Jānis Pujāts

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Jānis Pujāts
Cardeal da Santa Igreja Romana
Arcebispo emérito de Riga
Hierarquia
Papa Francisco
Atividade Eclesiástica
Diocese Arquidiocese de Riga
Nomeação 8 de maio de 1991
Predecessor Dom Antonijs Springovičs
Sucessor Dom Zbigņev Stankevičs
Mandato 1991 - 2010
Ordenação e nomeação
Ordenação presbiteral 29 de março de 1951
por Dom Antonijs Springovičs
Nomeação episcopal 8 de maio de 1991
Ordenação episcopal 1 de julho de 1991
por Dom Francesco Colasuonno
Nomeado arcebispo 8 de maio de 1991
Cardinalato
Criação 21 de fevereiro de 1998 (in pectore)
21 de fevereiro de 2001 (Publicado)

por Papa João Paulo II
Ordem Cardeal-presbítero
Título Santa Sílvia
Brasão
Coat of arms of Jānis Pujats.svg
Lema AD JESUM PER MARIAM
Dados pessoais
Nascimento Nautrani, Latgale
14 de novembro de 1930 (87 anos)
Nacionalidade letão
dados em catholic-hierarchy.org
Cardeais
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Jānis Pujāts (Nautrani, 14 de novembro de 1930) é um cardeal letão e arcebispo-emérito de Riga.

Foi ordenado padre em 29 de março de 1951. Foi elevado a arcebispo metropolita de Riga, exercendo a prelazia entre 1991 e 2010.

Foi criado cardeal em 1998 pelo Papa João Paulo II, in pectore e anunciado em 2001, com o título de Cardeal-padre de S. Silvia, sendo-lhe imposto o barrete cardinalício em 21 de fevereiro de 2001. Em 2005, participou do conclave que elegeu Joseph Ratzinger como Papa Bento XVI.

Condenação da homossexualidade[editar | editar código-fonte]

Em maio de 2007, numa carta aberta protestando pela parada gay prevista para 3 de junho de 2007, que forma parte dos «Dias de amizade e orgulho» de Riga, referiu-se à homossexualidade como uma «depravação absoluta do comportamento sexual» e uma «forma não natural de prostituição»[1]. Continuou exortando aos fiéis a «estar preparados para sair às ruas» para protestar por esse acontecimento,[2] «não para criar desordem, mas para oferecer uma posição disciplinada em apoio ao governo, porque neste importante assunto moral, o governo está do lado dos cristãos».[3]

Fontes[editar | editar código-fonte]

Referências

Precedido por
Antonijs Springovičs
Cardeal
Cardeal-Arcebispo de Riga

19912010
Sucedido por
Zbigņevs Stankevičs
Precedido por
criação do título
Cardeal
Cardeal-presbítero de Santa Sílvia

2001
Sucedido por
Ícone de esboço Este artigo sobre Episcopado (bispos, arcebispos, cardeais) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.