Isolino Leal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Isolino Leal (Três Cerros de Arapey, 6 de dezembro de 1879Porto Alegre, 25 de março de 1950) foi um escritor uruguaio radicado no Brasil.

Filho de Luís Nazário Leal e Júlia Joaquina da Silva, naturais do Rio Grande do Sul, fez seus estudos iniciais em Quaraí e depois cursou agronomia em Pelotas, porém não se formou após ter brigado com um professor.[1] Mudou-se para Porto Alegre, viveu no Rio de Janeiro, como repórter e Manaus.[1] Mudou-se para Santana do Livramento, onde casou com Eutália Pinheiro, foi jornalista e começou a escrever, publicando Rosas de Arapeí, em 1915.[1] Também escreveu Sementes, Momentos, Almas Simples, em 1924, publicado pela Editora Globo, Água de Sanga, em 1929.[1]

Compôs, em 1924, o primeiro hino do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense, onde exultava a força do clube e ao amor a ele.[2]

Referências

  1. a b c d SPALDING, Walter. Construtores do Rio Grande. Livraria Sulina, Porto Alegre, 1969, 3 vol., 840pp.
  2. Neves, Márcio. «Curiosidades». Sítio oficial do Grêmio. Consultado em 9 de fevereiro de 2009 
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.