Irmãos Kray

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Os irmãos gémeos Kray (Reginald "Reggie" Kray (24 de outubro de 1933, saiu da prisão 8 semanas antes de cumprir a pena, por compaixao, e acabou por morrer de cancro a 1 de outubro de 2000) e Ronald "Ronnie" Kray (24 de outubro de 1933, acabou por ir para um hospital psiquiátrico e morreu de um ataque cardíaco a 17 de março de 1995) foram dois criminosos e lideres do crime organizado em Londres nos anos de 1950 e 1960.

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

Na cultura popular[editar | editar código-fonte]

Os irmãos gêmeos Ronald "Ronnie" Kray (24 de outubro de 1933 - 17 de março de 1995) e Reginald "Reggie" Kray (24 de outubro de 1933 - 1 de outubro de 2000) foram gângsteres ingleses que foram os principais perpetradores do crime organizado no East End de Londres durante a 1950 e 1960. Com sua gangue, o Firm, os Krays estiveram envolvidos em assaltos à mão armada, incêndio criminoso, raquetes de proteção, assaltos e assassinatos de Jack "the Hat" McVitie e George Cornell.

Como proprietários de casas noturnas West End, eles se misturaram com políticos e artistas proeminentes como Diana Dors, Frank Sinatra e Judy Garland. Os Krays tinham muito medo em seu ambiente social; Na década de 1960, eles se tornaram celebridades, sendo fotografados por David Bailey e entrevistados na televisão.

Eles foram presos em 8 de maio de 1968 e condenados em 1969 pelos esforços de detetives liderados pelo detetive superintendente Leonard "Nipper" Read. Ambos foram condenados à prisão perpétua. Ronnie permaneceu no Hospital Broadmoor até sua morte em 17 de março de 1995; Reggie foi libertado da prisão por motivos de compaixão em agosto de 2000, oito semanas e meia antes da morte por câncer.

Filme: Em 1990 Philip Ridley escreveu o argumento do filme The Krays, realizado por Peter Medak, com Gary Kemp e o irmão Martin Kemp nos papéis principiais.