Isabel Teresa de Lorena (1664-1748)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Isabel Teresa de Lorena
Princesa de Epinoy
suo jure Duquesa de Luxemburgo-Saint-Pol
Retrato de 1839 por Etienne-Achille Demahis.
Cônjuge Luís de Melun
Descendência Luís, Duque de Joyeuse
Ana Júlia de Melun, Princesa de Soubise
Casa Lorena
Nascimento 5 de abril de 1664
  França
Morte 7 de março de 1748 (83 anos)
  Hôtel de Mayenne, Paris, França
Pai Francisco Maria, Príncipe de Lillebonne
Mãe Ana de Lorena

Isabel Teresa de Lorena (em francês: Élisabeth-Thérèse de Lorraine; França, 5 de abril de 1664 — Hôtel de Mayenne, 7 de março de 1748) foi um membro da nobreza francesa e Princesa de Epinoy através do casamento. Ela é muitas vezes referida como a Princesa de Lillebonne. Foi a mãe de Luís de Melun, Duque de Joyeuse, que desapareceu em circunstâncias misteriosas em 1724 e de Ana Júlia de Melun, Princesa de Soubise.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Era membro do ramo cadete da Casa de Guise, seu pai, Francisco Maria, Príncipe de Lillebonne era o filho mais novo de Carlos II de Lorena, Duque de Elbeuf e Catarina Henriqueta de Bourbon, filha natural de Henrique IV de França e Gabrielle d'Estrées. A sua mãe, Ana, era prima afastada do seu pai e filha única de Carlos IV de Lorena e do seu casamento secreto de com Beatriz de Cusance.

A quinto dos nove filhos dos seus pais, foi a única dos seus irmãos a casar ou a ter filhos. Foi intitulada de "Mademoiselle de Commercy" na corte real francesa, pois o principado de Commercy era um domínio subsidiário da Casa de Lorena.

A 7 de outubro de 1691, Mademoiselle de Commercy casou-se com Luís de Melun, Príncipe de Epinoy e duque de Joyeuse, que era nove anos mais jovem que a sua noiva). O casal teve dois filhos, um filho em 1694 e uma filha em 1698. Apenas esta última teria descendência.

Ela foi a Duquesa de Luxemburgo-Saint-Pôl[1] por seu próprio direito. Comprou o ducado a Maria de Nemours[1][2]

Era dama de companhia de Maria Ana de Bourbon, Princesa de Conti, uma filha legitimada do rei Luís XIV de França.

Ela e sua irmã foram confrontadas, por Saint-Simon, acusadas de serem espiãs para Françoise d'Aubigné, Madame de Maintenon. No círculo de Luís, Grande Delfim de França, tornou-se próxima da sua outra meia-irmã, Luísa Francisca de Bourbon conhecida como Madame la Duchesse. Também foi próxima do seu tio Carlos Henrique, Príncipe de Vaudémont e Luís José, Duque de Vendôme.[3]

Em 1721, com a morte da sua tia-avó, Margarida Luísa d'Orleães, grã-Duquesa da Toscana, Isabel teresa foi designada como sua herdeira, apesar de Margarida ter supostamente prometido que gostaria de tornar os seus filhos seus herdeiros.[4]

Perdeu ambos os filhos em 1724: Luís, depois de ter casado secretamente com Maria Ana de Bourbon, filha de Luís III de Bourbon-Condé, desapareceu durante um baile no Castelo de Chantilly, em julho. Ana Júlia tinha morrido antes de varíola, deixando cinco filhos.

Ela e o seu marido morreram a 7 de março de 1748 no Hôtel de Mayenne.[5] Morreu oitenta e três anos.[5]

Através da sua filha, ela é um antepassado do actual Duque de Montbazon da Casa de Rohan.

Descendência[editar | editar código-fonte]

Títulos e estilos[editar | editar código-fonte]

  • 5 de abril de 1664 – 7 de outubro de 1691 Sua Alteza Mademoiselle de Commercy
  • 7 de outubro de 1691 – 7 de março de 1748 Sua Alteza Madame d'Epinoy

Referências e Notas[editar | editar código-fonte]

  1. a b «Women in power». guide2womenleaders.com. Consultado em 26 de março de 2010 
  2. em 1705 e 1724, ela transferiu para seu filho, que morreu logo depois.
  3. Goldhammer, Arthur, tr., Saint-Simon and the court of Louis XIV [Translated memoirs of Saint-Simon], The University of Chicago Press, London, 2001, p.33
  4. Acton, Harold (1980).
  5. a b von Rosen, Laurent Tahon. «Ducs de France: les 32 quartiers des ducs français et de leurs épouses». Googlebooks.org. Consultado em 7 de abril de 2010