Ituverava

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Não confundir com Itaverava.
Ituverava
  Município do Brasil  
Símbolos
Bandeira de Ituverava
Bandeira
Brasão de armas de Ituverava
Brasão de armas
Hino
Apelido(s) "Salto das águas claras e brilhantes"
Gentílico ituveravense
Localização
Localização de Ituverava em São Paulo
Localização de Ituverava em São Paulo
Mapa de Ituverava
Coordenadas 20° 20' 20" S 47° 46' 51" O
País Brasil
Unidade federativa São Paulo
Região metropolitana AU Franca
Municípios limítrofes Miguelópolis, Aramina, Buritizal, Jeriquara, Ribeirão Corrente, São José da Bela Vista, Guará e Ipuã
Distância até a capital 413 km
História
Fundação c. 1818 (201–202 anos) (criação do povoado)

18 de fevereiro de 1847 (173 anos) (criação da freguesia)

Emancipação 10 de março de 1885 (135 anos) (criação da vila)

11 de junho de 1895 (125 anos) (criação da cidade)

Aniversário 10 de março
Administração
Prefeito(a) Adriana Quireza Jacob Lima Machado (PSDB, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [1] 705,24 km²
População total (estimativa IBGE/2017[2]) 41 414 hab.
Densidade 58,7 hab./km²
Clima Tropical de altitude (Cwb)
Altitude 605 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2010 [3]) 0,765 alto
PIB (IBGE/2009[4]) R$ 515 296 mil
PIB per capita (IBGE/2009[4]) R$ 12 604,46

Ituverava é um município do estado de São Paulo, Brasil, situado a 413 km de São Paulo. O município é formado pela sede e pelos distritos de Capivari da Mata e São Benedito da Cachoeirinha[5][6].

História[editar | editar código-fonte]

No século XVIII, surge na região do atual município um pouso para tropeiros e mineradores que se dirigiam para Minas Gerais e Goiás. No final deste século, famílias agricultoras do Sul de Minas Gerais, atraídas pela fertilidade da terra, se instalam na região. Em 1810, Fabiano Alves de Freitas se instala na região, iniciou a derrubada das matas próximas ao Rio do Carmo e cria uma fazenda perto de uma cachoeira.

Em 16 de julho de 1818, Fabiano inaugura uma capela em louvor a Nossa Senhora do Carmo, em torno da qual se constroem as primeiras casas, assim surgindo um povoado. O povoado formado em torno da capela foi elevado à categoria de freguesia, com o topônimo de Nossa Senhora do Carmo de Franca do Imperador, por Lei n° 9, de 18 de fevereiro de 1847, sendo subordinada a Franca. Em 10 de março de 1885, a freguesia é desmembrada e elevada à categoria de vila, tendo seu topônimo simplificado para "Carmo de Franca", sendo instalada em 7 de setembro daquele ano. Em 11 de junho de 1895, a vila é elevada à categoria de cidade.

A Lei Estadual nº 664, de 6 de setembro de 1899, sancionada pelo então Presidente do Estado de São Paulo, Fernando Prestes de Albuquerque, altera o nome do município de Carmo de Franca para Ituverava, topônimo de origem tupi-guarani que significa "salto brilhante". Em 1925, o distrito ituveravense de Guará, criado em 1914, é desmembrado e elevado à categoria de município. Em 1944, o distrito de Miguelópolis, criado em 1927, também fora desmembrado. Em 1948, foi criado o distrito de São Benedito da Cachoeirinha e, em 1953, Capivari da Mata, até hoje existentes.[7][8][9][10]

Geografia[editar | editar código-fonte]

A cidade localiza-se a uma latitude 20º20'22" sul e a uma longitude 47º46'50" oeste, estando a uma altitude de 605 metros. Possui uma área de 697,8 km². A maior parte de seu solo é formada por terra roxa e arenosa, originado da decomposição de basalto vulcânico, o que torna Ituverava um lugar excelente para a agricultura, especialmente para o cultivo de grãos, cana-de-açúcar, algodão, entre outras culturas.

De acordo com dados da estação meteorológica automática do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) no município, em operação desde julho de 2008, a menor temperatura registrada em Igarapava foi de -0,5 °C em 18 de julho de 2016 e a maior atingiu 41,4 °C em 3 de outubro de 2020. O maior acumulado de precipitação em 24 horas alcançou 116,8 milímetros (mm) em 5 de novembro de 2018. O menor índice de umidade relativa do ar foi de 10% em dez datas, a última em 26 de agosto de 2020.[11][12]

Dados climatológicos para Ituverava
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima recorde (°C) 37,3 38,1 35,2 35,1 32,8 32 32,8 36,3 40,7 41,4 36,6 35,4 41,4
Temperatura mínima recorde (°C) 14,5 14,5 12,4 9 3,1 0,9 -0,5 0,6 5,5 8 11,1 11,3 -0,5
Fonte: Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) (recordes de temperatura: 16/07/2008-presente)[11][12]

Demografia[editar | editar código-fonte]

Dados do Censo - 2010

População total: 38 699

  • Urbana: 36 431
  • Rural: 2 268
  • Homens: 18 875
  • Mulheres: 19 824

Densidade demográfica (hab./km²): 55,35 hab./km²

Mortalidade infantil até 1 ano: 12,9 por mil nascidas vivas

Expectativa de vida: 75,47 anos

Taxa de fecundidade: 1,7 filho por mulher

Taxa de alfabetização: 93,4%

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,765

  • IDH-M Renda: 0,768
  • IDH-M Longevidade: 0,841
  • IDH-M Educação: 0,694

Fonte: Atlas do Desenvolvimento Humano do Brasil e Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

Etnias[editar | editar código-fonte]

Cor/Raça Percentagem
Branca 65,48%
Negra 5,72%
Parda 27,62%
Amarela 1,13%
Indigena 0,05%

Fonte: IBGE - Censo Demográfico 2010

Religião[editar | editar código-fonte]

Religião Porcentagem Número
Católicos 70,36% 27.227
Protestantes 19,16% 7.416
Sem religião 5,13% 1.983
Espíritas 3,28% 1.269
Budistas 0,11% 41

Fonte: IBGE - Censo Demográfico 2010

Igreja Católica

Pertencente à Diocese de Franca, Ituverava apresenta as seguintes paróquias:[13]

  • Nossa Senhora do Carmo;
  • São João Batista.

Economia[editar | editar código-fonte]

A economia do município é predominantemente agrícola, baseando-se no cultivo de soja, milho, algodão e cana-de-açúcar, favorecida pelo solo fértil da terra roxa. Apresenta um comércio forte e setor de serviços avançado. A cidade conta também com algumas indústrias.

A cidade é referência regional em comércio, educação e saúde.[10]

Turismo[editar | editar código-fonte]

No âmbito turístico, a cidade conta com o Museu Histórico, o Centro Cultural, as Igrejas Nossa Senhora do Carmo, Nossa Senhora do Rosário e São João Batista, a Praça 10 de Março, o Parque Recreio (onde está situada a Cachoeira Salto Brilhante, da qual veio a inspiração para o nome da cidade) e a Represa Paulo Borges, que faz parte do circuito turístico Projeto Portinari.

Educação[editar | editar código-fonte]

Ituverava ganhou destaque no estado por possuir duas instituições de ensino superior que estão entre as melhores do país, administradas e mantidas pela Fundação Educacional de Ituverava. As duas faculdades oferecem juntas (em 2009) 11 cursos superiores de graduação e 21 cursos de pós-graduação. Desde então, a cidade tem sido nomeada como uma cidade universitária.

A cidade também conta com cinco colégios particulares de grandes redes de ensino e uma escola técnica (Etec Professor José Ignácio Azevedo Filho), transformando a cidade num grande polo educacional que recebe grandes contingentes de alunos e universitários que vem de outras localidades buscando educação de qualidade; o que, por sua vez, traz renda para dentro da cidade e alavanca a geração de empregos.

Ituveravenses ilustres[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  2. «Estimativa populacional 2017 IBGE». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 30 de agosto de 2017. Consultado em 5 de setembro de 2017 
  3. «Perfil do Município - Ituverava (SP)». Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2013. Consultado em 10 de abril de 2020 
  4. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2005-2009» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 29 de fevereiro de 2012. Arquivado do original (PDF) em 3 de março de 2016 
  5. «Municípios e Distritos do Estado de São Paulo» (PDF). IGC - Instituto Geográfico e Cartográfico 
  6. «Divisão Territorial do Brasil». IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística 
  7. «O Município». Prefeitura Municipal de Ituverava. Consultado em 10 de abril de 2020 
  8. FERREIRA, J. P. et. al. (1957). Enciclopédia dos Municípios Brasileiros. XXVIII. Rio de Janeiro: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística 
  9. FERREIRA, J. P. et. al. (1957). Enciclopédia dos Municípios Brasileiro. XXIX. Rio de Janeiro: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística 
  10. a b «Ituverava (SP)». Nosso São Paulo. Consultado em 10 de abril de 2020 
  11. a b Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). «Banco de dados meteorológicos». Consultado em 20 de outubro de 2020 
  12. a b INMET. «Estação: ITUVERAVA (A753)». Consultado em 19 de outubro de 2020 
  13. http://www.diocesefranca.org.br/diocese/foranias/[ligação inativa]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]