Jabes Pinto Rabelo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Jabes Rabelo
Deputado federal por Rondônia
Período 1 de fevereiro de 1991 a 7 de novembro de 1991
Dados pessoais
Nome completo Jabes Pinto Rabelo
Nascimento 16 de fevereiro de 1957 (64 anos)
Campo Mourão, PR
Progenitores Mãe: Pedrina de Jesus Rabelo
Pai: Boaventura Pinto Rabelo
Cônjuge Elizete Carlem Fabris
Partido PTB, PL
Profissão Empresário e político

Jabes Pinto Rabelo (Campo Mourão, 16 de fevereiro de 1957) é um empresário e político brasileiro[1][2].

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de Boaventura Pinto Rabelo e Pedrina de Jesus Rabelo, mudou-se em 1972 para Cacoal, no então Território Federal de Rondônia, onde trabalhou como tropeiro, mascate, garçom e motorista do INCRA até 1979, quando virou corretor de cereais e, em 1982, abriu sua primeira empresa, a Cerealista Máquinas Rio Doce. Seus irmãos foram também sócios de duas transportadoras, uma madeireira, dois hotéis, um escritório de contabilidade, duas lojas de eletrodomésticos e material de construção, uma distribuidora de bebidas e quatro fazendas com milhares de cabeças de gado.

Nas eleições de 1990, foi eleito deputado federal pelo PTB, recebendo 11.002 votos (terceira maior votação do estado). Além dele, outros 6 petebistas foram eleitos para a Câmara dos Deputados.

A curta passagem pela Câmara[editar | editar código-fonte]

Empossado em fevereiro de 1991, Jabes Rabelo atuou nos trabalhos legislativos como membro titular da Comissão de Minas e Energia e suplente da Comissão de Educação, Cultura e Desporto. 3 meses depois, foi acusado pela deputada Raquel Cândido de envolvimento com o tráfico de drogas, juntamente com Maurício Calixto e Nobel Moura. Ele rebateu as acusações ao mostrar uma certidão da Penitenciária Ênio dos Santos Pinheiro, onde Raquel Cândido fora presa em 1973, pelo mesmo motivo. O Ministério Público rondoniense, no entanto, confirmou que o documento foi falsificado, e a Política Federal descobriu que o êxito empresarial de Jabes era ligado ao narcotráfico e as empresas da família do deputado serviam como fachadas para lavar o dinheiro. Em junho, anunciou sua desfiliação do PTB e, um mês depois, viu seus irmãos Abidiel e Noabias presos em São Paulo com 554 quilos de cocaína, além de uma carteira de assessor parlamentar falsificada (assinada pelo próprio Jabes), o pai e a irmã, Nilce, indiciados por receptação de veículos roubados e apreendidos no Paraná, estado-natal do deputado. Seu irmão, Boaventura, foi também indiciado.

Cassação[editar | editar código-fonte]

Em agosto, a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania aceitou o pedido de suspensão da imunidade parlamentar de Jabes Rabelo, que foi aprovada por 366 votos, enquanto 35 deputados votaram contra. Foi a primeira vez que a Câmara dos Deputados aceitava uma licença para processar um parlamentar. No caso da assinatura na carteira de assessor parlamentar, a CCJ aprovou o pedido de cassação do mandato por quebra de decoro. 270 deputados votaram a favor, e 150 foram contrários à cassação, e em novembro foi punido com inelegibilidade de 7 anos. Sua vaga foi assumida pelo suplente Antônio Morimoto.

Absolvições e vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Jabes foi absolvido em maio de 1993 da acusação de receptação, e chegou a viajar para Brasília para acompanhar do processo de cassação dos envolvidos no escândalo dos "Anões do Orçamento", entre eles Raquel Cândido (cassada em abril) e Ibsen Pinheiro (em maio). Foi absolvido também das acusações de fraude eleitoral em 1990 e de sonegação fiscal entre 1995 e 1996. Voltou a ser elegível em 1998, mas não disputou novamente outras eleições, optando em seguir a carreira empresarial, embora chegasse a ser filiado ao PL durante algum tempo.

Casou-se com Elizete Carlem Fabris, com quem teve um filho e criou outros 7. Em maio de 2017, desejou a morte do jornalista Marcelo Rezende, que fizera a cobertura do caso em Cacoal quando ainda era repórter da Rede Globo[3], em postagem no facebook. A atitude de Jabes repercutiu em todo o estado.

Referências

  1. «Jabes Pinto Rabelo». CPDOC. Consultado em 18 de outubro de 2019 
  2. «Biografia do Deputado(a) Federal Jabes Rabelo». Portal da Câmara dos Deputados. Consultado em 18 de outubro de 2019 
  3. «No Facebook, ex-deputado Jabes Rabelo deseja que apresentador Marcelo Rezende com câncer "vá para o quinto dos infernos"». Rondônia Dinâmica. 18 de maio de 2017 
Ícone de esboço Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço relacionado ao Projeto Biografias de Políticos. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.