Isogamia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Isogamia é um tipo de fecundação em que os gametas masculino e feminino são morfologicamente (tamanho) e fisiologicamente (motilidade) idênticos.

Características[editar | editar código-fonte]

Esse é o tipo mais primitivo de fecundação, sendo encontrado em algas clofíceas (algas verdes) e fungos. Em algas clorofíceas, há isogamia de fato, mas apenas um dos gametas formados por um dos núcleos haplóides da alga, movimenta-se em direção ao outro, embora esse tenha capacidade de movimentar-se e deslocar-se em direção ao outro[carece de fontes?]. Nesse caso, embora ocorra isogamia, é mais prudente e correto chamarmos de anisogamia funcional (como ocorre com a alga clorofícea do gênero Spyrogira sp[carece de fontes?]).

Evolução[editar | editar código-fonte]

Parece que é o primeiro estágio da reprodução sexual. Em diferentes linhagens (plantas, animais), essa forma de reprodução evoluiu independentemente para espécies de anisogâmicas com gametas tipos de mal e fêmea para oogâmica em qual o gameta feminino é muito maior que o mal e não tem capacidade de se mover. Como um bom argumento, isso foi impulsionado pelas restrições físicas nos mecanismos pelos quais dois gametas foram obtidos conforme necessário para reprodução sexual.[1]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia tem o portal:

Referências

  1. Dusenbery, David B. (2009). Living at Micro Scale, Chapter 20. Harvard University Press, Cambridge, Massachusetts ISBN 978-0-674-03116-6.
Ícone de esboço Este artigo sobre reprodução é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.