Isildur

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde outubro de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Isildur
Personagem da Terra Média
Raça Homens
Divisão Dúnedain
Família Casa de Gondor
Tiítulos Alto Rei de Arnor e Gondor
Arma Espada,
escudo
e lança
Data de Nascimento 3209 da Segunda Era do Sol
Data de Falecimento 3441 da Segunda Era do Sol
Primeira aparição
em Livro
O Silmarillion
Primeira aparição
em Filme
The Lord of the Rings: The Fellowship of the Ring
Personagems Criados por J.R.R. Tolkien


Isildur é um personagem fictício criado por J.R.R. Tolkien na trilogia de O Senhor dos Anéis. Na série Isildur pertence ao povo dos Homens e é da estirpe dos dúnedain. Residiu em Numenor e Minas Ithil. Filho de Elendil, e mãe desconhecida. Irmão de Anárion Teve 4 filhos: Elendur, Aratan, Ciryon e Valandil (esposa desconhecida) Sua altura era de cerca de 2,15 metros. Isildur foi o filho de Elendil, o Grande Rei de Gondor e Arnor. Juntamente com seu irmão Anarion governou Gondor no Sul, enquanto seu pai mantinha o Norte. Durante a Guerra da Última Aliança, Isildur cortou o Um Anel da mão de Sauron, mas recusou-se a destruí-lo. Isildur foi morto por Orcs e o Anel foi perdido no Campos de Lis por quase 2.500 anos.

História[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Isildur nasceu em Númenor no ano 3209 da Segunda Era. Ele tinha um irmão mais novo, Anárion, nascido em 3219. Eles viveram no paraíso da Romenna, na costa leste da ilha de Númenor. Seu pai foi Elendil, e seu avô foi Amandil, o Senhor do Andúnië. Os Senhores da Andúnië foram os descendentes de reis de Númenor por Silmarien, a quarta filha do Rei, Tar-Elendil.

Elros, o meio-elfo, primeiro Rei de Númenor, tinha escolhido a vida dos homens mortais, enquanto seu irmão Elrond escolheu a vida imortal dos Elfos. Ao longo do tempo, cresceu entre os Reis de Númenor o ressentimento de seus ancestrais pela escolha feita, e passaram a desejar a imortalidade para si. Tornaram-se estranhos aos elfos aos Valar, e negligenciaram a adoração a Eru, o Único, que os criou.

Um pequeno grupo de Númenoreamos permaneceu amigo dos elfos e fiéis a Eru e aos Valar. Entre esses fiéis estavam os Senhores do Andúnië. Em 3262, Ar-Pharazôn, o Rei de Númenor, tornou Sauron cativo e trouxe-o para Númenor. Sauron deixou-se capturar, pois queria corromper os Númenoreanos, a fim de trazer a sua ruína. Ele usou o desejo pela imortalidade e poder que possuíam para convencê-los a renunciar a Eru e cultuar Morgoth.

Isildur soube que Sauron queria Ar-Pharazôn para cortar Nimloth, a Árvore Branca que havia vindo das Terras Imortais. Isildur disfarçadamente saiu da corte dos Reis e pegou uma fruta de Nimloth. Os guardas o descobriram e o atacaram, e Isildur foi ferido gravemente, mas conseguiu escapar com a fruta. Isildur esteve perto da morte por muitos meses, mas quando o fruto da árvore branca começou a brotar, acordou e recuperou-se de seus ferimentos.

Como a influência de Sauron aumentou, os Fiéis começaram a se preparar para deixar Númenor. Eles lotaram seus navios com suas famílias e muitas de suas possessões, incluindo os palantíri. Isildur tinha três navios, e ele trouxe a bordo a muda da Árvore Branca, assim como sua esposa e seu filho Elendur, que havia nascido em 3299.

O avô de Isildur, Amandil, esperava para pleitear com os Valar para poupar os fiéis. Ele velejou para o Oeste, em direção às Terras Imortais, mas não é sabido o que foi feito dele e ele nunca mais foi visto.

As mentiras de Sauron convencem Ar-Pharazôn que ele poderia alcançar a imortalidade nas Terras Imortais. Em 3319, Ar-Pharazôn define com uma grande frota que pretendia assumir as Terras Imortais a força. Mas quando ele colocou o pé na terra, Eru fez com que o mar se abrisse. A frota de Númenor afundou e foi destruída por uma grande onda.

Os navios dos fiéis a Eru foram poupados, e um grande vento do oeste enviou-os para as margens da Terra-Média. Elendil desembarcou no norte, enquanto Isildur e Anárion chegaram à Foz do Anduin ao sul. Elendil e seus filhos estabeleceram o Reino do Norte de Arnor e o Reino do Sul de Gondor, em 3320. Elendil era o Alto Rei dos dois reinos, mas ele governou em Arnor e dividiu o governo do Estado de Gondor entre seus filhos.

Isildur e Anárion tiveram seus tronos, lado a lado no Grande Salão de Osgiliath, a cidade que eles fundaram sobre o Anduin. Anárion viveu em Minas Anor no lado oeste do Anduin, enquanto Isildur fez a sua casa, em Ithilien no lado oriental do Anduin. Isildur construiu Minas Ithil em um vale das Montanhas das Sombras, na fronteira com Mordor. Minas Ithil era uma bela cidade branca, mas era também um reduto para a defesa contra o mal que ainda poderia vir a habitar em Mordor. Não era ainda sabido que Sauron já havia retornado em segredo e havia começado a reconstruir a sua força. Isildur teve um dos palantíri chamado a Pedra de Ithil, que ele usou para se comunicar com seu irmão e pai. Ele plantou a muda da Árvore Branca, em frente a sua casa. Isildur e sua esposa tiveram mais dois filhos, enquanto que viveram em Gondor – Aratan nascido em 3339 e Ciryon nascido em 3379. Nos primeiros dias de Gondor, Isildur foi à Colina de Erech à entrada do Vale da Raiz Negra nas Montanhas Brancas. Sobre o topo da colina ele colocou a Pedra de Erech, uma grande esfera negra que ele havia trazido de Númenor. Isildur reuniu-se com o Rei das Montanhas, que jurou lealdade a Isildur sobre a Pedra. Mas depois, quando Isildur chamou os homens das Montanhas para se juntar à luta contra Sauron, eles se recusaram. Isildur os amaldiçoou, e disse que nunca iriam descansar até que cumprissem seu juramento, e eles assombraram as Sendas dos Mortos.

Sauron atacou e capturou Minas Ithil em 3429. Isildur escapou com sua esposa e filhos e outra muda da Árvore Branca. Isildur e sua família embarcaram em um navio a Foz do Anduin e navegaram ao redor da costa da Terra-Média para Arnor, onde encontraram Elendil. Elendil consultou Gil-galad, o Rei dos Elfos, que viveu em Lindon, a oeste de Arnor. Gil-galad e Elendil formaram a Última Aliança dos Elfos e Homens para se opor a Sauron em 3430. Nesse mesmo ano, o filho mais novo de Isildur, Valandil nasceu na casa de Elrond em Valfenda.

O exército da Última Aliança se reuniu em Rivendell em 3431 e, em seguida, marchou para a guerra. Isildur e seus três filhos mais velhos – Elendur, Aratan, e Ciryon – foram com o exército, enquanto sua mulher e seu filho mais novo, Valandil permaneceram em Valfenda. A Guerra da Última Aliança começou em 3434. As forças de Sauron foram derrotadas na Batalha de Dagorlad sobre a planície fora de Mordor, e o exército da Última Aliança entrou no reino de Sauron e estabeleceu cerco a Barad-Dûr. O Cerco de Barad-Dûr durou sete anos e muitos homens e elfos foram mortos, incluindo o irmão de Isildur, Anárion que morreu em 3440.

Por fim, em 3441, Sauron desceu de sua torre. Ele lutou com Gil-galad e Elendil nas encostas da Montanha da Perdição. O corpo de Sauron caiu, mas Gil-galad e Elendil morreram na luta. A espada de Elendil, Narsil partiu debaixo dele quando ele caiu. Isildur tomou o cabo da Narsil e usou a lâmina quebrada para cortar o Um Anel da mão de Sauron. O espírito de Sauron fugiu de seu corpo, mas, como o anel continha grande parte do seu poder, seu espírito sobreviveu. Elrond and Círdan aconselharam Isildur a destruir o Anel imediatamente nas chamas das Montanhas da perdição. Mas Isildur recusou, dizendo:


"Vou ficar com ele como compensação pela morte de meu pai e de meu irmão. Não fui eu quem deu no Inimigo o golpe fatal?"

O Silmarillion: "Dos Anéis de Poder e da Terceira Era", p. 295


O poder do anel era tamanho, que ninguém poderia destruí-lo de bom grado. A atração do Anel começou a agir em Isildur, logo que ele o tocou. O grande calor do Anel queimou a mão de Isildur, mas ele ainda o achava belo e precioso.


Estava quente no primeiro momento que o toquei, quente como brasa, e minha mão se queimou, de tal modo que duvidei que algum dia pudesse me ver livre da dor… Mas, da minha parte, não arriscarei danificar uma coisa dessas: de todos os trabalhos de Sauron, o único belo. É precioso para mim, embora eu o tenha adquirido a custo de grande sofrimento.A Sociedade do Anel: "O Conselho de Elrond," p. 268


Isildur notou que havia algo escrito no Anel que aparecia quando ele ainda estava quente, mas desaparecia quando ele esfriava. Ele escreveu a descrição do Anel em um pergaminho que deixou nos arquivos de Minas Anor para as gerações futuras.

Isildur assumiu a realeza de Gondor e Arnor, mas ele pretendia voltar para o Norte e deixar o filho de Anárion, Meneldil para governar no Sul. Ele permaneceu em Minas Anor durante alguns anos para dar conselhos e instruções para Meneldil. Juntos, eles partiram em uma jornada através de todas as terras pertencentes a Gondor. No cume de Halifirien na Floresta Firien, Isildur enterrou o corpo de seu pai Elendil. Antes de sair Minas Anor, Isildur plantou a muda da Árvore Branca em memória de seu irmão Anárion.

Em 5 de Setembro do ano 2 da Terceira Era, Isildur deixa Minas Anor com seus três filhos mais velhos e 200 cavaleiros. Eles marcharam até os Vales do Anduin no lado oriental do rio, indo pela Passagem Alta passando pelas Montanhas Sombrias. Trinta dias depois, no dia 4 de outubro, a companhia de Isildur foi atacada por Orcs perto dos Campos de Lis. Os Orcs não sabiam que Isildur tinha o Um Anel, mas foram involuntariamente atraídos pelo seu poder. Os homens de Isildur estavam em desvantagem de dez para um, e embora inicialmente eles tenham conseguido repelir o ataque, os Orcs renovaram seu ataque depois de anoitecer e os homens foram esmagados. Antes do começo da batalha, Isildur havia mandado para longe seu escudeiro Ohtar com os fragmentos da Narsil. Isildur manteve o Um Anel, mas foi inútil em defender seus homens contra os Orcs. Ele percebeu nessa hora que ele não tinha força para controlar o Anel e não poderia nem mesmo colocá-lo sem causar grande dor a si próprio. Isildur lamentou o tolo orgulho que o levou a ficar com o Anel.

Os filhos de Isildur, Aratan e Ciryon foram mortos, e seu filho mais velho Elendur implorou para que ele fugisse, a fim de evitar que o Orcs capturassem o Anel. Isildur concordou e partiu com grande tristeza por Elendur, que foi assassinado liderando o restantes dos Dúnedain. Isildur colocou o Um Anel, embora com tristeza, e foi para o Anduin. Ele removeu sua armadura e entrou no rio que pretendia atravessar, mas a corrente era forte e o puxou para os pântanos dos Campos de Lis. Então, o Anel deixou o dedo de Isildur e perdeu-se nas águas. Isildur sentiu uma imensa sensação de perda, mas sentiu-se aliviado, como se um grande peso tivesse sido retirado dele. Ele emergiu para fora da água, mas naquele momento ele foi visto por Orcs que atiraram nele com flechas na garganta e do coração.

O Um Anel permaneceu nos Campos de Lis até que foi encontrado por Déagol em 2463. O corpo de Isildur também foi lançado nas águas, não descoberto pelos seus parentes. Embora procurando o Um Anel, Saruman encontrou o Elendilmir, que Isildur havia usado, e alguns especularam que o mago poderia ter encontrado e profanado os restos de Isildur, mas não se sabe se isso é verdade.

O filho mais novo de Isildur, Valandil, tornou-se o Rei de Arnor quando atingiu a idade no ano 10. Mas ele não clamou a realeza de Gondor, e os dois se tornaram reinos separados. Gondor continuou a ser regida pelos herdeiros de Anárion, enquanto Arnor foi governada pelos herdeiros de Isildur. No final da Terceira Era os reinos foram reagrupados por Aragorn, o Rei Elessar, Herdeiro de Isildur.

Datas Importantes[editar | editar código-fonte]

Segunda Era:

3209[editar | editar código-fonte]

Nascimento de Isildur em Numenor.

3219[editar | editar código-fonte]

Nascimento de irmão de Isildur, Anarion.

3262[editar | editar código-fonte]

Ar-Pharazôn leva Sauron para Numenor.

3299[editar | editar código-fonte]

Nascimento do filho mais velho de Isildur, Elendur.

3319[editar | editar código-fonte]

Ar-Pharazôn tenta assumir as Terras Imortais. Númenor é destruída por Eru. Isildur escapa com sua família e outros dos Fiéis.

3320[editar | editar código-fonte]

Fundação de Gondor e Arnor. Elendil, o Alto Rei, habita em Arnor, enquanto Isildur e Anárion conjuntamente reinam em Gondor. Sauron retorna a Mordor.

3339[editar | editar código-fonte]

Nascimento do filho de Isildur, Aratan.

3379[editar | editar código-fonte]

Nascimento do filho de Isildur, Ciryon.

3429[editar | editar código-fonte]

Sauron ataca Gondor e captura Minas Ithil. Isildur e sua família escapam para o vale de Arnor.

3430[editar | editar código-fonte]

A Última Aliança dos Elfos e Homens é formada. Nascimento do filho de Isildur, Valandil em Valfenda.

3431[editar | editar código-fonte]

O exército da Última Aliança se reúne em Valfenda.

3434[editar | editar código-fonte]

Guerra da Última Aliança começa. As forças de Sauron são derrotadas na Batalha de Dagorlad. O exército da Última Aliança estabelece cerco a Barad-Dur.

3440[editar | editar código-fonte]

o irmão de Isildur, Anarion é morto em batalha.

3441[editar | editar código-fonte]

Sauron é derrotado por Elendil e Gil-galad, que morrem. Isildur corta o Um Anel da mão de Sauron. Elrond e Crdan o aconselham a destruí-lo, mas Isildur se recusa.

Terceira Era:

5 de Setembro: Isildur ruma para Arnor. 4 de Outubro: Isildur é morto por Orcs nos Campos de Lis e é o Um Anel é perdido nas águas.

Nomes & Títulos[editar | editar código-fonte]

Isildur[editar | editar código-fonte]

O nome Isildur significa "dedicado à Lua". Isil é a palavra Quenya para "lua"; o semelhante em Sindarin é Ithil. Ambas são obtidas a partir de SIL que significa "brilhar". O sufixo ndur ou dur significa "devoção".


O Silmarillion[editar | editar código-fonte]

"Apêndice – Elementos em Nomes Quenya e Sindarin", de entradas (n) dur e sil.


Rei de Gondor[editar | editar código-fonte]

Isildur governou Gondor conjuntamente com seu irmão Anárion, embora seu pai tenha sido o Alto Rei de Gondor e Arnor.


Rei de Arnor[editar | editar código-fonte]

Depois da morte do pai, Isildur assumiu a realeza de Arnor, embora ele tenha sido morto antes de ser capaz de alcançar o Reino do Norte.


Alto Rei[editar | editar código-fonte]

Isildur clamou pela realeza de Gondor e Arnor, como seu pai havia feito, mas ele deixou o filho de Anarion, Meneldil, para governar Gondor enquanto ele tinha intenção de viver em Arnor.


Portador do Anel[editar | editar código-fonte]

Isildur foi o primeiro dos Reis-Portadores após Sauron.

Árvore genealógica[editar | editar código-fonte]

 
 
 
 
 
 
 
 
Elros
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Reis de Numenor
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Senhors de Andúnië
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Elendil
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Isildur
 
 
 
 
 
 
 
Anárion
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Elendur
 
 
Ciryon
 
Valandil
 
 
 
Reis de Gondor
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Aratan
 
 
 
Altos-Reis de Arnor
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Eldacar
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Reis de Cardolan
 
 
 
 
 
 
Reis de Rhudaur
 
 
 
 
 
 
 
 
Reis de Arthedain
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Líderes dos Dúnedain
 
 
 
 
Elrond Meio-Elfo
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Aragorn II
 
 
 
 
 
Arwen
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Eldarion
 
 
Depois
duas filhas
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Kings of the Reunited Kingdom

Ver também[editar | editar código-fonte]

Precedido por: Lista dos Reis de Arnor Sucedido por:
Elendil Valandil