Isotiocianato de fluoresceína

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Isotiocianato de fluoresceína
Alerta sobre risco à saúde
FITC-2D-skeletal.png
Outros nomes FITC
Identificadores
Número CAS 27072-45-3
PubChem 18730
MeSH Fluorescein-5-isothiocyanate
SMILES
Propriedades
Fórmula molecular C21H11NO5S
Massa molar 389.382
Ponto de fusão

359.5 °C

Compostos relacionados
Compostos relacionados Fluoresceína
Página de dados suplementares
Estrutura e propriedades n, εr, etc.
Dados termodinâmicos Phase behaviour
Solid, liquid, gas
Dados espectrais UV, IV, RMN, EM
Exceto onde denotado, os dados referem-se a
materiais sob condições normais de temperatura e pressão

Referências e avisos gerais sobre esta caixa.
Alerta sobre risco à saúde.

Isotiocianato de fluoresceína (citado também com a sigla FITC, de seu nome em inglês fluorescein isothiocyanate) é um derivado da fluoresceína usado numa grande quantidade de aplicações como citometria de fluxo, RFG (rítmo de filtração de glomerular), na marcação por conjugação de anticorpos[1], onde é o corante mais utilizado[2], etc.

FITC é a molécula original de fluoresceína modificada com um grupo reativo isocianato (-N=C=S), substituindo um átomo de hidrogênio no anel inferior da estrutura. Este derivado é reativo porque atrai-se por grupos aminas e sulfidrila em proteínas.

Um grupo funcional succinimidil-éster ligado ao núcleo fluoresceína, produzindo NHS-fluoresceína, forma derivados de amina reativos que possuem maior especificidade que muitas outras aminas na presença de outros nucleófilos.

FITC tem comprimentos de onda de excitação e emissão de aproximadamente 495 nm/521 nm. Como outros fluorocromos, é propenso ao fotobranqueamento. Por causa dos mais recentes derivados de fluoresceína tais como Alexa 488 e DyLight 488, tem sido relacionado a várias aplicações químicas e biológicas onde maior fotoestabilidade, maior intensidade de fluorescência, ou diferentes grupos adicionados são necessitados.

É utilizado dissolvido em DMSO quando em conjugação de anticorpos[1] em concentrações de aproximadamente 1 mg/mL[2].

É utilizado também em estudos e análises de domínios de ligação à celulose (CBD, do inglês cellulose-binding domain) na alteração de fibras de celulose.[3][4]

Referências

  1. a b FITC conjugation of Antibodies - www.drmr.com (em inglês)
  2. a b Márjorie A. Golim et al; Conjugação e validação de controle isotípico IgG1-FITC para uso em citometria de fluxo; Rev. Bras. Hematol. Hemoter. vol.29 no.4 São José do Rio Preto Oct./Dec. 2007; doi: 10.1590/S1516-84842007000400008
  3. Pinto, João Ricardo; Production of cellulose-binding domains by proteolysis : studies on the adsorption and modification of cellulose fibres; Tese de Doutoramento em Engenharia Química e Biológica; 29-Jan-2007 (em inglês)
  4. Amaral, A. L. et al; Determinação da concentração de CBD-FITC adsorvidos em fibras por análise de imagem; SIMPÓSIO NACIONAL DE BIOPROCESSOS, 15, Recife, 2005 – “Anais do XV Simpósio Nacional de Bioprocessos ( SINAFERM)”.