Ivanka Trump

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ivanka Trump
Retrato oficial de Ivanka Trump
Nome completo Ivana Marie Trump
Nascimento 30 de outubro de 1981 (36 anos)
Nova York, NY
 Estados Unidos
Residência Manhattan, Nova York
Nacionalidade Norte-americana
Fortuna 375 Milhões USD
Progenitores Mãe: Ivana Trump
Pai: Donald Trump
Cônjuge Jared Kushner (c. 2009)
Filho(s) Arabella Kushner,
Theodore Kushner,
Joseph Kushner
Alma mater Universidade da Pensilvânia
Ocupação Empresária, Escritora e Modelo
Período de atividade 1997-presente
Filiação Partido Republicano
Cargo Vice-presidente executiva da The Trump Organization Conselheira de assuntos de emprego e desenvolvimento.
Religião Judaica
Página oficial
www.ivankatrump.com
www.facebook.com/IvankaTrump/

Ivanka Trump (nascida Ivana Marie Trump;[1] Nova York, 30 de outubro de 1981) é filha do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. É conselheira sênior de seu pai, ela assumiu essa posição não remunerada[2] depois que questões éticas foram levantadas sobre nepotismo[3] [4]e ela ter acesso a material confidencial, sem ter posição oficial de funcionária federal.[5] Ela e seu esposo Jared Kushner estão sendo investigados sob acusações de lavagem de dinheiro.[6] [7] [8] Declarações federais implicaram que, em 2017, Ivanka e seu marido tem ativos de mais de US $ 740 milhões. [9]

É uma empresária americana, socialite, e ex-modelo, também é o primeiro membro judaico de uma Primeira Família dos Estados Unidos, tendo se convertido após seu casamento. [10]

Infância e educação[editar | editar código-fonte]

Ivanka é filha da ex-modelo Ivana Trump com o empresário e Donald Trump[11]. Nasceu em Manhattan, Nova York. Seu pai tem ascendência alemã e escocesa,[12][13] e sua mãe tem ascendência tcheca e austríaca.[14] Durante a maior parte de sua vida, ela foi apelidada de "Ivanka", uma forma diminuta de Ivana em sua lingua materna. Os pais de Trump se divorciaram em 1992, quando ela tinha dez anos de idade. Tem dois irmãos, Donald Jr. e Eric, uma meia-irmã, Tiffany, e um meio-irmão, Barron.[15]

Frequentou a Chapin School em Manhattan até os 15 anos, quando foi transferida para o Choate Rosemary Hall em Connecticut. Ela caracterizou a "vida de internato" de Choate como sendo uma "prisão", enquanto seus "amigos em Nova York estavam se divertindo". [16]

Freqüentou a Universidade de Georgetown por dois anos, e depois foi transferida para a Universidade da Pensilvânia, onde se graduou em economia em 2004.[17] Além de inglês, Ivanka Trump fala francês e entende tcheco.

Campanha presidencial de 2016[editar | editar código-fonte]

Em 2015, apoiou publicamente a campanha presidencial de seu pai, envolvendo-se na campanha após fazer aparições públicas apoiando Trump defendendo-o de acusações. [18] No entanto, ela admitiu sentimentos mistos sobre suas ambições presidenciais, dizendo, em outubro de 2015: "Como cidadã, eu amo o que ele está fazendo. Como filha, é obviamente mais complicado." [19]Em agosto, seu pai, Trump, afirmou que ela era a principal assessora de sua campanha e disse que foi ela que o levou para a elaboração de seu ponto de vista das mulheres.

Ela apareceu ao seu lado de seu pai acompanhando o início dos resultados da votação dos estados, particularmente em Carolina do Sul, depois de ser convidada por ele para falar.[20] [21] Ela não pôde votar em seu pai na primária de Nova York em abril de 2016 porque perdeu o prazo de outubro de 2015 para mudar seu registro de independente para republicano.[22]

Ivanka apresentou seu pai em um discurso na Convenção Nacional Republicana de 2016 em julho. A canção de George Harrison "Here Comes the Sun" foi usada como sua música de entrada. Ela disse: "Um dos maiores talentos do meu pai é a capacidade de ver o potencial das pessoas", e que Donald "tornará a América grande novamente".[23] [24] Após o discurso, o espólio de George Harrison reclamou do uso de sua música como sendo ofensivo aos desejos e legado do músico. [25] [26]

Após a eleição de seu pai, Ivanka usou uma pulseira. Sua empresa então usou uma explosão de emails para promover a aparência do acessório. Depois de críticas à "monetização", a empresa rapidamente pediu desculpas.[27] [28] Em janeiro de 2017, o artista Richard Prince devolveu um pagamento de US $ 36.000 recebido por uma obra feita com Ivanka e negou sua criação.[29] Outros artistas participaram de um movimento criado pelo Halt Action Group chamado @dear_ivanka, que visava mudar as políticas de Trump. Entre os seus apoiantes estavam o artista contemporâneo Alex Da Corte, que disse a Ivanka para ficar longe de suas pinturas depois que ela apareceu na frente de uma obra dele em um post na mídia social.[30] [31]

Quando mais jovem, Ivanka disse a respeito de suas opiniões políticas: "Como muitos dos meus companheiros ípsilons, não me considero categoricamente Republicana ou Democrata." Em 2007, doou mil dólares para a campanha presidencial de Hillary Clinton e em 2012, endossou sua doação à Mitt Romney para presidente. Em 2013, Ivanka e seu marido, organizaram uma campanha para arrecadação de fundos a Cory Booker para o senado.[32] O casal junto doou mais de 40 mil dólares para Booker durante sua campanha.[33] Na sexta-feira, 20 de janeiro de 2017, ela participou da inauguração do pai no Capitólio dos Estados Unidos, em Washington, D.C., quando Trump assumiu o cargo de 45º presidente dos Estados Unidos.

Assessora do Presidente dos Estados Unidos[editar | editar código-fonte]

Ivanka Trump em um comício de seu pai em Aston, Pensilvânia (setembro de 2016)

No início de 2017, ela deixou seu cargo na Organização Trump; a empresa também removeu imagens de Ivanka e Donald Trump de seus sites, de acordo com o conselho oficial sobre as regras federais de ética. [34]Depois de aconselhar seu pai em caráter não oficial durante os dois primeiros meses de sua administração, ela foi nomeada Assessora do Presidente, uma funcionária do governo, em 29 de março de 2017. Ela não recebe salário.[35]

Nos primeiros meses da presidência de seu pai, alguns comentaram que ela estava ocupando um papel de primeira-dama, enquanto a Melania Trump permanecia em Nova York.[36] [37] Donald fez comentários inapropriados, de conotação sexual sobre sua filha, como "Eu disse que se Ivanka não fosse minha filha, talvez eu namorasse com ela ” e "É errado ser mais sexualmente atraído por sua própria filha do que sua esposa?."[38] [39] Quando questionada sobre isso, Ivanka disse não se importar.[40]

O biógrafo e jornalista Michael Wolff escreveu um livro baseado em inúmeras entrevistas com membros do círculo de Donald Trump. Em um extrato deste livro, Wolff alega que Ivanka e seu marido chegaram a um acordo que "se em algum momento no futuro a oportunidade surgir, ela seria a única a concorrer à presidência"

No início de abril de 2017, o governo da China ampliou as marcas registradas para os negócios de Trump . No mesmo dia, Donald Trump recebeu o presidente chinês, Xi Jinping, em Mar-A-Lago,[41] e Ivanka e Kushner sentaram-se ao lado do líder chinês e sua esposa, Peng Liyuan, no jantar oficial. Também durante a visita, a filha dela, de cinco anos, Arabella, cantou uma canção tradicional chinesa, em mandarim, para Xi. O vídeo, que foi elogiado pela mídia estatal chinesa, tocou mais de 2,2 milhões de vezes na popular portal de notícias. [42][43]

Antes do final do mês, Ivanka e sua chefe de gabinete, Julie Radford[44] viajaram para a primeira cúpula feminina de W20, organizado pelo Conselho Nacional das Organizações Alemãs de Mulheres e pela Associação de Mulheres Empresárias Alemãs. Na conferência, Ivanka falou sobre os direitos das mulheres; ela foi vaiada pela platéia quando elogiou seu pai como defensora das mulheres.[45]

Ela foi acusada de apropriação cultural quando usou vestimentas tipicas indianas, ao visitar a Índia. Foi chamada de "superficial" e "Barbie Botoxada" pelos veículos Indianos e internacionais.[46] Ivanka ficou sensibilizada pelo ocorrido, um oficial da casa Branca procurou retratar-se com a designer Tory Branch, cujas roupas foram usadas por Ivanka na viagem e a equipe manifestou-se sobre o ocorrido. [47] [48]

Ivanka também recebeu críticas por atuar como secretária de Estado após a demissão de Rex Tillerson ao se encontrar com o chanceler sul-coreano, uma missão inapropriada para alguém sem experiência no governo, e questões éticas sobre nepotismo entraram em pauta na administração de Trump.[49][50]

O Congresso aprovou uma legislação de reforma tributária que inclui um crédito fiscal ampliado para creches, projeto que Ivanka fez campanha. [51]

Ivanka falou "É bastante inapropriado perguntar a uma filha se ela acredita nos acusadores de seu pai. (...) Eu não acho que seja uma pergunta que você faria a muitas outras filhas." quando questionada se acreditava nas acusadoras de seu pai por abuso sexual. Ela foi criticada pela resposta, por querer poder sem responsabilidade, considerando que o presidente além de ser seu pai é também seu chefe, e por isso a pergunta era pertinente para qualquer conselheiro sênior da Casa Branca.[52] [53]

Seu marido, Jared Kushner era conhecido por ter desempenhado um papel de liderança em acordos entre a Organização Trump e um cidadão russo e se gabou de seus laços com altos funcionários do Kremlin. [54]Ivanka Trump serviu como um executiva sênior da Organização desempenhou um papel central na empresa e consequentemente nas ligações entre Estados Unidos e Russia. [55]Ela está sendo investigada pelo FBI por lavagem de dinheiro e a suposta ligação entre o governo de seu pai e o governo Russo. [56] [57][58] [59]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Negócios[editar | editar código-fonte]

Era vice-presidente executiva do departamento de Desenvolvimento e Aquisições do grupo empresarial The Trump Organization, e estava envolvida em todos os aspectos na empresa de venda de imóveis, hotéis e gestão de iniciativas. Lançou sua própria marca, Ivanka Trump. [60]É uma empresária de quarta geração que seguiu os passos de sua bisavó Elizabeth Christ Trump que fundou a empresa. Seu avô Fred Trump e o pai Donald Trump. Ivanka eram vice-presidentes executivos da empresa familiar.[61]

Antes de entrar para os negócios de sua família, Ivanka trabalhou para a Forest City Realty Trust, em 2007 juntou-se com a Dinamica Diamond Corp., uma companhia de empreendimentos de diamantes, para projetar e introduzir uma linha de joias na loja de varejo da marca que tem seu nome, Ivanka Trump, na Madison Avenue.[62]. Em 2007, ela formou uma parceria com um fornecedor de diamantes, a Dynamic Diamond Corp., para criar a linha de jóias de diamante e ouro Ivanka Trump Fine Jewelry , vendida em sua primeira loja de varejo em Manhattan. [63]. Como CEO do conglomerado empresarial The Trump Organization, trabalhou em conjunto com seus irmãos Donald Trump Jr. e Eric Trump, serviu em um conselho de 100 Mulheres no Fundo Hedge, uma organização da industria que fornece suporte para as mulheres profissionais em finanças.[64]

Tem sua própria linha de artigos de moda, incluindo roupas, bolsas, sapatos e acessórios. [65] Está disponível na maioria das grandes lojas de departamento dos EUA, sua marca tem sido alvo de críticas por supostamente copiar e plagiar projetos de outros designers,[66] e pela PETA e outros ativistas de direitos dos animais pelo uso de peles de coelhos.[67] Em 2016, a U.S. Consumer Product Safety Commission, Comissão de Segurança de Produtos de Consumo dos EUA, lembrou "de Ivanka Trump" com a marca de lenços, pelo fato deles não atenderem as normas federais. Outra análise, também em 2016, observou que a maior parte da linha de moda foi produzida fora dos EUA. Ela lançou quatros livros, relacionados a negócios, o mais recente "Women who work" foi lançado universalmente com vendas inexpressivas. [51] Em fevereiro de 2017, as redes de lojas de departamento Neiman Marcus e Nordstrom abandonaram a linha de moda de Trump, citando "desempenho ruim". [68]

Modelo[editar | editar código-fonte]

Foi capa em 1997 aos dezessete anos, desde então tem andado em passarelas de moda para Versace, Marc Bouwer e Thierry Mugler. Fez campanhas publicitárias para Tommy Hilfiger e Sassoon, destacou-se nas capas da Forbes, Golf Magazine, Avenue Magazine, Elle México e Top Choice Magazine, em outubro de 2007 na edição da Harper's Bazaar, diversas vezes foi destaque também na Love FMD magazine.[69] [70]

Ficou posição 83 em 2007 na Maxim Hot 100. Ela colocou também o Número 99 no Top 99 das Mulheres de 2007 e, em seguida, em 84, na edição de 2008 no AskMen.com.

Aparições na televisão[editar | editar código-fonte]

Em 2006, substituiu Carolyn Kepcher em cinco episódios e nas temporadas seguintes no programa de televisão de seu pai, “The Apprentice 5”, O Aprendiz[71], a primeira vez junto com seu pai, Trump, visitou o local de tarefas e falou com as equipes concorrentes, fazendo-lhes perguntas incisivas. Ela também avaliou participantes na sala de reuniões, apontando erros críticos e refutando desculpas que os participantes ofereceram quando perderam as provas. Apesar de inicialmente ser antipática com os competidores do reality, Ivanka disse mais tarde: "Sempre que eu vejo as suas avarias, eu entendo. São praticamente 24 horas por dia e cada tarefa leva cerca de três dias ao menos que ganhem, eles não têm um dia de folga... É uma quantidade incrível de trabalho...". Ivanka colaborou com a temporada 5, tendo o vencedor o participante Sean Yazbeck.[72]

Em 2003, ela foi destaque em Born Rich , um documentário sobre a experiência de crescer como uma criança em uma das famílias mais ricas do mundo. Ela e Kushner tiveram uma participação especial na série Gossip Girl

Religião[editar | editar código-fonte]

Ela foi criada Presbiteriana.[73] Antes de seu casamento, em julho de 2009, depois de estudar com o rabino Elie Weinstock da Escola Moderna Ortodoxa Ramaz, ela teve uma conversão ao Judaísmo ortodoxo e tomou o nome Yael.[74] Ela descreve sua conversão como "viagem incrível e bela" e que seu pai apoiou seus estudos desde o primeiro dia, devido ao seu respeito pela religião judaica.[75] Ela atesta manter uma dieta kosher e observar o sábado judaico, dizendo em 2015: "Nós somos muito observadores... Foi uma grande decisão de vida para mim... Eu realmente acho que com o judaísmo, ele cria um plano incrível para a conectividade familiar. Na sexta-feira ao sábado, não fazemos nada além de sair um com o outro. Nós não fazemos telefonemas. Ela envia sua filha para o jardim de infância em uma escola judaica em Nova York. Ivanka diz que "é uma bênção para mim tê-la voltar para casa todas as noites e compartilhar comigo o hebraico que ela aprendeu e cantar canções para mim ao redor das férias." Ela visitou o Ohel (túmulo do Rebe Lubavitch), um popular local de peregrinação, pouco antes da eleição de seu pai.[76]

Casamento e filhos[editar | editar código-fonte]

Em 2005, ela começou a namorar o herdeiro do setor imobiliário Jared Kushner, a quem conheceu através de amigos em comum. O casal se separou em 2008 devido às objeções dos pais de Kushner, mas eles se reuniram novamente e se casaram em uma cerimônia judaica em 25 de outubro de 2009. Eles têm três filhos, Arabella Kushner, Theodore James Kushner, e Joseph Frederick Kushner, nascidos em 2011 e mais tarde. Em uma entrevista no The Dr. Oz Show, Ivanka revelou que ela sofria de depressão pós-parto após cada uma de suas gestações.

Em janeiro de 2017, foi anunciado que Ivanka e seu marido haviam tomado providências para estabelecer uma casa no bairro de Kalorama, em Washington, DC.

Em uma entrevista em 2018, Quincy Jones afirmou que ele costumava namorar Ivanka. Ela também relacionou-se brevemente com o Topher Grace,[77] James Gubelmann e Lance Armstrong[78]

Publicações[editar | editar código-fonte]

  • Mulheres Inteligentes Jogam Para Ganhar (2009)
  • Women Who Work: Rewriting the Rules for Success (2017)

Referências

  1. Taylor, Kate (9 de outubro de 2017). «Ivanka Trump's real name isn't actually Ivanka». Business Insider France (em francês). Business Insider. Consultado em 10 de outubro de 2017. 
  2. Haberman, Maggie; Abrams, Rachel (29 de março de 2017). «Ivanka Trump, Shifting Plans, Will Become a Federal Employee». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331 
  3. Erickson, Amanda (26 de julho de 2017). «Analysis | The real danger of having Jared Kushner and Ivanka in the Trump administration». Washington Post (em inglês). ISSN 0190-8286 
  4. Markay, Lachlan (20 de novembro de 2017). «Make Nepotism Great Again: 20 Families Got Jobs in Trump Administration». The Daily Beast (em inglês) 
  5. «Warren, Carper petition Ethics Office for information on Ivanka Trump's White House role». POLITICO 
  6. Kirchgaessner, Stephanie (17 de março de 2018). «Russia investigation may turn to Ivanka Trump as Mueller examines empire». the Guardian (em inglês). Consultado em 9 de maio de 2018. 
  7. Seligson, Hannah (10 de março de 2018). «Ivanka Trump Backed Flynn and Manafort. She Discussed Firing Comey. How Has She Evaded Mueller's Investigation?». The Intercept (em inglês). Consultado em 9 de maio de 2018. 
  8. FREE, Download our new app (4 de março de 2018). «The LA Times just declared war on Ivanka Trump, exposed her dirty laundry». Washington Press (em inglês) 
  9. «Report: Ivanka Trump Is Still Making $1.5 Million a Year from the Trump Organization». Town & Country (em inglês). 13 de março de 2018 
  10. «A Jewish first whether it's Trump or Clinton: Column». USA TODAY (em inglês) 
  11. «Did Their Father Really Know Best?». NYMag.com. New York Magazine. 13 de dezembro de 2004. Consultado em 14 de janeiro de 2018. 
  12. (www.dw.com), Deutsche Welle, Donald Trump's German roots | DW | 29.02.2016 (em inglês), consultado em 9 de maio de 2018. 
  13. Brocklehurst, Steven (2017). «Trump's mother: From a Scottish island to New York's elite». BBC News (em inglês) 
  14. «6 Things You Need to Know About Donald Trump's First Wife, Ivana». Cosmopolitan (em inglês). 16 de março de 2017 
  15. «10 Things You Should Know About Ivanka Trump». Cosmopolitan (em inglês). 29 de agosto de 2017 
  16. «Trump Power». Marie Claire (em inglês). 29 de janeiro de 2007 
  17. «What Really Drives Ivanka Trump?». The Huffington Post 
  18. «Melania Trump Makes Her First Appearance on Campaign Trail as Donald Invites Impersonator on Stage – and Muses About Marital Fantasies». PEOPLE.com (em inglês) 
  19. «Ivanka Trump on how she feels about her dad's run: It's complicated». POLITICO 
  20. Ota, Amanda. «Trump declares victory in South Carolina primary». KOMO (em inglês) 
  21. Holcomb, Justin. «Justin Holcomb - Victory Speech: Trump Sacks 'Bush Country,' Dominates the First Southern State». Townhall (em inglês) 
  22. CNN, Tom LoBianco,. «Trump children unable to vote for dad in NY primary». CNN 
  23. CNN, Sunlen Serfaty and Theodore Schleifer,. «Ivanka Trump delivers in prime-time». CNN 
  24. Borchers, Callum (23 de julho de 2016). «Ivanka Trump continues to impress the media that her father feuds with». Washington Post (em inglês). ISSN 0190-8286 
  25. Group, Global Media (23 de julho de 2016). «▶ Vídeo: EUA - Ivanka enfurece administradores de legado de George Harrison». DN 
  26. «George Harrison's Estate Is Pissed Ivanka Trump Used "Here Comes The Sun," But The Trumps' Music Problem Goes Much Deeper». The Frisky. 22 de julho de 2016 
  27. Dziemianowicz, Joe. «Ivanka Trump's jewelry company apologizes for hawking bracelet worn on '60 Minutes'   - NY Daily News». nydailynews.com (em inglês) 
  28. Eaglesham, Jean; Schwartz, Lisa (28 de dezembro de 2017). «How Ivanka Trump Is a Walking Billboard for Her Namesake Fashion Business». Wall Street Journal (em inglês). ISSN 0099-9660 
  29. «Richard Prince, Protesting Trump, Returns Art Payment». The New York Times (em inglês). 12 de janeiro de 2017. ISSN 0362-4331 
  30. Heyward, Anna (30 de novembro de 2016). «"Dear Ivanka": New York City's Artists Appeal to Ivanka Trump, Peer to Peer». The New Yorker (em inglês). ISSN 0028-792X 
  31. «Alex Da Corte: "Ivanka Trump, please get my work off of your walls. I am embarrassed to be seen with you."». Art F City (em inglês). 23 de dezembro de 2016 
  32. http://www.slate.com/blogs/the_slatest/2016/07/21/trumps_kushner_have_history_of_supporting_clinton_obama_other_democrats.html
  33. Bump, Philip (22 de julho de 2016). «Who, exactly, was Ivanka Trump endorsing?». Washington Post (em inglês). ISSN 0190-8286 
  34. Yourish, Karen (2017). «Before and After: Removing Donald J. Trump From the Trump Brand». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331 
  35. «Ivanka Trump: a first daughter with the office of first lady?». Christian Science Monitor. 15 de dezembro de 2016. ISSN 0882-7729 
  36. Bryant, Kenzie. «Ivanka Trump Dismisses Suggestions That She'll Act as First Lady». Vanities (em inglês) 
  37. News, A. B. C. (23 de janeiro de 2017). «Ivanka Trump Says She Will Not Be Filling In as First Lady». ABC News (em inglês). Consultado em 9 de maio de 2018. 
  38. «Donald Trump doesn't realise Ivanka 'isn't that impressive to people', says political analyst». The Independent (em inglês). 7 de setembro de 2017 
  39. «7 Creepy Things Donald Trump Has Said About Ivanka». The Forward 
  40. «Ivanka Trump Has Actually Responded To Her Dad's 'Incestuous Comments' About Her». Viral Thread (em inglês). 25 de novembro de 2016 
  41. «NEW: The Mar-a-Lago dining room where Trump, Xi will have dinner». palmbeachpost 
  42. Remnick, David (23 de abril de 2017). «A Hundred Days of Trump». The New Yorker (em inglês). ISSN 0028-792X 
  43. «Ivanka Trump's Brand Prospers as Politics Mixes With Business». Newsmax 
  44. «Ivanka Trump Hires Chief of Staff». Newsmax 
  45. «Ivanka Trump é vaiada em debate sobre empoderamento feminino com Merkel». O Globo. 25 de abril de 2017 
  46. «When Ivanka Trump, the botoxed American Barbie, visited India». www.dailyo.in. Consultado em 10 de maio de 2018. 
  47. «Ivanka Trump was accused of cultural appropriation in India, called "Botoxed Barbie"». Newsweek (em inglês). 30 de novembro de 2017 
  48. Fox, Emily Jane. «"Their Names Are Their Downfall": After a Year in Washington, Ivanka and Jared Are Isolated on Kushner Island». The Hive (em inglês) 
  49. Abramson, Jill (6 de março de 2018). «Nepotism and corruption: the handmaidens of Trump's presidency | Jill Abramson». the Guardian (em inglês). Consultado em 9 de maio de 2018. 
  50. Levitz, Eric. «Ivanka Trump Booed While Praising Her Father in Germany». Daily Intelligencer (em inglês) 
  51. a b «Ivanka Trump is spearheading an expansion of tax relief for parents, and the GOP is fighting her». Business Insider 
  52. «How to make like Ivanka Trump and deflect a question you don't want to answer» (em inglês) 
  53. Spiers, Elizabeth. «Ivanka Trump wants power with no accountability». chicagotribune.com (em inglês) 
  54. «Genro de Trump é foco de investigação sobre interferência russa, diz jornal - Notícias - Internacional». Internacional 
  55. «The real reason Mueller hasn't called Ivanka Trump». POLITICO 
  56. «Billionaire Ally of Putin Socialized With Kushner, Ivanka Trump». Bloomberg.com (em inglês). 18 de agosto de 2017 
  57. Vinopal, Courtney. «Robert Mueller Is Reportedly Investigating Ivanka Trump Now — Here's Why». Bustle (em inglês) 
  58. Ellison, Sarah. «Exiles on Pennsylvania Avenue: How Jared and Ivanka Were Repelled by Washington's Elite». The Hive (em inglês) 
  59. «Ivanka Trump, the Russia scandal and her billionaire's social network». The Mercury News (em inglês). 6 de março de 2017 
  60. «Ivanka Trump Sells Stuff like Paris Hilton». VAASK. 6 de março de 2012. Consultado em 13 de janeiro de 2018.. Cópia arquivada em 10 de setembro de 2016 
  61. «Trump Luxury Real Estate | Trump Real Estate Portfolio | The Trump Organization». www.trump.com. Consultado em 9 de maio de 2018. 
  62. Fitch, Stephane (22 de maio de 2011). «The Real Apprentices». Yahoo! Finance. Consultado em 13 de janeiro de 2018.. Cópia arquivada em 8 de outubro de 2013 
  63. Trump, Ivanka. «Ivanka Trump: A Jewelry Store Should Say 'Stay, Have Fun'». INSTOREMAG (em inglês). Consultado em 9 de maio de 2018. 
  64. https://www.hedgefundintelligence.com/Article/3128519/Say-what-Ivanka-Trump-joins-100-Women-in-Hedge-Funds-board.html?ArticleId=3128519
  65. https://www.usatoday.com/story/news/politics/onpolitics/2016/07/21/who-is-ivanka-trump-fashion-designer-trusted-adviser/87406736/
  66. Moylan, Brian. «Ivanka Trump Accused of Stealing Designs from Actual Fashion Designer». Gawker (em inglês) 
  67. «PETA to Ivanka Trump: Ditch the Fur». PETA (em inglês). 17 de fevereiro de 2016 
  68. «Nordstrom drops Ivanka Trump line, citing poor 'performance'». NBC News (em inglês) 
  69. Steinhauer, Jennifer (17 de agosto de 1997). «Her Cheekbones (High) Or Her Name (Trump)?». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331 
  70. «IVANKA TRUMP 1998 MAGAZINE PRINT AD FOR SASSOON JEANS - FASHION PRINT AD | eBay». eBay (em inglês). Consultado em 9 de maio de 2018. 
  71. «Ivanka Trump to appear on 'Apprentice'». Today. 3 de fevereiro de 2006. Consultado em 13 de janeiro de 2018. 
  72. «Ivanka Trump to appear on 'Apprentice'». TODAY.com (em inglês) 
  73. http://www.nydailynews.com/entertainment/gossip/10-stars-changed-religion-love-article-1.2428300
  74. «Ivanka Trump visits the Lubavitcher rebbe's grave ahead of election | Jewish Telegraphic Agency». www.jta.org (em inglês). Consultado em 9 de maio de 2018. 
  75. «Ivanka Trump at Florida Synagogue: My Father Called Before Jewish High Holidays and Said 'You Better Pray Hard for Me'». Algemeiner.com (em inglês) 
  76. Line, Chabad On. «Ivanka Trump Visits Rebbe's Ohel». collive (em inglês). Consultado em 9 de maio de 2018. 
  77. Staff, AOL. «Ivanka Trump's dating history includes famous stars». AOL.com (em inglês) 
  78. «The Most Fascinating Things You Never Knew About Ivanka Trump». The Cheat Sheet (em inglês). 26 de abril de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]