Israelitas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Israelita.
Mosaico de meados do século XX das Doze Tribos de Israel, em uma parede da sinagoga Etz Yosef em Givat Mordechai, Jerusalém

Os israelitas (em hebraico: בני ישראל; transl.: Bnei Yisra'el)[1] eram uma confederação de tribos de língua semítica do período da Idade do Ferro no Antigo Oriente Próximo, que habitavam uma parte de Canaã durante os períodos tribais e monárquicos.[2][3][4][5][6] De acordo com a narrativa religiosa da Bíblia hebraica, a origem dos israelitas remonta aos patriarcas Abraão e sua esposa Sara, através de seu filho Isaque e sua esposa Rebeca, e seu filho Jacó, que mais tarde foi chamado de Israel, donde derive seu nome, com suas esposas Lia e Raquel e as servas Zilpa e Bila.[carece de fontes?]

A arqueologia moderna largamente descartou a historicidade da narrativa religiosa,[7] sendo reenquadrada como constituinte de uma narrativa mítica nacional inspiradora. Os israelitas e sua cultura, de acordo com o relato arqueológico moderno, não ultrapassaram a região pela força, mas ramificaram-se dos povos cananeus nativos que há muito habitavam o sul do Levante, a Síria, o antigo Israel e a região da Transjordânia.[8][9][10] Através do desenvolvimento de uma distinta religião monolátrica - mais tarde consolidada como monoteísta - centrada em Javé, uma das deidades cananeias antigas, juntamente com várias práticas de culto, gradualmente os israelitas surgiram como um grupo étnico distinto, que se separou dos outros cananeus.[8][11][12]

Uso do termo[editar | editar código-fonte]

A Estela de Merneptá. Embora existam traduções alternativas, a maioria dos arqueólogos bíblicos traduz um conjunto de hieróglifos como Israel, representando a primeira instância do nome Israel no registro histórico

Na Bíblia hebraica, o termo israelitas é usado de forma intercambiável com o termo Doze Tribos de Israel. Embora relacionados, os termos hebreus, israelitas e judeus não são intercambiáveis ​​em todas as instâncias. "Israelitas" (Yisraelim) refere-se especificamente aos descendentes diretos de qualquer um dos filhos do patriarca Jacó (mais tarde chamado Israel) e seus descendentes como um povo também coletivamente chamados de "Israel", incluindo convertidos à sua fé, o Deus de Israel. "Hebreus" (ʿIrim), ao contrário, é usado para denotar os antepassados ​​imediatos dos israelitas que habitavam a terra de Canaã, os próprios israelitas e os antigos e modernos descendentes dos israelitas (incluindo judeus e samaritanos). "Judeus" (Yehudim) é usado para denotar os descendentes dos israelitas que se uniram quando a tribo de Judá absorveu os remanescentes de várias outras tribos israelitas. Por exemplo, Abraão era hebreu, mas não era tecnicamente israelita nem judeu, Jacó era hebreu e foi o primeiro israelita, mas não era judeu, enquanto Davi (como membro da tribo de Judá) era hebreu,israelita e judeu. Um samaritano, ao contrário, é tanto hebreu quanto israelita, mas não é judeu. Durante o período da monarquia dividida, o termo "israelitas" era usado ​​apenas para se referir aos habitantes do setentrional de Reino de Israel, e só se estendia ao povo do meridional Reino de Judá, em uso pós-exílo.[13]

Os israelitas são a etnia da qual os judeus e samaritanos modernos originalmente traçam sua ancestralidade.[14][15][16] [20] Os judeus modernos são nomeados e também descendentes do Reino de Judá,[8][17][18] particularmente as tribos de Judá, Benjamim, Simeão e parcialmente de Levi. Muitos israelitas se refugiaram no Reino de Judá após o colapso do Reino de Israel.[19]

Finalmente, no judaísmo, o termo "israelita" é, em termos gerais, usado para se referir a um membro leigo do grupo étnico-religioso judaico, em oposição às ordens sacerdotais de cohen e levita. Em textos da lei judaica, como o Mishná e o Guemará, o termo יהודי (Yehudi), que significa judeu, é raramente usado, e em vez disso o etnônimo ישראלי (Yisraeli), ou israelita, é amplamente usado para se referir aos judeus. Os samaritanos geralmente se referem a si mesmos e aos judeus coletivamente como israelitas e eles se descrevem como samaritanos israelitas.[20][21]

Genética[editar | editar código-fonte]

Em 2000, M. Hammer et al. conduziram um estudo com 1371 homens e estabeleceram definitivamente que parte do pool genético paterno de comunidades judaicas na Europa, Norte da África e Oriente Médio veio de uma população ancestral comum do Oriente Médio.[22] Em outro estudo (Nebel) observou: "Em comparação com dados disponíveis de outras populações relevantes na região, os judeus são muito mais próximos dos grupos no norte do Crescente Fértil (curdos, turcos e armênios) do que de seus vizinhos árabes."[23]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. "Israelite". Random House Webster's Unabridged Dictionary.
  2. Finkelstein, Israel. "Ethnicity and origin of the Iron I settlers in the Highlands of Canaan: Can the real Israel stand up?." The Biblical archaeologist 59.4 (1996): 198–212.
  3. Finkelstein, Israel. The archaeology of the Israelite settlement. Jerusalem: Israel Exploration Society, 1988.
  4. Finkelstein, Israel, and Nadav Na'aman, eds. From nomadism to monarchy: archaeological and historical aspects of early Israel. Yad Izhak Ben-Zvi, 1994.
  5. Finkelstein, Israel. "The archaeology of the United Monarchy: an alternative view." Levant 28.1 (1996): 177–87.
  6. Finkelstein, Israel, and Neil Asher Silberman. The Bible Unearthed: Archaeology's New Vision of Ancient Israel and the Origin of Sacred Texts. Simon and Schuster, 2002.
  7. Dever, William (2001). What Did the Biblical Writers Know, and When Did They Know It?. [S.l.]: Eerdmans. pp. 98–99. ISBN 3-927120-37-5 
  8. a b c Tubb 1998, pp. 13–14.
  9. McNutt 1999, p. 47.
  10. K. L. Noll, Canaan and Israel in Antiquity: An Introduction, A&C Black, 2001 p. 164
  11. Smith, Mark (2002) "The Early History of God: Yahweh and Other Deities of Ancient Israel" (Eerdman's). (pp. 6–7)
  12. Rendsberg, Gary (2008). "Israel without the Bible". In Frederick E. Greenspahn. The Hebrew Bible: New Insights and Scholarship. NYU Press, pp. 3–5
  13. Robert L. Cate, "Israelite", in Watson E. Mills, Roger Aubrey Bullard, Mercer Dictionary of the Bible, Mercer University Press, 1990 p. 420.
  14. Ostrer, Harry (2012). Legacy: A Genetic History of the Jewish People. [S.l.]: Oxford University Press (publicado em 8 de maio de 2012). ISBN 978-0195379617 
  15. Eisenberg, Ronald (2013). Dictionary of Jewish Terms: A Guide to the Language of Judaism. [S.l.]: Schreiber Publishing (publicado em 23 de novembro de 2013). p. 431 
  16. Gubkin, Liora (2007). You Shall Tell Your Children: Holocaust Memory in American Passover Ritual. [S.l.]: Rutgers University Press (publicado em 31 de dezembro de 2007). p. 190. ISBN 978-0813541938 
  17. Ann E. Killebrew, Biblical Peoples and Ethnicity. An Archaeological Study of Egyptians, Canaanites, Philistines and Early Israel 1300–1100 B.C.E. (Archaeology and Biblical Studies), Society of Biblical Literature, 2005
  18. Schama, Simon (18 de março de 2014). The Story of the Jews: Finding the Words 1000 BC–1492 AD. [S.l.]: HarperCollins. ISBN 978-0-06-233944-7 
  19. Israelite Refugees Found High Office in Kingdom of Judah, Seals Found in Jerusalem Show
  20. Yesaahq ben 'Aamraam. Samaritan Exegesis: A Compilation Of Writings From The Samaritans. 2013. ISBN 1482770814. Benyamim Tsedaka, at 1:24
  21. John Bowman. Samaritan Documents Relating to Their History, Religion and Life (Pittsburgh Original Texts and Translations Series No. 2). 1977. ISBN 0915138271
  22. Hammer MF, Redd AJ, Wood ET, et al. (June 2000). "Jewish and Middle Eastern non-Jewish populations share a common pool of Y-chromosome biallelic haplotypes". Proceedings of the National Academy of Sciences of the United States of America. 97 (12): 6769–6774. Bibcode:2000PNAS...97.6769H. doi:10.1073/pnas.100115997. PMC 18733. PubMed.
  23. Nebel, Almut; Filon, Dvora; Brinkmann, Bernd; Majumder, Partha P.; Faerman, Marina; Oppenheim, Ariella (November 2001). "The Y Chromosome Pool of Jews as Part of the Genetic Landscape of the Middle East". The American Journal of Human Genetics. 69 (5): 1095–112. doi:10.1086/324070. PMC 1274378 Freely accessible. PubMed.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]