Este é um artigo bom. Clique aqui para mais informações.

Jack-Tor

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
"Jack-Tor"
5.º episódio da 1.ª temporada de 30 Rock
Toofer Spurlock (interpretado por Keith Powell; esquerda) e Frank Rossitano (Judah Friedlander; centro) a pregarem uma partida em Jenna Maroney (Jane Krakowski).
Informação geral
Direção Don Scardino
Enredo por Robert Carlock
Produzido por Jerry Kupfer · Jeff Richmond
Direção de fotografia Michael Trim
Música "Muffin Top", por Jane Krakowski e Ghostface Killah
Código de produção 105
Transmissão original 16 de Novembro de 2006
Convidados
Episódios da 1.ª temporada
30 Rock (1.ª temporada)
Lista de episódios

"Jack-Tor" é o quinto episódio da primeira temporada da série de televisão norte-americana de comédia de situação 30 Rock. Teve o seu enredo escrito por Robert Carlock, co-produtor executivo da temporada, e foi realizado por Don Scardino. A sua transmissão original norte-americana ocorreu na noite de 16 de Novembro de 2006 através da rede de televisão National Broadcasting Company (NBC). Por entre os actores convidados, estão inclusos Katrina Bowden, Lonny Ross, Keith Powell, Maulik Pancholy, Teddy Coluca, James Murtaugh, Donald Glover, Doug Moe, Joey La Varco, e Matthew Stocke. O rapper Ghostface Killah interpretou uma versão fictícia de si mesmo.

O episódio centra-se na pressão que Jack Donaghy (interpretado por Alec Baldwin) coloca nos argumentistas do programa TGS with Tracy Jordan para realizarem inserções publicitárias de produtos da General Electric (GE) em segmentos de episódios do mesmo, o que força Liz Lemon (Tina Fey), a argumentista-chefe do TGS, a incluir o próprio Jack em uma esquete que parodia a realização de inserções publicitárias. Entretanto, Frank Rossitano (Judah Friedlander) e James "Toofer" Spurlock (Powell) ludibriam Jenna Maroney (Jane Krakowski) a pensar que o seu emprego está em perigo, e Liz se questiona se Tracy Jordan (Tracy Morgan), o novo astro do TGS, é analfabeto, quando este se recusa a ler cartões de sugestão durante uma gravação.

Em geral, o episódio foi recebido com opiniões mistas pela crítica especialista em televisão do horário nobre, com elogios sendo direccionados ao desempenho de Alec Baldwin e críticas sendo feitas ao enredo que revolve nas inserções publicitárias. Segundo as estatísticas publicadas pelo serviço de mediação de audiências Nielsen Ratings, "Jack-Tor" foi assistido em uma média de cinco milhões e duzentos mil domicílios durante a sua transmissão original e recebeu a classificação de 2,4 e seis de share no perfil demográfico dos telespectadores entre os dezoito e 49 anos de idade.

Produção[editar | editar código-fonte]

"Jack-Tor" é o quinto episódio da primeira temporada de 30 Rock. O seu enredo foi escrito pelo co-produtor executivo Robert Carlock e foi realizado por Don Scardino, sendo o segundo crédito de escrita de argumento por Carlock (após "Jack the Writer"), e a estreia de Scardino.[1] Em Bossypants (2011), sua autobiografia, Tina Fey, criadora e produtora executiva da série, apontou este episódio — juntamente com "Sandwich Day" da segunda temporada, e "Generalissimo" e "Apollo, Apollo", ambos da terceira temporada — como o seu favorito dos que tiveram o guião escrito por Carlock.[2][3]

Apesar de creditado, Jack McBrayer não apareceu no episódio.

Embora "Jack-Tor" tenha tido um tempo de exibição de quarenta minutos, dez a mais que o normal para 30 Rock, Jack McBrayer, membro do elenco principal do seriado e intérprete da personagem Kenneth Parcell, teve o seu nome creditado na sequência de abertura, porém, não participou do episódio, à excepção de uma cena breve sem falas no fim do episódio quando Jenna canta "Muffin Top".[4] Segundo Fey, havia "um pacote tão grande" para o episódio que acabou ficando sobrelotado. Todavia, a argumentista afirmou que acha McBrayer "fantástico" e que tem planos de "usá-lo muitas e muitas vezes" no futuro. O actor foi igualmente elogiado pelo produtor executivo Lorne Michaels, que acrescentou que "temos grandes projectos para ele. Ele é, obviamente, a personagem revelação da série. Gostamos dele, a rede [NBC] gosta dele, os telespectadores gostam dele, todo mundo gosta dele."[5]

Donald Glover, membro da equipa de argumentistas de 30 Rock, participou do episódio como um jovem produtor associado do TGS que adverte Ron (James Murtaugh) sobre não comer a comida fornecida pelo serviço de catering. Esta foi a primeira das três participações do argumentista na série, e ele viria a ser creditado como guionista nas segunda (Episódio 210; co-escrito com Carlock) e terceira temporadas ("The Funcooker"; co-escrito com Tom Ceraulo). O rapper Ghostface Killah participou de "Jack-Tor" a interpretar uma versão fictícia de si mesmo.[1]

O actor e comediante Judah Friedlander, intérprete da personagem Frank Rossitano em 30 Rock, é conhecido pelos seus bonés de camioneiro de marca registada que usa dentro e fora da personagem Frank. Os chapéus normalmente apresentam palavras ou frases curtas estampadas neles. Friedlander afirmou que ele próprio é quem faz os acessórios. Revelou também que "alguns deles são brincadeiras íntimas, e alguns são simplesmente piadas."[6] A ideia veio do persona de Friedlander nas suas apresentações de comédia stand-up, nas quais os objectos de adorno estão todos estampados com a escrita "campeão mundial" em línguas e aparências diferentes.[7] Em "Hiatus", Frank usa um bonés que lê "Hand Held".[1]

Enredo[editar | editar código-fonte]

Jack informa a Liz e aos argumentistas do TGS with Tracy Jordan que deseja inserir produtos da GE no programa de televisão. Os argumentistas expressam a sua relutância em fazer merchandising para a GE, embora durante a cena os actores falem sobre o sabor agradável do Chá Verde Branco da Snapple; contudo, Liz concorda, sob a condição de Jack participar de uma das esquetes do TGS. No dia seguinte, Liz assiste ao bastidores da gravação do vídeo de inserções publicitárias estrelado por Jack, no qual descobre que ele se esqueceu das suas falas por vezes sem conta por volta de 142 tomadas. Ao se aperceber que ele precisa de ajuda, Liz encoraja-o a ir avante com a gravação, e aí ele se desempenha melhor.[1]

Entretanto, Tracy decide fazer uma pausa nos ensaios após ser chamado de volta ao palco para ler os cartazes utilizados para facilitar a memorização das falas. Quando Tracy aparenta estar a ignorar os seus cartazes, Jenna informa Liz sobre a situação, e esta conclui que Tracy pode ser analfabeto ao se recordar de um incidente envolvendo esse tipo de situação ocorrido antes. Liz confronta Tracy sobre a questão, e ele admite ser analfabeto e se compromete a buscar ajuda. Mais tarde, Liz descobre Tracy a ler um jornal e desmascara que ele estava apenas a realizar um truque para que pudesse se desculpar do trabalho. Liz dá-lhe um ultimato e força-o a prosseguir com a gravação.[1]

Não obstante, Jenna diz a Liz quepretende inserir um desempenho musical chamado "Muffin Top" no TGS, que ela afirma ser um grande sucesso no exterior. Como uma brincadeira, Frank e Toofer dizem-na que várias pessoas estão a ser despedidas do programa. Acreditando na sua história, Jenna tenta seduzir um executivo da NBC que vê a conversar com Jack. Mais tarde, Liz revela a Jenna que ninguém vai ser despedido e que o executivo é na verdade um mero figurante do programa. A actriz pretende fazer vingança contra os dois argumentistas e, embora Toofer afirma ser esperto de mais para cair numa das tácticas de Jenna, Frank é visto a correr nu na varanda de Jack. No fim do episódio, Jenna tem finalmente a oportunidade de realizar "Muffin Top" sem saber que a transmissão do TGS já havia terminado e o desempenho foi riscado no último momento, graças à Liz.[1]

Referências culturais[editar | editar código-fonte]

A saga de filmes Star Wars é frequentemente referenciada em 30 Rock, começando com o episódio piloto (2006), no qual Tracy é visto a gritar que é um Jedi, um cavaleiro espacial nos filmes.[8] Liz admite ser uma grande fã da saga, revelando tê-la assistido muitas vezes com o seu amigo Pete,[9] e se vestido como a personagem Princesa Leia por quatro Dia das bruxas consecutivos,[10] e ainda ao tentar se livrar do serviço do júri em Chicago e Nova Iorque.[11][12] Ela sempre usa o vestido quando é seleccionado e é quase nunca escolhida, à excepção de quando a sua assistente Cerie alterou o seu endereço de residência de Chicago para Nova Iorque.[13][14] Star Wars é também referenciado quando Tracy assume a identidade da personagem Chewbacca em "Tracy Does Conan".[15] Liz tem muitas vezes usado metáforas de Star Wars para descrever a sua vida, admitindo que precisa de mais DVDs da saga. Em contraste, ela não é fã do filme Ataque dos Clones (2002), afirmando ser o seu menos favorito.[16] A actriz Carrie Fisher, que estrelou nos três filmes originais da saga como a Princesa Leia, fez uma participação em 30 Rock como a personagem Rosemary Howard na segunda temporada, na qual fez uma paródia de uma das frases dos filmes.[17]

Neste episódio, uma referência à Star Wars é feita quando Frank menciona um "amigo na contabilidade" chamado Lando Calrissian. Calrissian é uma personagem dos filmes.[18][19][20] Fey, uma fã de Star Wars, disse que a piada ou referência à saga "começou a acontecer organicamente" quando a equipa apercebeu-se que tinha uma referência de Star Wars "em quase todos episódios." A argumentista disse que a partir de então "tornou-se uma coisa que [eles] tentaram manter no programa," e que mesmo que não pudessem incluir uma em cada episódio, ainda tinham uma "média muito alta de piadas," atribuindo a maioria das referências ao produtor executivo e argumentista Robert Carlock, a quem descreveu como "o especialista residente."[21]

Lançamento e repercussão[editar | editar código-fonte]

Transmissão e audiência[editar | editar código-fonte]

Nos Estados Unidos, "Jack-Tor" foi transmitido a 16 de Novembro de 2006 através da NBC.[22] Em um esforço para melhorar a audiência de 30 Rock, "Jack-Tor" foi o primeiro episódio do seriado a ser transmitido numa noite de quinta-feira, divulgada publicamente pela NBC como o segmento Comedy Night Done Right.[23] 30 Rock foi também uma das várias comédias de situação a ter um episódio com tempo maior, numa manobra para promover melhores índices de audiência e para iniciar uma programação de comédia. Ao invés dos trinta minutos habituais, "Jack-Tor" foi exibido em quarenta minutos.[4]

Naquela noite, segundo os dados publicados pelo serviço de mediação de audiências Nielsen Ratings, o episódio foi visto por uma média de cinco milhões e duzentos mil telespectadores norte-americanos e recebeu a classificação de 2,4 e seis de share no perfil demográfico dos telespectadores entre os dezoito aos 49 anos de idade. O 2,4 refere-se a 2,4 por cento de todos os cidadãos de 18 a 49 anos de idade nos Estados Unidos, e o seis refere-se a seis por cento de todos os telespectadores de 18 a 49 anos de idade assistindo televisão nos EUA no momento da transmissão.[24] A alteração do horário revelou ser bem sucedida em relação ao episódio anterior, "Jack the Writer", assistido por cerca de 4,61 milhões de telespectadores norte-americanos, e recebeu a classificação de 1,7 e cinco de share no perfil demográfico dos telespectadores entre os dezoito aos 49 anos de idade.[25][26] Todavia, num plano mais amplo, a expectativa da mudança era de ser um fracasso. Joal Ryan, do portal de entretenimento E!, relatou que a "multidão esparsa" de cinco milhões e duzentos mil telespectadores foi uma grande diminuição dos resultados de 30 Rock nas noites de quarta-feira, quando conseguia em média seis milhões e trezentos mil telespectadores por episódio.[27]

Análises da crítica[editar | editar código-fonte]

Matt Webb Mitovich do TV Guide disse que, embora a história de Liz sendo forçada a integrar os produtos da GE para o show tenha sido uma "boa idéia", que "não acertou o alvo". Ele também sentiu que a ideia de colocar Jack no TGS with Tracy Jordan foi "divertido", mas "por algum motivo, ficou um pouco chato".[18] Tom Shales do The Washington Post considerou que 30 Rock esteve "consistente e consideravelmente melhorado desde a sua estreia". Elogiou Alec Baldwin, cujo desempenho ele descreveu como "raro e rico [...] perigosamente perto de ser perfeito". Shales disse que era "doloroso noticiar" que Jack McBrayer estava ausente no episódio, dizendo que ele era "a mais brilhante descoberta do show", e sua "performance foi uma beleza agridoce".[4]

"Independentemente dos problemas, 30 Rock ganhou seu lugar na programação, e não apenas porque o fornecimento de boas comédias esteja lamentavelmente tão curto - embora, convenhamos, essa pode não ser a razão aqui. 30 Rock é tão boa como The Office, My Name Is Earl e Scrubs. Todos os quatro shows alinhados em uma fileira não se comparam com as antigas noites de quintas-feira da NBC, mas os executivos da rede merecem pelo menos um pio de gratidão por manter essas novidades no ar enquanto pessoas inteligentes interagem com as entranhas e fazer o show melhor."

— O crítico Tom Shales na sua análise de "Jack-Tor" para o jornal The Washington Post.[5]

Robert Canning da IGN disse que 30 Rock foi "uma nova comédia que não queremos que seja tirada do ar". Ele disse que "Jack-Tor" fê-lo "rir de todos os ângulos, e pode ter iniciado um debate sobre qual personagem é mais divertido de assistir - Jack Donaghy ou Tracy Jordan?". Ele disse ainda que os outtakes do cena de Jack eram "uma das melhores partes do episódio", e que Tracy estava evoluindo em seu próprio "hilariante personagem único". Ao final, disse sentir que Jack estava ganhando o "confronto de comédia".[28]

Prémios e nomeações[editar | editar código-fonte]

Na 59.ª cerimónia anual dos prémios Primetime Emmy, o argumentista Robert Carlock recebeu uma nomeação na categoria "Melhor Escrita de Argumento em série de comédia" pelo seu trabalho no guião de "Jack-Tor". Todavia, perdeu para Greg Daniels pelo seu trabalho no guião de "Gay Witch Hunt" do seriado The Office.[29]

Notas de rodapé

  1. a b c d e f CARLOCK, Robert (argumentista); SCARDINO, Don (realizador) (16 de Novembro de 2006). «Jack-Tor». 30 Rock. Temporada 1. Episódio 5. National Broadcasting Company. NBC Universal 
  2. MASLIN, Janet (4 de Abril de 2011). «Tina Fey Is Greek and Also Teutonic, but She Isn't a Troll». The New York Times (em inglês). Consultado em 27 de Dezembro de 2011 
  3. FEY, Tina (2011). Bossypants (em inglês). Nova Iorque: Little, Brown and Co. ISBN 978-0316056861 
  4. a b c Shales, Tom (16 de Novembro de 2006). «30 Rock, Solid Enough to Rebuild a Thursday Foundation». The Washington Post. Consultado em 12 de Agosto de 2008 
  5. a b Shales, Tom (16 de Novembro de 2006). «30 Rock, Solid Enough to Rebuild a Thursday Foundation (page 2)». The Washington Post. Consultado em 12 de Agosto de 2008 
  6. RICHMOND, Alexandra (entrevistadora) (12 de Maio de 2008). «Judah Friedlander: World Champion - The CC Insider Interview». The Comedy Central Insider (em inglês). Comedy Central (MTV Networks Entertainment Group). Consultado em 12 de Julho de 2012. Arquivado do original em 26 de Julho de 2008 
  7. ALEKSANDER, Irina (24 de Abril de 2008). «Five Questions for Judah Friedlander». Observer (em inglês). Nova Iorque: The New York Observer, LLC. Consultado em 12 de Julho de 2012. Arquivado do original em 11 de Setembro de 2012 
  8. FEY, Tina (argumentista); BERNSTEIN, Adam (realizador) (11 de Outubro de 2006). «Pilot». 30 Rock. Temporada 1. Episódio 1. NBC Universal. National Broadcasting Company 
  9. FINKEL, Dave (argumentista); BAER, Brett (argumentista); McCARTHY-MILLER, Beth (realizadora) (5 de Abril de 2007). «Fireworks». 30 Rock. Temporada 1. Episódio 18. Nova Iorque. NBC Universal. National Broadcasting Company 
  10. CARLOCK, Robert (argumentista); GARDNER, Daisy (argumentista); SCARDINO, Don (realizador) (1 de Março de 2007). «The Source Awards». 30 Rock. Temporada 1. Episódio 16. NBC Universal. National Broadcasting Company 
  11. SEPINWALL, Alan (6 de Novembro de 2008). «30 Rock, "Believe in the Stars": Help me, Oprah Winfrey. You're my only hope.». The Star-Ledger (em inglês). Advance Publications. Consultado em 15 de Maio de 2012 
  12. CANNING, Robert (13 de Março de 2009). «30 Rock: "The Funcooker" Review» (em inglês). IGN Entertainment, Inc. (Ziff Davis, LLC.). Consultado em 15 de Maio de 2012. Cópia arquivada em 10 de Dezembro de 2013 
  13. GLOVER, Donald (argumentista); CERAULO, Tom (argumentista); WHITTINGHAM, Ken (realizador) (12 de Março de 2009). «The Funcooker». 30 Rock. Temporada 3. Episódio 14. NBC Universal. National Broadcasting Company 
  14. CARLOCK, Robert (argumentista); SCARDINO, Don (realizador) (6 de Novembro de 2008). «Believe in the Stars». 30 Rock. Temporada 3. Episódio 2. NBC Universal. National Broadcasting Company 
  15. FEY, Tina (argumentista); BERNSTEIN, Adam (realizador) (6 de Dezembro de 2006). «Tracy Does Conan». 30 Rock. Temporada 1. Episódio 7. NBC Universal. National Broadcasting Company 
  16. RIGGI, John (argumentista); SCARDINO, Don (realizador) (12 de Abril de 2007). «Corporate Crush». 30 Rock. Temporada 1. Episódio 19. NBC Universal. National Broadcasting Company 
  17. BURDITT, Jack (argumentista); ENGLER, Michael (realizador) (25 de Outubro de 2007). «Rosemary's Baby». 30 Rock. Temporada 2. Episódio 4. NBC Universal. National Broadcasting Company 
  18. a b Webb Mitovich, Matt (16 de Novembro de 2006). «November 16, 2006: "You're Such a Monica!"». TV Guide. Consultado em 15 de Agosto de 2008. Arquivado do original em 15 de Janeiro de 2008 
  19. CANNING, Robert (19 de Março de 2010). «30 Rock: "Don Geiss, America and Hope» (em inglês). IGN. Ziff Davis, LLC. Consultado em 15 de Maio de 2012 
  20. GUZMAN, René A. (21 de Maio de 2010). «30 years of 'Empire'». Hearst Corporation. San Antonio Express-News (em inglês): 01F. Han Solo was frozen in carbonite in 'Empire Strikes Back' partly because it was uncertain Harrison Ford would be back for a third 'Star Wars' film 
  21. TOPEL, Fred (16 de Setembro de 2009). «Tina Fey Gets the Gold». CraveOnline (em inglês). AtomicMedia. Consultado em 20 de Junho de 2012. Cópia arquivada em 6 de Abril de 2010 
  22. «30 Rock: Episodes». Londres: Screenrush (AlloCiné). Consultado em 27 de Abril de 2007 
  23. Hein, Jon (22 de abril de 2008). «Is Comedy Night Being Done Right?». TV Guide. Consultado em 30 de julho de 2008 
  24. «NBC'S Primetime Lineup Finished Week Nine with a 12 Percent Jump Versus its 18-49 Rating for the Same Week Last Year» (Nota de imprensa). NBC Universal Media Village. 21 de Novembro de 2006. Consultado em 16 de Agosto de 2008 
  25. ABC Medianet, (7 de Novembro de 2006) "Weekly Program Rankings". Acessado em 8 de Agosto de 2008.
  26. «NBC Wins the Week in Adults 18-49» (Nota de imprensa). NBC Universal Media Village. 7 de Novembro de 2006. Consultado em 9 de Agosto de 2008 
  27. Ryan, Joal. «30 Rock Goes Thud on Thursday». E!. Consultado em 15 de Agosto de 2008 
  28. Canning, Robert (17 de Novembro de 2006). «30 Rock: "Jack-Tor" Review». IGN. Consultado em 23 de Dezembro de 2007 
  29. «59th Emmy Awards Nominees and Winners» (em inglês). Academia de Artes e Ciências Televisivas. Consultado em 18 de Fevereiro de 2008 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Portal.svg A Wikipédia possui o
Portal 30 Rock