Isaac Watts

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde julho de 2015).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.
Isaac Watts
Retrato de Isaac Watts. (autor desconhecido, porém doado a NPG em 1939).
Nascimento 17 de julho de 1674
Southampton, Inglaterra
Morte 25 de novembro de 1748 (74 anos)
Stoke Newington, Inglaterra, Reino da Grã-Bretanha
Nacionalidade Inglaterra Inglês
Cidadania Reino Unido Britânico (após 1707)
Ocupação teólogo, pedagogo

Isaac Watts (17 de julho de 167425 de novembro de 1748) foi um poeta, pregador, teólogo, lógico e pedagogo inglês. É reconhecido como o "Pai do Hino Inglês"[1], como ele foi o primeiro escritor de hinos prolífico e popular inglês, creditado com quase 750 hinos.[1] Muitos de seus hinos permanecem ativos no uso hoje e têm sido traduzidos em várias línguas.

Nascido em 1674, Southampton, Inglaterra, Watts cresceu em uma casa de um empenhado religioso não-conformista; seu pai, também chamado Isaac Watts, o qual foi encarcerado duas vezes devido suas ideias. Na escola do Rei Eduardo VI, Watts recebeu uma educação clássica, aprendendo Latim, Grego e Hebraico. Desde a idade mais tenra, Watts se mostrava propenso a rima. Certa feita, ele respondeu quando o perguntaram o porquê ele mantinha os olhos abertos durante orações:

A little mouse for want of stairs
ran up a rope to say its prayers.

Que quer dizer:

Um ratinho por falta de escadas
subiu numa corda para fazer suas preces

Ao receber punição corporal por isso, ele exclamou:

O father, father, pity take
And I will no more verses make.

O que em inglês rima e que quer dizer:

O pai, pai, tenha piedade
E versos eu não mais farei

Por ser um não conformista, Watts não pôde estudar em universidades como Oxford ou Cambridge, as quais eram restritas a anglicanos, segundo as posições do governo da época. Ele então foi para a Academia Dissidente em Stoke Newington em 1690. O restante de sua vida é centrada nessa cidade, que agora faz parte do centro de Londres.

Dando continuidade a sua educação, Watts foi chamado de pastor por uma variedade de capelas independentes de Londres, onde ajudou a treinar pregadores (palestrantes), apesar de sua saúde frágil. Isaac Watts tinha opiniões as quais eram consideradas mais não-denominacionais ou ecumênicas que o normal para a maioria dos não conformistas de sua época; ele tinha um interesse maior em promover a educação e estudos que a pregação em si para algum determinado grupo.

Começou a trabalhar como um tutor privado, Watts viveu com a família de não conformistas, Hartopp, em Fleetwood House, na rua da Igreja em Stoke Newington. Então ele passou a conhecer a vizinhança imediata, Sir Thomas Abney e Lady Mary.

Convidado par a passar uma semana em Hertfordshire, Watts acabou vivendo 36 no total nas dependências da família Abney, na maior parte do tempo em Abney House, a segunda residência da família. (Lady Mary herdou a mansão de Stoke Newington em 1701 de seu falecido irmão, Thomas Gunston.)

Com a morte do Sir Thomas Abney em 1722, a viúva Lady Mary e sua filha solteira, Elizabeth, se mudaram com toda sua família para Abney Hall, situava em Hertfordshire. Ela convidou Watts para continuar com sua família. Ele viveu em Abney Hall até a sua morte em 1748.

Watts gostava particularmente das dependências do Abney Park, onde ele sempre buscava inspiração para escrever seus hinos e livros.

Watts faleceu em Stoke Newington em 1748, e foi enterrado em Bunhill Fields. Ele deixou um extenso legado de hinos, tratados, trabalhos educacionais e ensaios. Seu trabalho influenciou não conformitas independentes e religiosos revivalistas do século XVIII, como Philip Doddridge, o qual dedicou o seu trabalho mais conhecido a Watts.

Watts e a Hinódia[editar | editar código-fonte]

O acadêmico de músicas sacras Stephen Marini (2003) descreve as formas nas quais Watts contribuiu o hinário inglês. Notoriamente, Watts conduziu uma nova forma de poesia as chamadas "canções originais provenientes da própria experiência cristã" para serem utilizadas na adoração. A tradição mais antiga era baseada em poesia da própria Bíblia, geralmente os Salmos. Isso tinha sido originado dos ensinamentos da Reforma do século XVI de João Calvino, o qual iniciou a prática da criação de versos traduzidos de Salmos em canto vernacular congregacional. A introdução de Watts de poesia extra-bíblica abriu uma nova era da hinódia Protestante assim que outros poetas seguiram seus passos. Watts também introduziu uma nova forma de traduzir os Salmos em versos para cerimônias religiosas. Os Salmos eram originalmente escritos em hebraico bíblico dentro do judaísmo. No mundo cristão antigo, eles eram afirmados na cânon bíblico como parte do Antigo Testamento. Watts propôs que as traduções métricas dos Salmos como os cantados pelos cristãos protestantes deveriam dá-los uma determinada perspectiva cristã. Enquanto ele admitia que Davi [a quem é atribuído muitos dos Salmos] era um inquestionável instrumento de Deus, Watts declarava que seu entendimento religioso não poderia ser plenamente expressado pelas verdades posteriormente reveladas através de Jesus Cristo. Os Salmos então deveriam ser "renovados" como se Davi fosse um cristão, ou como Watts colocou no título de seu Saltério métrico de 1719, eles devem ser "imitados na linguagem do Novo Testamento." Marini discerne duas tendências particulares nos versos de Watts, que ele chama de "subjetividade emocional" e "objetividade doutrinária". Com o primeiro termo ele quer dizer que "A voz de Watts destruiu a distância entre poeta e cantor e investiu na letra com espiritualidade pessoal". Como um exemplo disso, ele cita: "Vejo a Maravilhosa Cruz" (When I Survey the Wondrous Cross). Por "objetividade doutrinária," Marini quer dizer que os versos de Watts atingiram um "qualidade axiomática" que "apresentam o conteúdo da doutrina cristã com a confiança explícita que beneficia a afirmação da fé." Como exemplo, Marini cita os hinos "Alegria do Mundo" (Joy to the World) e também "De tudo que habita debaixo dos céus" (From All That Dwell Below the Skies):

From all that dwell below the skies
Let the Creator's praise arise;
Let the Redeemer's name be sung
Through every land, by every tongue.

Tradução livre:

De tudo que habita debaixo dos céus
Deixe que o louvor ao Criador apareça;
Deixe que o nome do Remidor seja cantado
Em toda terra, por toda língua.

Além de escrever hinos, Isaac Watts era também um teólogo e lógico, escrevendo livros e ensaios sobre esses assuntos.

Referências

  1. a b William H. Goddard (2009). Just Say the Words. [S.l.]: Xlibris Corporation. p. 52. ISBN 1450080146 
Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Isaac Watts
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.