JK (minissérie)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
JK
Logotipo da minissérie
Informação geral
Formato minissérie
Gênero Drama biográfico
Duração 45 minutos
Criador(es) Maria Adelaide Amaral
Alcides Nogueira
País de origem  Brasil
Idioma original português
Produção
Diretor(es) Dennis Carvalho
Roteirista(s) Geraldo Carneiro
Letícia Mey
Rodrigo Arantes do Amaral
Elenco
Tema de abertura “Peixe Vivo”, Milton Nascimento
Exibição
Formato de exibição 480i (SDTV)
Transmissão original 3 de janeiro de 2006 – 24 de março de 2006
Episódios 47

JK é uma minissérie brasileira de televisão exibida pela Rede Globo de 3 de janeiro a 24 de março de 2006, com 47 capítulos.[1] Baseada na vida do ex-presidente do Brasil Juscelino Kubitschek, foi escrita por Maria Adelaide Amaral e Alcides Nogueira, com a colaboração de Geraldo Carneiro, Letícia Mey e Rodrigo Arantes do Amaral, sob direção de Amora Mautner, Vinícius Coimbra, Maria de Médici e Cristiano Marques e direção geral de Dennis Carvalho.

Wagner Moura e José Wilker interpretam Juscelino Kubitschek nas duas fases de sua carreira – o início e a consolidação nacional. O elenco ainda conta com Marília Pêra, Débora Falabella, José de Abreu, Luís Melo, Letícia Sabatella, Camila Morgado, Mariana Ximenes e Deborah Evelyn nos demais papéis principais.

Enredo[editar | editar código-fonte]

A minissérie é dividida em duas fases e acompanha a vida de Juscelino Kubitschek desde a infância, sendo que no primeiro episódio é retratada a morte de seu pai, João César Oliveira, quando ele ainda era um garoto. Logo, porém, a minissérie avança para a vida adulta de Juscelino que, tendo se formado em Medicina e se casado com uma jovem aristocrata, passa a participar da vida política de Belo Horizonte e Minas Gerais. Grande parte do apelo dramático da minissérie se encontra, durante este momento, na tensão entre o desejo reprimido de Juscelino em lançar-se à vida pública e sua relação com a esposa, Sarah, que não deseja que o marido se torne político como seu pai. Esta tensão gerou um conflito que perdurou durante praticamente toda a primeira fase da minissérie. Na segunda fase, estando a família Kubitschek já acostumada à vida pública de Juscelino, focaliza-se a ascensão política de Juscelino e, segundo previsões, o desafio enfrentado por ele para chegar à presidência (enfrentando tentativas de golpe) e a construção daquele que seria seu maior e mais criticado empreendimento, a cidade de Brasília.

Um dos pontos mais polêmicos da produção, porém, segundo algumas das críticas publicadas pela imprensa, foi o da inclusão de todo um conjunto de personagens fictícios que, segundo a minissérie, possuiria relações familiares com o protagonista, Kubitschek. Este conjunto de personagens criou um segundo núcleo dramático à minissérie, sendo muitas vezes mais focalizado que o núcleo principal durante diversos episódios e que contribui para atribuir um tom relativamente folhetinesco à produção, que do contrário ficaria restrita aos acontecimentos pretensamente históricos.

Ambiente[editar | editar código-fonte]

Congresso Nacional

Além do estúdio, no Projac, foram gravadas cenas em ambientes externos. Durante 32 dias foram gravadas 140 cenas em Tiradentes, onde segundo o diretor Dennis Carvalho, parecia uma cidade cenográfica pois os habitantes da cidade já se acostumaram com o elenco, e quando foram embora até sentiriam falta. Algumas das cenas, principalmente as do primeiro capítulo, na cidade natal de Juscelino, a famosa Diamantina, nas ruas do centro histórico de Santos, e também em Belo Horizonte. A fazenda do Coronel Licurgo também é um ambiente externo.

Para reproduzir Brasília em um cerca de um mês tiveram que usar muita computação gráfica. Na cena da comemoração da posse, na Avenida Rio Branco, com multidão e muitos carros, que vai ao ar na estreia, também foi usada computação.

Danças[editar | editar código-fonte]

Juscelino sempre teve fama de pé-de-valsa e por isso muitos dos atores tiveram aulas de dança para se adaptar as danças da época. As aulas de dança aconteceram com o professor, bailarino e coreógrafo Jaime Arôxa. O professor ficou satisfeito com o resultado. Entre os que atores que tiveram que aprender a dançar estão os que interpretam JK, Sarah, Salomé, Naná, Amália, Leonardo Faria, Zinque, entre outros. Entre os estilos da época que aparecem na minissérie estão a valsa, o tango, o cake walk, e o maxixe.

Produção[editar | editar código-fonte]

Para criação do personagem, Wagner Moura estudou a política da época e precisou fazer fonoaudióloga para anular ao máximo seu sotaque baiano e incorporar o mineiro.[2] José Wilker estudou sociologia e passou uma temporada fazendo pesquisa com a própria família de JK.[3][4]

Elenco[editar | editar código-fonte]

Primeira e segunda fase[editar | editar código-fonte]

Ator Personagem
Wagner Moura Juscelino Kubitschek
Debora Falabella Sarah Kubitschek
Luís Melo Coronel Licurgo de Almeida
Dan Stulbach Zinque Gonçalves de Almeida
Deborah Evelyn Salomé Gonçalves
Caco Ciocler Leonardo Faria
Cássia Kis Maria Gonçalves de Almeida
Júlia Lemmertz Júlia Kubitschek
Louise Cardoso Luisinha Negrão Lemos
Ranieri Gonzalez José Maria Alkmin
Juliana Mesquita Maria da Conceição Kubitschek (Naná)
Mateus Solano Júlio Soares
André Frateschi Odilon Behrens
Marcelo Laham Thales da Rocha Viana
Rafaella Mandelli Amélia Lemos Passos
Rosanne Mulholland Maria Luísa Lemos Pinto
Luíza Mariani Idalina Lemos Vasconcellos
Augusto Garcia Geraldo Lemos
Marcelo Várzea Gabriel Passos
André Barros Clóvis Pinto
Carmo Dalla Vecchia Carlos Vasconcelos
Ilya São Paulo Joaquim Gonçalves
Keli Freitas Maria das Dores Kubitschek
Ana Carbatti Guiomar
Tuna Dwek Madame Olímpia
Clarisse Abujamra Madame Lucinda
Thais Garayp Dona Cota

Terceira fase[editar | editar código-fonte]

Ator Personagem
José Wilker Juscelino Kubitschek
Marília Pêra Sarah Kubitschek
José de Abreu Carlos Lacerda
Letícia Sabatella Marisa Soares
Camila Morgado Ana Rosenberg
Mariana Ximenes Lilian Gonçalves
Deborah Evelyn Salomé Gonçalves
Caco Ciocler Leonardo Faria
Guilhermina Guinle Magui Sampaio
Alessandra Negrini Yedda Ovalle Schimdt
Antônio Calloni Augusto Frederico Schmidt
Débora Bloch Dora Amar
Hugo Carvana Jorge Sampaio
John Vaz João Goulart
Paulo Goulart Israel Pinheiro
Isabela Garcia Déa Pinheiro
Denise Del Vecchio Maria da Conceição Kubitschek (Naná)
Tato Gabus Mendes Júlio Soares
Nathalia Timberg Baronesa de Tibagi
Ariclê Perez Júlia Kubitschek
Eva Wilma Luisinha Negrão Lemos
Otávio Augusto Benedito Valadares
Paulo Betti José Maria Alkmin
Samara Felippo Maria Estela Kubitschek
Andréia Horta Márcia Kubitschek
Paulo Nigro Luís Felipe Bueno Cavallini
Cássio Gabus Mendes Gaúcho
Lucci Ferreira Antenor Gonçalves de Almeida
Betty Gofman Abigail Fernandes
Otávio Müller Coronel Orozimbo Fialho
Sérgio Viotti Adolpho Bloch
Marília Gabriela Celita Bueno Cavallini
Adriano Stuart Genaro Cavallini
Ricardo Blat Thales da Rocha Viana
Camilo Bevilacqua Odilon Bherens
Patrícia Werneck Silvinha Gonçalves de Almeida
Ana Carbatti Guiomar
André Lopes Rodrigo Lopes
Dudu Azevedo Cássio Machado
Júlia Almeida Helô Machado
Cláudia Netto Carmen Dulce
Bukassa Kabengele Fred Moreno
Nana Gouvêa Ninon Vesúvio
Ana Kutner Sirlene
Gabriela Hes Judite Gonçalves

Participações especiais[editar | editar código-fonte]

Ator Personagem
Primeira fase
Fábio Assunção João César de Oliveira
Paulo José Augusto Elias Kubitschek
Manuela do Monte Amália Brant
Maria Manoella Celeste Gonçalves
Adriana Londoño Maria de Las Mercedes
Ana Cecília Costa Madalena
Roberta Rodrigues Adosinda
Manoelita Lustosa Parteira
Gilles Gwizdek Padre
César Cardadeiro Juscelino (adolescente)
Marcela Barrozo Naná (adolescente)
Vinícius Moreno Juscelino (bebê)
Vinícius Barcellos Juscelino (criança)
Raquel Bonfante Naná (bebê)
Débora Sargentelli Naná (criança)
Marc Franken Zinque (criança)
Bianca Lyrio Salomé (criança)
Segunda fase
Bianca Salgueiro Maria Estela (criança)
Mariana Azevedo Márcia (criança)
Tatiana Alvim Beatriz (criança)
Rafael Miguel Antenor (criança)
Isabela Coimbra Silvinha (criança)
Terceira fase
Xuxa Lopes Camilinha Sampaio
Raul Cortez Antônio Carlos Ribeiro de Andrada
Regina Braga Alzira Gonçalves
Werner Schünemann Bernardo Sayão
Sérgio Viotti Adolpho Bloch
Eliane Giardini Tarsila do Amaral
José Rubens Chachá Oswald de Andrade
Flávio Bauraqui Cartola
Ivan Fernandes Carlos Drummond de Andrade
Marco Ricca Roberto Marinho
Pascoal da Conceição Mário de Andrade
Pedro Garcia Netto Pedro Nava
Rodrigo Penna Oscar Niemeyer
Emílio de Mello Carlos Murilo Felício dos Santos
Quitéria Chagas Josephine Baker
Tadeu di Pietro Lúcio Costa
Danilo Caymmi Dorival Caymmi
Ludoval Campos Tancredo Neves
Paulo Carvalho Pedro Nava
Ida Gomes Irmã Maria
Roberto Frota Coronel Fulgêncio de Souza Santos
Isabella Parkinson Cândida de Souza Santos
Adriano Garib Gadelha
Domingos de Oliveira Jayme Ovalle
Eva Todor Carlota Bueno
Christiana Guinle Coracy
Luciano Chirolli Murilo Santos
Jorge Botelho Luthero Viana
Yaçanã Martins Assunta Bonfim
Daniel Dantas Dr. Raul
Mila Moreira Maria Alice
Marco Antônio Pâmio Wilsinho
Murilo Grossi Affonso Heliodoro dos Santos
Hélio Cícero Renato Archer
Arthur Kohl Henrique Teixeira Lott
Fábio Lago Severino
Cláudio Jaborandy
Domingos Meira Sérgio Sá
Andréa Murucci Idalina Lemos Vasconcelos
Jitman Vibranovski Gabriel Passos
Jorge Lucas Jucelino Felício
Maria Laura Nogueira Virgininha
Edmo Luis Noraldino Lima
Ivo Fernandes Vitorino Freire

Reprises[editar | editar código-fonte]

A minissérie passou a ser reexibida apenas para o Distrito Federal (que não possui eleições municipais) a partir do dia 19 de agosto de 2008, após o Jornal Nacional. A partir do dia 1 de setembro de 2008 o sinal da reprise da minissérie pode ser captado em todo o Brasil através de antena parabólica, pois a partir deste dia o sinal da reapresentação da minissérie foi disponibilizado pela emissora via satélite.

Foi reprisada pelo Canal Viva entre 18 de setembro[5] e 21 de novembro de 2012, às 23:15, sendo substituída por Presença de Anita.[6]

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

Capa: O logotipo da minissérie

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Prêmio Top of Business (2006):

  • Atriz - Xuxa Lopes e Guilhermina Guinle

Prêmio Qualidade Brasil (2006):

  • Melhor Telenovela ou Projeto Especial de Teledramaturgia
  • Melhor Autor Teledramaturgia - Maria Adelaide Amaral e Alcides Nogueira
  • Melhor Direção Teledramaturgia - Dennis Carvalho

Prêmio Contigo! de Novelas (2006):

  • Melhor diretor - Dennis Carvalho
  • Melhor Par Romântico - Alessandra Negrini & Antônio Calloni (Nomeado)

Troféu Leão Lobo (2006):

  • Melhor Trilha Sonora
  • Melhor Atriz Coadjuvante - Alessandra Negrini

Referências

  1. «Globo estréia minissérie sobre JK». UOL. 3 de janeiro de 2006. Consultado em 16 de junho de 2015 
  2. [1]
  3. [2]
  4. [3]
  5. «Canal Viva irá exibir minissérie "JK" em setembro». Barreiras Notícias. 10 de agosto de 2012. Consultado em 16 de junho de 2015 
  6. «Canal Viva encerra "JK" nesta quarta». Na Telinha. 21 de novembro de 2012. Consultado em 16 de junho de 2015 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]