Itaoca

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Itaoca
  Município do Brasil  
Vista aerea do município de Itaoca
Vista aerea do município de Itaoca
Símbolos
Bandeira de Itaoca
Bandeira
Brasão de armas de Itaoca
Brasão de armas
Hino
Gentílico itaoquense
Localização
Localização de Itaoca em São Paulo
Localização de Itaoca em São Paulo
Itaoca está localizado em: Brasil
Itaoca
Localização de Itaoca no Brasil
Mapa de Itaoca
Coordenadas 24° 38' 24" S 48° 50' 34" O
País Brasil
Unidade federativa São Paulo
Região intermediária[1] Sorocaba
Região imediata[1] Itapeva
Municípios limítrofes Ribeira, Apiaí, Iporanga e Paraná
Distância até a capital 343 km km
História
Fundação 31 de dezembro de 1991
Aniversário 19 de Novembro
Administração
Prefeito(a) Frederico Dias Batista (PR, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [2] 182,495 km²
População total (Censo IBGE/2010[3]) 3 228 hab.
Densidade 17,69 hab./km²
Clima Não disponível
Altitude 155 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2000 [4]) 0,65 médio
PIB (IBGE/2008[5]) R$ 18 346,945 mil
PIB per capita (IBGE/2008[5]) R$ 5 818,89
https://www.itaoca.sp.gov.br/ (Prefeitura)

Itaoca é um município brasileiro do estado de São Paulo. Está localizado na microrregião de Capão Bonito, no Vale do Ribeira.

História[editar | editar código-fonte]

O município de Itaoca foi criado em 30 de dezembro de 1991. Sua denominação, que em tupi significa “a caverna”, “a lapa”, “a gruta” ou ainda, “a casa de pedra”, foi adotada na criação do distrito, em 18 de dezembro de 1908, com sede na Capela das Tocas no município de Apiaí. Durante um longo período, permaneceu vinculado à dinâmica de Apiaí, que se encontrava em uma região de formação marcada pela exploração de minérios. As primeiras referências sobre Itaoca são de um local pertencente a Antônio Xavier Macedo, que depois de ser adquirido por Justino Rodrigues Dias Martins, em 1888, teve parte de suas terras doadas a Nossa Senhora da Conceição e São Sebastião, formando então o patrimônio de Capela das Tocas. Gentílico: Itaoquense Formação Administrativa Distrito criado com a denominação de Itaoca, pela lei nº 1151, de 18-02-1908, subordinado ao município do Apiaí. Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, figura no município de Apiaí o distrito de Itaoca. Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o distrito de Itaoca permanece no município de Apiaí. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1988. Elevado à categoria de município com a denominação de Itaoca, pela lei estadual nº 7644, de 30-12-1991, desmembrado do município de Apiaí. Sede no antigo distrito de Itaoca. Constituído do distrito sede. Instalado em 01-01-1993. Em divisão territorial datada de 2001, o município é constituído do distrito sede. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2009.

Topônimo[editar | editar código-fonte]

"Itaoca" é um termo tupi que significa "casa de pedra", através da junção dos termos itá ("pedra") e oka ("casa").[6]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localiza-se a uma latitude 24º38'24" sul e a uma longitude 48º50'34" oeste, estando a uma altitude de 155 metros. Sua população estimada em 2004 era de 2 969 habitantes.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Dados do Censo - 2010

(Fonte: IPEADATA)

Comunicações[editar | editar código-fonte]

A cidade era atendida pela Telecomunicações de São Paulo (TELESP)[7], que construiu a central telefônica utilizada até os dias atuais. Em 1998 esta empresa foi privatizada e vendida para a Telefônica[8], sendo que em 2012 a empresa adotou a marca Vivo[9] para suas operações de telefonia fixa.

Inundação e movimentos de massa - Evento de janeiro de 2014[editar | editar código-fonte]

Enchente Itaoca 2014.jpg

Em janeiro de 2014, fortes chuvas atingiram a cidade de Itaoca, deixando pelo menos 27 mortos e muitos feridos. Essas chuvas acarretaram em processos geomorfológicos de grande intensidade, como a inundação que afetou a área urbana e os escorregamentos na Serra, que tiveram seu material remobilizado para o centro da cidade, causando grande destruição. O prefeito do município decretou estado de calamidade pública e pediu ajuda ao governo do estado[10]. Pelo menos 100 moradias foram afetadas e mais de 90 veículos destruídos pela chuva, que também provocou desastre no município vizinho de Apiaí.

Referências

  1. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Base de dados por municípios das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias do Brasil». Consultado em 10 de fevereiro de 2018 
  2. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  6. http://www.fflch.usp.br/dlcv/tupi/vocabulario.htm
  7. «Área de atuação da Telesp em São Paulo». Página Oficial da Telesp (arquivada) 
  8. «Nossa História». Telefônica / VIVO 
  9. GASPARIN, Gabriela (12 de abril de 2012). «Telefônica conclui troca da marca por Vivo». G1 
  10. [1]