fevereiro e abril.[11] O tempo médio de insolação é de 2 700 horas/ano, com umidade média anual de 65%.[12] A incidência de descargas elétricas é de 5,87 raios por km², uma das maiores do setor norte da região nordeste.[13] Segundo dados da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (EMPARN), referentes ao período entre 2001 e 2010, o maior acumulado de precipitação em 24 horas registrado em Ipueira foi de 119,2 mm em 19 de março de 2005.[14] Outros grandes acumulados foram 117 mm em 24 de março de 2008,[15] 111 mm em 2 de fevereiro de 2004,[16] 107,5 mm em 4 de fevereiro de 2004,[16] 107 milímetros em 24 de janeiro de 2004[16] e 100 mm em 6 de dezembro de 2005.[14]

Nuvola apps kweather.svg Dados climatológicos para Ipueira Weather-rain-thunderstorm.svg
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima média (°C) 32,7 32,4 31,7 30,8 29,5 28,1 27,8 28,5 30,2 31,7 32,4 32,7 30,7
Temperatura média (°C) 27,4 27,3 26,9 26,4 25,7 24,6 24 24,3 25,5 26,4 27 27,3 26,1
Temperatura mínima média (°C) 22,1 22,2 22,2 22,1 21,9 21,1 20,3 20,2 20,8 21,2 21,6 21,9 21,5
Precipitação (mm) 61 131 208 188 62 27 16 2 2 3 7 24 731
Fonte: Climate Data.[11]

Demografia[editar | editar código-fonte]

Crescimento populacional
Censo Pop.
1970 1 481
1980 1 510 2,0%
1991 1 701 12,6%
2000 1 902 11,8%
2010 2 077 9,2%
Est. 2015 2 221 [3] 16,8%
Fonte: IBGE.[17] [18]

A população de Ipueira no censo brasileiro de 2010 era de 2 077 habitantes, tornando-se o segundo município menos populoso do Rio Grande do Norte, superando apenas Viçosa, na região oeste do estado. Desse total 1 038 habitantes eram homens e 1 039 habitantes eram mulheres. Ainda de acordo o mesmo censo, 1 889 habitantes viviam na zona urbana (90,95%) e 188 na zona rural (9,05%). Ao mesmo tempo, 1 039 eram do sexo feminino (50,02%) e 1 038 do sexo masculino (49,98%), tendo uma razão de sexo de 99,99.[18] [19] [20] A densidade populacional era de 16,31 habitantes por quilômetro quadrado.[21] Quanto à faixa etária, 473 habitantes tinham menos de quinze anos (22,77 %), 1 372 ente 15 e 64 anos (66,06 %) e 232 acima dos 65 anos (11,17 %).[22] Considerando-se a cor ou raça, 1 224 se autodeclaram brancos (58,93 %), 752 pardos (36,22 %), 99 pretos (4,77 %) e dois amarelos (0,08 %).[23]

Levando-se em conta a nacionalidade, todos os habitantes eram brasileiros natos.[24] Em relação à região brasileira de nascimento, 2 041 haviam nascido no Nordeste (98,28 %), 31 no Sudeste (1,47 %) e dois no Norte (0,09 %), além de três sem especificação (0,16 %). 1 411 eram naturais do Rio Grande do Norte (67,93 %) e, desse total, 1 137 nascidos em Ipueira (54,93 %). Entre os 666 naturais de outras unidades da federação (32,07 %), 619 eram da Paraíba (29,79 %), 26 de São Paulo (1,25 %), cinco do Ceará (0,26 %), três do Rio de Janeiro (0,13 %), dois de Pernambuco (0,09 %), dois do Pará (0,09 %), dois de Minas Gerais (0,09 %), dois de Alagoas (0,09 %), um da Maranhão (0,07 %) e um da Bahia (0,09 %).[25] [26]

Entre 2000 e 2010, o percentual da população que vivia com renda domiciliar per capita inferior a 140 reais caiu 69,8 %, passando para 51,5 % para 15,6 %. Em 2010, 84,4 % da população vivia acima da linha de pobreza, 8 % abaixo da linha de indigência e 7,6 % entre as linhas de indigência e pobreza. No mesmo ano, o valor do índice de Gini era de e os 20 % mais ricos contribuíam com 44,3 % da renda municipal, valor 9,7 vezes maior do que a participação dos 20 % mais pobres, que era de 4,6 %.[22] [27] O Índice de Desenvolvimento Humano do município é considerado médio, de acordo com dados do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Segundo dados do relatório de 2010, divulgados em 2013, seu valor era de 0,679, sendo o oitavo maior do Rio Grande do Norte e o 2 462 º do Brasil. Considerando-se apenas o índice de longevidade, seu valor é de 0,788, o valor do índice de educação é de 0,633 e o de renda é de 0,627.[4]

Religião[editar | editar código-fonte]

De acordo com a divisão territorial realizada pela Igreja Católica, Ipueira pertence à Diocese de Caicó (Forania de Caicó) e é sede da Área Pastoral de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, que pertence à paróquia de São João Batista, localizada em São João do Sabugi.[28] No censo de 2010, o catolicismo romano era a religião da maioria da população, com 1 903 seguidores, ou 91,63% dos habitantes.[29]

O município também possui alguns credos protestantes e reformados. Em 2010 99 habitantes se declararam evangélicos (4,74%), sendo que 95 pertenciam às evangélicas de origem pentecostal (4,6%), um às evangélicas de missão (0,06%) e dois a outras evangélicas não determinadas (0,09%). Dentre as pentecostais, 84 eram da Assembleia de Deus (4,03%) e os restantes de outras igrejas. Em relação às de missão, fazia-se presente apenas a Igreja Batista. Além do católicos e evangélicos, outros 65 não tinham religião (3,13%) e cinco eram mórmons (0,24%). Outros cinco possuíam religião indeterminada ou múltiplo pertencimento (0,24%).[29]

Política[editar | editar código-fonte]

O poder executivo do município de Ipueira é representado pelo prefeito e seu gabinete de secretários, em conformidade ao modelo proposto pela Constituição Federal.[30] O primeiro prefeito do município foi Luiz Nobile dos Santos, entre 1965 e 1969,[31] e o atual é Paulo de Brito (PDT), eleito em 2012 com 64,47% dos votos válidos, tendo como vice Antônio Pessoa do Nascimento (DEM).[32] [33]

O poder legislativo é representado pela câmara municipal, composta por nove vereadores eleitos para cargos de quatro anos.[30] Na atual legislatura, iniciada em 2013, é composta por cinco do Democratas (DEM), três do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) e uma do Partido da Mobilização Nacional (PMN).[33] Cabe à casa elaborar e votar leis fundamentais à administração e ao executivo, especialmente o orçamento municipal (conhecido como Lei de Diretrizes Orçamentárias).[30]

Em complementação ao processo legislativo e ao trabalho das secretarias, existem também alguns conselhos municipais em atividade, entre eles: Desenvolvimento Sustentável e Solidário,[34] Direitos da Criança e do Adolescente,[35] Educação,[36] FUNDEB,[37] Habitação,[38] Saúde[39] e Tutelar.[35] O município se rege por sua lei orgânica, publicada em 1º de abril de 1990,[30] e pertence à Comarca de São João do Sabugi, de primeira entrância.[40] De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral, Ipueira possuía, em dezembro de 2014, 1 901 eleitores, o que representa 0,082% do eleitorado estadual.[41]

Economia[editar | editar código-fonte]

Segundo o IBGE, o Produto Interno Bruto (PIB) do município de Ipueira em 2013 era de R$ 18 061 mil, dos quais R$ 11 739 da administração, R$ 3 693 mil do setor terciário, R$ 1 254 mil do setor primário, R$ 1 083 mil de impostos, R$ 654 mil do setor secundário. O PIB per capita era de R$ 8 247,23.[5]

Em 2014 o município possuía um rebanho de 3 521 bovinos, 939 galináceos (frangos, galinhas, galos e pintinhos), 1 825 ovinos, 1 356 caprinos, 191 suínos e 54 equinos.[42] Na lavoura temporária do mesmo ano foram produzidos batata-doce (32 t), feijão (7 t) e milho (6 t),[43] e na lavoura permanente coco-da-baía (três mil frutos), banana (34 t), manga (16 t), limão (5 t).[44] Ainda no mesmo ano o município também produziu 1 109 mil litros de leite de 1 232 vacas ordenhadas e treze mil dúzias de ovos de galinha.[42]

Em 2010, considerando-se a população municipal com idade igual ou superior a dezoito anos, 62% era economicamente ativa ocupada, 36,1% inativa e 1,8% ativa desocupada. Ainda no mesmo ano, levando-se em conta população ativa ocupada a mesma faixa etária, 42,27% trabalhavam no setor de serviços, 25,94% na agropecuária, 10,86% no comércio, 7,72% na construção civil e 1,9% na utilidade pública.[22] Conforme a Estatística do Cadastral de Empresas de 2013, Ipueira possuía 42 unidades (empresas) locais, todas atuantes. Salários juntamente com outras remunerações somavam 4 525 mil reais e o salário médio mensal era de 1,6 salários mínimos.[45]

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Saúde[editar | editar código-fonte]

A rede de saúde de Ipueira dispunha, em 2009, de três estabelecimentos, todos públicos, municipais e prestando atendimento ao Sistema Único de Saúde (SUS).[46] O município pertence à IV Unidade Regional de Saúde Pública do Rio Grande do Norte (URSAP-RN), sediada em Caicó.[47] Em 2010, a expectativa de vida ao nascer do município era de 72,27 anos, com um índice de longevidade de 0,788, e a taxa de mortalidade infantil era de 20,4 por mil nascidos vivos.[22]

Em abril do mesmo ano, a rede profissional de saúde era constituída por oito auxiliares de enfermagem, três enfermeiros, dois cirurgiões-dentistas, dois nutricionistas, um assistente social, um médico de família, um fisioterapeuta, um farmacêutico e um psicólogo, totalizando vinte profissionais.[48] Segundo dados do Ministério da Saúde, um caso de AIDS foi registrados em Ipueira entre 1990 e 2012 e, entre 2001 e 2011, foram notificados 96 casos de dengue.[49]

Educação[editar | editar código-fonte]

O fator "educação" do IDH no município atingiu em 2010 a marca de 0,633,[22] ao passo que a taxa de alfabetização da população acima dos dez anos indicada pelo último censo demográfico do mesmo ano foi de 77,5% (83,9% para as mulheres e 70,9% para os homens).[50] As taxas de conclusão dos ensinos fundamental (15 a 17 anos) e médio (18 a 24 anos) eram de 71,4% e 55,6%, respectivamente.[51]

IDEB de Ipueira[51]
Ano Anos
iniciais
Anos
finais
2007 3,4 3,4
2009 4 5,3
2011 4,7 -
2013 6,2 -

Ainda em 2010, Ipueira possuía uma expectativa de anos de estudos de 9,62 anos, valor inferior à média estadual (9,54 anos). O percentual de crianças de cinco a seis anos na escola era de 97,66% e de onze a treze anos cursando o fundamental de 95,48%. Entre os jovens, a proporção na faixa de quinze a dezessete anos com fundamental completo era de 71,28% e de dezoito a vinte anos com ensino médio completo de 43,26%. Considerando-se apenas a população com idade maior ou igual a 25 anos, 36,9% possuíam ensino fundamental completo, 29,22% eram analfabetos, 25,79% tinham ensino médio completo e 5,94% superior completo.[22] Em 2014, a distorção idade-série entre alunos do ensino fundamental, ou seja, com idade superior à recomendada, era de 12% para os anos iniciais e 28,4% nos anos finais, sendo essa defasagem no ensino médio de 30%.[51]

Em 2012 Ipueira possuía uma rede de duas escola de ensino fundamental (com 22 docentes), uma do pré-escolar (quatro docentes) e uma de ensino médio (dez docentes), com 412 alunos matriculados.[52]

Serviços e transportes[editar | editar código-fonte]

O serviço de abastecimento de água de toda o município é feito pela Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (CAERN),[53] enquanto a responsável pelo abastecimento de energia elétrica em Ipueira é a Companhia Energética do Rio Grande do Norte (Cosern), que fornece energia em todos os municípios do estado do Rio Grande do Norte.[54] No ano de 2007 existiam 789 consumidores e foram consumidos mil KWh de energia.[10] Ainda há serviços de internet discada e banda larga (ADSL) sendo oferecidos por diversos provedores de acesso gratuitos e pagos. O serviço telefônico móvel, por telefone celular, é oferecido por diversas operadoras. O código de área (DDD) de Ipueira é 084[55] [56] e o Código de Endereçamento Postal (CEP) da cidade é de 59315-000.[57] No dia 10 de novembro de 2008 o município passou a ser servido pela portabilidade, juntamente com outras cidades de DDDs 33 e 38, em Minas Gerais; 44, no Paraná; 49, em Santa Catarina; além de outros municípios com código 84, no Rio Grande do Norte.[58]

A frota municipal no ano de 2010 era de 312 veículos, sendo sessenta automóveis, treze caminhões, 29 caminhonetes, duas camionetas, sete micro-ônibus, 163 motocicletas, 33 motonetas, seis ônibus; outros tipos de veículos incluíam apenas uma unidade. Por não possuir rios em abundância, o município não possui muita tradição no transporte hidroviário, e também não é cortada por ferrovias em seu território. Ipueira é atravessada apenas pela RN-118, rodovia estadual que começa em Macau e termina em Ipueira, na divisa com a Paraíba.[59]

Habitação e infraestrutura básica[editar | editar código-fonte]

De acordo com o censo demográfico de 2010 realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Ipueira possuía, em geral, 640 domicílios/casas.[60] Já em relação à condição de ocupação do domicílio, 512 eram imóveis próprios (80%), 79 eram alugados (12,34%), 48 cedidos (7,5%) e apenas uma era ocupada sob uma outra condição (0,16%). Em relação ao abastecimento de água realizado nas residências, 587 recebiam água tratada a partir de uma rede geral de distribuição (91,72%), dezessete imóveis eram abastecidos por um poço ou nascente na propriedade (2,66%) e 36 unidades possuíam abastecimento de água vindo de outras fontes (5,63%). Quanto à energia elétrica, 638 imóveis eram abastecidos, sendo todos eles a partir de uma companhia distribuidora de energia (99,69%); outros dois domicílios não tinham ou não eram abastecidos pela rede elétrica (0,31%).[61]

Em relação ao destino do lixo, 584 domicílios possuíam coleta (91,25%), dos quais 583 eram coletados por serviço de limpeza (91,09%) e apenas um possuía a coleta feita a partir de uma caçamba de serviço de limpeza (0,16%); outros 56 imóveis jogavam o lixo em outros destinos (8,75%).[61] Quanto ao esgotamento sanitário, apenas um domicílio não possuía banheiros e/ou sanitários (0,16%); já entre os 639 domicílios que a possuíam (99,84%), apenas onze tinham esgotamento sanitário feito a partir da rede geral de esgotos ou pluvial (1,72%), um a partir de uma fossa séptica (0,16%) e 627 com esgotamento sanitário feito de uma outra maneira (97,97%).[62]

Cultura[editar | editar código-fonte]

Estátua de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, localizada em frente à igreja do município.

A Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Desporto é o órgão da prefeitura responsável pela educação e pela área cultural e esportiva do município de Ipueira. É ela que organiza atividades e projetos culturais da cidade.[63] Segundo o Instituto de Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente (IDEMA), o município de Ipueira possuía, em 2008, uma biblioteca, um ginásio poliesportivo, uma quadra de esporte e um campo de futebol.[10]

Os pontos turísticos conhecidos de Ipueira são a Capela de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro e a estátua da santa localizada em frente à igreja da cidade.[64] [65] O município também realiza uma diversa quantidade de eventos todos os anos, sendo os principais a Vaquejada, realizada no mês de julho em data móvel; Festa da Padroeira, realizada em 15 de agosto; e a Festa do Motoqueiro, realizada anualmente no mês de novembro.[10]

Referências

  1. a b c «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  2. a b «Área Territorial Brasileira - Consulta por Município». Resolução da Presidência do IBGE de n° 1, de 15 de janeiro de 2013. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 15 de janeiro de 2013. Consultado em 8 de junho de 2014. 
  3. a b «ESTIMATIVAS DA POPULAÇÃO RESIDENTE NOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS COM DATA DE REFERÊNCIA EM 1º DE JULHO DE 2015» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 29 de dezembro de 2015. 
  4. a b «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 6 de agosto de 2013. 
  5. a b c «Rio Grande do Norte » Ipueira » produto interno bruto dos municípios - 2012». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2012. Arquivado desde o original em 29 de dezembro de 2015. Consultado em 29 de dezembro de 2015. 
  6. a b c d e «História». Confederação Nacional de Município (CNM). Arquivado desde o original em 31 de outubro de 2011. Consultado em 31 de outubro de 2011. 
  7. «IPUEIRA». Biblioteca IBGE. Arquivado desde o original (PDF) em 31 de outubro de 2011. Consultado em 31 de outubro de 2011. 
  8. «Distância de Natal e Ipueira». Consultado em 8 de junho de 2014. 
  9. «Distância de Brasília e Ipueira». Consultado em 8 de junho de 2014. 
  10. a b c d e f g «IPUEIRA». IDEMA/RN. 2008. Arquivado desde o original (PDF) em 30 de outubro de 2011. Consultado em 30 de outubro de 2011. 
  11. a b «Clima: Ipueira». Climate Data. Arquivado desde o original em 8 de março de 2015. Consultado em 8 de junho de 2014. 
  12. CPTEC - Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (Agosto/2013). «Monitoramento Climático do Brasil». Consultado em 2013. 
  13. «Ranking de descargas elétricas». INPE - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. Agosto/2012. Consultado em 2013. 
  14. a b «Ocorrência de Chuvas (mm) - 2005 - Posto: IPUEIRA (EMATER)». Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte. 2005. Arquivado desde o original em 8 de junho de 2014. Consultado em 8 de junho de 2014. 
  15. «Ocorrência de Chuvas (mm) - 2008 - Posto: IPUEIRA (EMATER)». Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte. 2008. Arquivado desde o original em 8 de junho de 2014. Consultado em 8 de junho de 2014. 
  16. a b c «Ocorrência de Chuvas (mm) - 2008 - Posto: IPUEIRA (EMATER)». Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte. 2004. Arquivado desde o original em 8 de junho de 2014. Consultado em 8 de junho de 2014. 
  17. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. «Demografia - População Total». Confederação Nacional de Municípios. Arquivado desde o original em 8 de junho de 2014. Consultado em 8 de junho de 2014. 
  18. a b «Tabela 2.1 - População residente, total, urbana total e urbana na sede municipal, em números absolutos e relativos, com indicação da área total e densidade demográfica, segundo as Unidades da Federação e os municípios – 2010». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 8 de junho de 2014. 
  19. «Tabela 608 - População residente, por situação do domicílio e sexo - Sinopse». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2010. Consultado em 8 de junho de 2014. 
  20. «Razão de sexo, população de homens e mulheres, segundo os municípios – 2010». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2010. Consultado em 8 de junho de 2014. 
  21. «Tabela 1301 - Área e Densidade demográfica da unidade territorial». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2010. Consultado em 8 de junho de 2014. 
  22. a b c d e f «Perfil Municipal - Ipueira, RN». Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento. 2013. Consultado em 8 de junho de 2014. 
  23. «Tabela 2093 - População residente por cor ou raça, sexo, situação do domicílio e grupos de idade - Amostra - Características Gerais da População». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2010. Consultado em 8 de junho de 2014. 
  24. «Tabela 1497 - População residente, por nacionalidade - Resultados Gerais da Amostra». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2010. Consultado em 8 de junho de 2014. 
  25. «Tabela 631 - População residente, por sexo e lugar de nascimento». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2010. Consultado em 8 de junho de 2014. 
  26. «Tabela 1505 - População residente, por naturalidade em relação ao município e à unidade da federação - Resultados Gerais da Amostra». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2010. Consultado em 8 de junho de 2014. 
  27. «ACABAR COM A FOME E A MISÉRIA». Portal ODM. 2010. Consultado em 8 de junho de 2014. 
  28. «Forania de Caicó». Diocese de Caicó. Consultado em 8 de junho de 2014. 
  29. a b «Tabela 2094 - População residente por cor ou raça e religião». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2010. Consultado em 8 de junho de 2014. 
  30. a b c d «LEI ORGÂNICA MUNICIPAL» (PDF). Prefeitura Municipal de Ipueira. Arquivado desde o original (PDF) em 29 de dezembro de 2015. Consultado em 29 de dezembro de 2015. 
  31. «Galeria dos ex-prefeitos». Prefeitura Municipal de Ipueira. Arquivado desde o original em 29 de dezembro de 2015. Consultado em 29 de dezembro de 2015. 
  32. Tribunal Superior Eleitoral (2012). «Ipueira RN». UOL. Arquivado desde o original em 29 de dezembro de 2015. Consultado em 8 de junho de 2014. 
  33. a b «Gabinete». Prefeitura Municipal de Ipueira. Arquivado desde o original em 29 de dezembro de 2015. Consultado em 29 de dezembro de 2015. 
  34. «Lei 410/2013». Prefeitura Municipal de Ipueira. 12 de dezembro de 2013. Consultado em 29 de dezembro de 2015. 
  35. a b «9.3. Conselhos». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2012. Arquivado desde o original em 29 de dezembro de 2015. Consultado em 8 de junho de 2014. 
  36. «5.4. Conselho e fundo municipal de educação». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2006. Arquivado desde o original em 29 de dezembro de 2015. Consultado em 8 de junho de 2014. 
  37. «Lei 319/2007». Prefeitura Municipal de Ipueira. 15 de março de 2007. Arquivado desde o original (PDF) em 29 de dezembro de 2015. Consultado em 29 de dezembro de 2015. 
  38. «Lei 348/2009». Prefeitura Municipal de Ipueira. 5 de novembro de 2009. Consultado em 29 de dezembro de 2015. 
  39. «Lei 292/2005» (PDF). Prefeitura Municipal de Ipueira. 19 de maio de 2005. Arquivado desde o original (PDF) em 29 de dezembro de 2015. Consultado em 29 de dezembro de 2015. 
  40. «Consulta de Comarcas e Juízes». Poder Judiciário do Rio Grande do Norte. Arquivado desde o original em 20 de maio de 2011. Consultado em 12 de maio de 2011. 
  41. «Eleições / Estatísticas / Consulta Quantitativo». Tribunal Superior Eleitoral. Consultado em 8 de junho de 2014. 
  42. a b «Rio Grande do Norte » Ipueira » produção agrícola municipal - pecuária - 2014». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2014. Arquivado desde o original em 29 de dezembro de 2015. Consultado em 29 de dezembro de 2015. 
  43. «Rio Grande do Norte » Ipueira » produção agrícola municipal - lavoura temporária - 2014». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2014. Arquivado desde o original em 29 de dezembro de 2015. Consultado em 29 de dezembro de 2015. 
  44. «Rio Grande do Norte » Ipueira » produção agrícola municipal - lavoura permanente - 2014». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2014. Arquivado desde o original em 29 de dezembro de 2015. Consultado em 29 de dezembro de 2015. 
  45. «Rio Grande do Norte » Ipueira » estatísticas do cadastro central de empresas - 2013». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2013. Arquivado desde o original em 29 de dezembro de 2015. Consultado em 29 de dezembro de 2015. 
  46. «Serviços de saúde 2009». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2009. Arquivado desde o original em 29 de dezembro de 2015. Consultado em 29 de dezembro de 2015. 
  47. «Municípios - IV URSAP». Arquivado desde o original em 2 de março de 2015. Consultado em 30 de dezembro de 2015. 
  48. «Caderno de Informações de Saúde - Município: Ipueira - RN». DATASUS. Consultado em 30 de dezembro de 2015. 
  49. «6 - combater a AIDS, a malária e outras doenças». Portal ODM. Consultado em 2 de março de 2015. 
  50. «Tabela 1383 - Taxa de alfabetização das pessoas de 10 anos ou mais de idade por sexo». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2010. Consultado em 29 de dezembro de 2015. 
  51. a b c «2 - oferecer educação básica de qualidade para todos». Portal ODM. Consultado em 29 de dezembro de 2015. 
  52. «Rio Grande do Norte » Ipueira » ensino - matrículas, docentes e rede escolar - 2012». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2012. Arquivado desde o original em 29 de dezembro de 2015. Consultado em 29 de dezembro de 2015. 
  53. Secretaria do Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos. «Resumo dos Custos Totais de Poços Para Atender a Demanda Humana Concentrada no Ano 2020». Arquivado desde o original em 30 de agosto de 2011. Consultado em 19 de julho de 2011. 
  54. Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte. «A COSERN». Consultado em 19 de julho de 2011. 
  55. «Estado: Rio Grande do Norte (RN)». Web Busca. Arquivado desde o original em 26 de agosto de 2011. Consultado em 12 de outubro de 2011. 
  56. «CÓDIGOS DO Rhttp://www.webcitation.org/63aYHWBQcIO GRANDE DO NORTE». Anatel. 8 de junho de 2011. Arquivado desde o original (PDF) em 26 de outubro de 2011. Consultado em 26 de outubro de 2011.  Ligação externa em |title= (Ajuda)
  57. «Sobre Água Nova». CityBrazil. Consultado em 12 de outubro de 2011. 
  58. Estadão (7 de novembro de 2008). «Portabilidade numérica chega a mais 8 milhões na 2ªf». Arquivado desde o original em 1º de março de 2011. Consultado em 26 de outubro de 2011. 
  59. «Mapa». IDEMA/RN. 2009. Arquivado desde o original (PDF) em 30 de novembro de 2011. Consultado em 30 de novembro de 2011. 
  60. IBGE (2010). «Tabela 3152 - Domicílios particulares permanentes, por tipo do domicílio e número de moradores - Resultados Preliminares do Universo». Sistema IBGE de Recuperação Automática (SIDRA). Consultado em 11 de novembro de 2011. 
  61. a b IBGE (2010). «Tabela 3157 - Domicílios particulares permanentes, por condição de ocupação do domicílio, da existência de energia elétrica, da forma de abastecimento de água e do destino do lixo - Resultados Preliminares do Universo». Sistema IBGE de Recuperação Automática (SIDRA). Consultado em 11 de novembro de 2011. 
  62. IBGE (2010). «Tabela 3154 - Domicílios particulares permanentes, por existência de banheiro ou sanitário e tipo de esgotamento sanitário - Resultados Preliminares do Universo». Sistema IBGE de Recuperação Automática (SIDRA). Consultado em 11 de novembro de 2011. 
  63. «Estrutura Administrativa». Prefeitura Municipal de Ipueira (RN). Arquivado desde o original em 30 de outubro de 2011. Consultado em 30 de outubro de 2011. 
  64. «Pontos Turísticos». Prefeitura Municipal de Ipueira (RN). 2006. Arquivado desde o original em 31 de outubro de 2011. Consultado em 31 de outubro de 2011. 
  65. «Pontos turísticos». Confederação Nacional de Municípios (CNM). 2006. Arquivado desde o original em 31 de outubro de 2011. Consultado em 31 de outubro de 2011. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]