Isabel do Palatinado-Simmern

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Isabel
Duquesa da Saxónia
Condessa do Palatinado-Simmern
Duquesa da Saxónia
Reinado 12 de junho de 1558
a novembro de 1566
Antecessor(a) Sibila de Cleves
Sucessor(a) Ana da Saxónia em Saxe-Coburgo
Isabel de Mansfeld-Hinterort em Saxe-Eisenach
 
Marido João Frederico II, Duque da Saxónia
Descendência João Frederico da Saxónia
Frederico Henrique da Saxónia
João Casimiro, Duque de Saxe-Coburgo
João Ernesto, Duque de Saxe-Eisenach
Casa Wettin
Wittelsbach
Nascimento 30 de junho de 1540
  Birkenfeld, Palatinado-Simmern, Sacro Império Romano-Germânico
Morte 8 de fevereiro de 1594 (53 anos)
  Wiener Neustadt, Viena, Sacro Império Romano-Germânico
Pai Frederico III, Eleitor Palatino
Mãe Maria de Brandemburgo-Kulmbach

Isabel do Palatinado (Birkenfeld, 30 de junho de 1540Wiener Neustadt, 8 de fevereiro de 1594) foi a segunda esposa do duque João Frederico II da Saxónia.

Vida[editar | editar código-fonte]

Isabel era filha do eleitor palatino Frederico III e da sua esposa, a princesa Maria de Brandemburgo-Kulmbach. Era a terceira filha e a segunda a chegar à idade adulta.

A 12 de Junho de 1558 Isabel casou-se em Weimar com o duque João Frederico II da Saxónia, filho mais velho do príncipe-eleitor João Frederico "o Magnânimo" da Saxónia. O seu marido escolheu o Castelo de Grimmenstein (o predecessor do Castelo de Friedenstein) em Gota como residência. Durante a Guerra de Gota, o príncipe-eleitor Augusto da Saxónia atacou Gota e o Castelo de Grimmenstein e conquistou-os a 13 de Abril de 1567. João Frederico foi preso e passou o resto da vida (29 anos) sob custódia imperial. Foi levado para Dresden e, em Junho de 1567 para Wiener Neustadt. A duquesa Isabel fugiu com os filhos para Eisenach e depois para a corte da sua irmã, a condessa Doroteia Susana do Palatinado-Simmern, que era casada com o irmão do seu marido, João Guilherme, Duque de Saxe-Weimar. Em finais de 1568, regressou a Eisenahch, inicialmente para a corte Zollhof, depois para o Wartburg e finalmente para o castelo de Eisenberg

Nos anos que se seguiram, Isabel escreveu várias petições a várias pessoas, incluindo o sacro-imperador Maximiliano II, a imperatriz Maria e a princesa Ana da Dinamarca para tentar libertar o marido. Com a ajuda do pai e dos irmão, apareceu na Dieta of Speyer (1570). Foi-lhe dada permissão para implorar de joelhos ao sacro-imperador Maximiliano II no Castelo de Heidelberg, que pertencia ao seu pai. Depois dessa ocasião, o sacro-imperador voltou a dar o estatuto de príncipes imperiais aos seus filhos. O duque João Guilherme foi o regente deles até à Divisão de Erfurt a 6 de Novembro de 1572. Depois dessa divisão, os seus guardiãs passaram a ser o príncipe-eleitor João Jorge de Brandemburgo (que foi sucedido em 1578 pelo seu sobrinho, Jorge Frederico I, Marquês de Brandemburgo-Ansbach), o eleitor-palatino Frederico III e o príncipe-eleitor Augusto da Saxónia, que lhes deu uma educação supervisionada por ele e seguindo as suas ideias.

No verão de 1572, Isabel mudou-se com o seu marido para o castelo de Wiener Neustadt, onde os dois ficaram em prisão domiciliária. Depois, só regressou a Coburgo duas vezes. A 5 de Agosto de 1572, o seu filho, Frederico Henrique, morreu em Eisenberg. Os seus dois filhos mais novos, João Casimiro e João Ernesto mudaram-se para o Palácio de Ehrenburg em Coburgo a 5 de Dezembro de 1572, onde foram educados sob a orientação do conde de Barby, que era confidente de Augusto.

Entre Junho e Julho de 1578, Isabel viajou até Coburgo através de Praga para se tentar encontrar com a imperatriz-viúva Maria, mas não teve sucesso, tendo-se encontrado apenas com a sua irmã Doroteia Susana. Em 1583, entre Março e Agosto, Isabel viajou por Praga e Coburgo até Weimar para assistir ao casamento de Frederico Guilherme I com a princesa Sofia de Württemberg a 5 de Maio, e para se encontrar com o príncipe-eleitor Augusto. No entanto, ele cancelou o encontro. Na viagem de regresso, visitou o seu irmão, o eleitor-palatino Luís VI em Heidelberg, na companhia dos filhos.

Isabel morreu a 8 de Fevereiro de 1594 na sala de armas do castelo de Wiener Neustadt. O seu corpo foi transladado para Coburgo no final do ano e enterrado na Morizkirche a 30 de Dezembro de 1594. Em 1598, o duque João Casimiro encomendou um alabastro com doze metros de altura ao escultor Nikolaus Bergner para colocar em cima da sepultura de Isabel e João Frederico, que tinha morrido em 1595.[1]:48

Casamento e descendência[editar | editar código-fonte]

A 12 de Junho de 1558 em Weimar, Isabel casou-se com o duque João Frederico II da Saxónia, filho mais velho do príncipe-eleitor João Frederico "o magnânimo" da Saxónia. Tiveram quatro filhosː

  1. João Frederico da Saxónia (30 de Novembro de 1559 – 8 de Agosto de 1560), morreu aos nove meses de idade.
  2. Frederico Henrique da Saxónia (3 de Fevereiro de 1563 – 4 de Agosto de 1572), morreu aos nove anos de idade.
  3. João Casimiro, Duque de Saxe-Coburgo (12 de Junho de 1564 – 16 de Julho de 1633), casado primeiro com a princesa Ana da Saxónia; sem descendência. Casado depois com a princesa Margarida de Brunswick-Lüneburg; sem descendência.
  4. João Ernesto, Duque de Saxe-Eisenach (9 de Julho de 1566 – 23 de Outubro de 1638), casado primeiro com a princesa Isabel de Mansfeld-Hinterort, de quem teve apenas um filho nado-morto. Casado depois com a princesa Cristina de Hesse-Cassel; sem descendência.

Genealogia[editar | editar código-fonte]

Os antepassados de Isabel do Palatinado-Simmern em três gerações
Isabel do Palatinado-Simmern Pai:
Frederico III, Eleitor Palatino
Avô paterno:
João II, Conde Palatino de Simmern
Bisavô paterno:
João I, Conde Palatino de Simmern
Bisavó paterna:
Joana de Nassau-Saarbrücken
Avó paterna:
Beatriz de Baden
Bisavô paterno:
Cristóvão I, Marquês de Baden-Baden
Bisavó paterna:
Otília de Katzenelnbogen
Mãe:
Maria de Brandemburgo-Kulmbach
Avô materno:
Casimiro, Marquês de Brandemburgo-Bayreuth
Bisavô materno:
Frederico I, Marquês de Brandemburgo-Ansbach
Bisavó materna:
Sofia Jaguelão, Marquesa de Brandemburgo-Ansbach
Avó materna:
Susana da Baviera
Bisavô materno:
Alberto IV, Duque da Baviera
Bisavó materna:
Cunegunda da Áustria

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Klüglein, Norbert (1991). Coburg Stadt und Land (German). [S.l.]: Verkehrsverein Coburg 
  • August von Kluckhohn (1877), "Elisabeth (Herzogin zu Sachsen)", Allgemeine Deutsche Biographie (ADB) (in German) 6, Leipzig: Duncker & Humblot, p. 38 
  • Joachim Kruse: Herzog Johann Friedrich II. der Mittlere von Sachsen (1529-1595) und das ernestinische Familienepitaph in St. Moriz, Coburg, vollendet 1598. Eine kultur- und kunstgeschichtliche Studie", part 1, in: Jahrbuch der Coburger Landesstiftung 2007, ISSN 0084-8808