Isaías Samakuva

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Isaías Samakuva
Isaías Samakuva em 2017
Presidente da UNITA
Período 20 de junho de 2003
15 de novembro de 2019
Antecessor(a) Isaías Samakuva
Sucessor(a) Adalberto Costa Júnior
Dados pessoais
Nome completo Isaías Henriques N'gola Samakuva
Nascimento 8 de julho de 1946 (75 anos)
Cuíto, Angola
Progenitores Mãe: Rosália Ani Samakuva
Pai: Henrique Ngola Samakuva
Partido UNITA

Isaías Henriques N'gola Samakuva (Cuíto, Bié, 8 de julho de 1946) é um político angolano.[1]

Foi presidente da UNITA, o maior partido da oposição em Angola, entre 2003 e 2019. Foi o terceiro presidente do partido (sucedendo a Paulo Lukamba Gato e António Sebastião Dembo), e o primeiro eleito após a morte oficial de Jonas Savimbi. Desde outubro de 2021 é presidente-interino do partido.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de Henrique N'gola Samakuva e Rosália Ani Samakuva, Samakuva nasceu em Silva Porto-Gare, atual comuna de Cunje (município do Cuíto), na província de Bié.[1]

Militância política[editar | editar código-fonte]

Samakuva assumiu a presidência da UNITA em 2003, eleito durante o nono congresso daquele partido. Sucedeu a Paulo Lukamba Gato e António Sebastião Dembo, sendo o primeiro efetivamente eleito após a morte oficial de Jonas Savimbi.

Em 2007 realizou-se o décimo congresso, no qual Samakuva foi reconduzido ao cargo que ocupava desde 2003. Abel Epalanga Chivukuvuku, outra liderança da UNITA, foi o opositor de Samakuva naquelas eleições internas do partido do galo negro.[1]

Samakuva foi o cabeça-de-chapa na lista nacional da UNITA nas eleições parlamentares de setembro de 2008. Ele foi eleito para a Assembleia Nacional nessa eleição, na qual a UNITA ganhou apenas 16 dos 220 assentos.[2] Apesar das objeções do partido Samakuva anunciou em 8 de setembro de 2008 que UNITA aceitava os resultados de eleição. Igualmente liderou o partido nas eleições de 2012 e 2017, com a UNITA ficando em segundo lugar nas duas vezes, porém alcançando crescentes resultados.

Em 15 de novembro de 2019 Samakuva foi substituído por Adalberto Costa Júnior no comando da UNITA, na eleição para presidente do partido do XIII Congresso.[3]

Em 8 de outubro de 2021 o Tribunal Constitucional declarou nulo o congresso que elegeu Adalberto Costa Júnior. Samakuva foi chamado a reassumir o partido interinamente até a realização de um novo congresso.[4]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c «Três "tubarões" vão disputar o XII Congresso da UNITA». Novo Jornal. 4 de Novembro de 2015. Consultado em 23 de Agosto de 2017 
  2. «LISTA DOS DEPUTADOS ELEITOS NAS ELEIÇÕES LEGISLATIVAS DE 2008». Comissão Nacional Eleitoral de Angola. Consultado em 23 de Agosto de 2017. Arquivado do original em 19 de setembro de 2008 
  3. Angola: TC confirma anulação de Congresso da UNITA que elegeu Costa Júnior. DW. 7 de outubro de 2021.
  4. Isaías Samakuva assume liderança da UNITA até à eleição de novo presidente. DW. 8 de outubro de 2021.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre um político de Angola é um esboço relacionado ao Projecto Angola. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.