Jönköping

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Suécia Jönköping

Ionecopinga

 
  Cidade  
Várias localidades
Várias localidades
Símbolos
Brasão de armas de Jönköping
Brasão de armas
Localização
A universidade e o lago Munk
A universidade e o lago Munk
Jönköping está localizado em: Suécia
Jönköping
Localização de Jönköping na Suécia
Coordenadas 57° 46' N 14° 09' E
Região Gotalândia
Província Esmolândia
Condado Jönköping
Comuna Jönköping
Características geográficas
Área total 43,7 km²
População total (2018) 97 912 hab.
Densidade 2 240,5 hab./km²
Sítio www.jonkoping.se

Jönköping (Nuvola apps arts.svg pronúncia; ocasionalmente transliterado para Jonkoping, por adaptação tipográfica) ou Ionecopinga (em latim: Junecopia ou Jenecopia)[1] é uma cidade sueca localizada na província da Esmolândia, no condado de Jönköping, na comuna de Jönköping, às quais é capital. Possui 43,7 quilômetros quadrados e está situada no canto da margem sul do lago Vättern. Segundo censo de 2018, havia 97 912 residentes.[2][3]

Etimologia e uso[editar | editar código-fonte]

O topônimo Jönköping deriva das palavras nórdicas June (nome de um riacho) e köping (local de comércio). Num texto em latim de 1278, foi citado como "castro Junakøpung".[4][5]

História[editar | editar código-fonte]

O sítio da cidade era habitado desde a Idade da Pedra. Devido à sua localização junto ao lago Veter, a existência de vários caminhos e a presença de ferro, o local ganhou a configuração de ponto de habitação, pesca, caça, cultivo e comércio. Em 1248, Jönköping recebeu o título de cidade (stadsprivilegium) do rei Magno III (r. 1275–1290), com a intenção de incrementar o comércio na região e de reforçar a presença sueca face à Dinamarca. No século XV, tinha uma dimensão média, com uns 1 000 habitantes, e vivia da venda de produtos animais e de transportes com a região mineira de Bergslagen. Após um grande incêndio em 1621, foi transferida do lado ocidental para o lado oriental do lago Munk, hoje em dia situado no meio da cidade. Durante os séculos XIX e XX, foi conhecida como a "cidade dos fósforos", tendo todavia a fábrica de fósforos sido encerrada em 1970. Atualmente, é uma cidade moderna, onde estão localizados os centros administrativos da agricultura e florestas da Suécia, o tribunal de apelação "Göta hovrätt", a Direção-Geral da Justiça (Domstolsverket) e a sede da Região do Condado de Jönköping (Region Jönköpings län).[6][7][8][9]

Comunicações[editar | editar código-fonte]

A cidade é atravessada pela estrada europeia E4, com ligação a Estocolmo e Helsimburgo, e a estrada nacional 26, com ligação a Halmostádio e Skövde. Nela começam as estradas nacionais 30 (para Vexiônia), 31 (para Nibro) e 50 (para Söderhamn). É um nó ferroviário com ligações a Skövde, Nässjö, Vaggeryd, Huskvarna, Norcopinga e Estocolmo e dispõe ainda de um aeroporto internacional, a 8 quilômetros a sudoeste de seu centro.[10]

Património[editar | editar código-fonte]

A cidade abriga um patrimônio cultural, natural (a praia do Veter e a reserva natural de Rosenlund) e edificado (a Igreja de Cristina do século XVII e o Museu regional de Jönköping [11]), que atraiu muitos turistas.[12][13] No centro, se localiza sua universidade, que acolhe 12 600 alunos e 740 funcionários.[14]

Desporto[editar | editar código-fonte]

Jönköping possui vários clubes desportivos, com destaque para o clube de hóquei no gelo HV71 e para o clube de futebol Jönköpings Södra IF.[carece de fontes?]

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • «Jonköping». Enciclopédia Nacional Sueca (em sueco). Gotemburgo: Universidade de Gotemburgo. 2019 
  • Fernandes, Ivo Xavier (1941). Topónimos e Gentílicos Vol. I. Porto: Editora Educação Nacional, Lda. 
  • Hallberg, Göran (1983). «Namn på städer och större tätorter (Nomes das cidades e localidades principais)». Ortnamn i Småland (Topónimos da Esmolândia) (em sueco). Estocolmo: AWE/Geber. 144 páginas. ISBN 9120070292 
  • «Jönköpings historia» (em sueco). Stads- och kommunhistoriska institutet (Instituto de História das Cidades e das Comunas). Consultado em 2 de fevereiro de 2020 
  • Lidman Production AB; Matton, ed. (2011). «Småland». Libers stora junioratlas (em sueco). Estocolmo: Liber. 144 páginas. ISBN 9789147809028 
  • Ottosson, Mats; Ottosson, Åsa (2008). «Jönköping». Upplev Sverige. En guide till upplevelser i hela landet (em sueco). Estocolmo: Wahlström Widstrand. 527 páginas. ISBN 9789146215998 
  • Svensson, Lars (2001). «Jönköping». Värt att se i Sverige [Para ver na Suécia]. En reseguide (em sueco). Estocolmo: Bonnier. 383 páginas. ISBN 9100571903 
  • Valeur, Bent (2017). «Jönköping». Den Store Dansk – Grande Enciclopédia Dinamarquesa (em dinamarquês). Copenhague: Gyldendal 
  • Wahlberg, Mats (2003). «Jönköping». Svenskt ortnamnslexikon (Dicionário das localidades suecas) (em sueco). Upsália: Språk- och folkminnesinstitutet e Institutionen för nordiska språk vid Uppsala universitet. ISBN 91-7229-020-X