Jacques Amyot

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Jacques Amyot
Nascimento 30 de outubro de 1513
Melun
Morte 6 de fevereiro de 1593 (79 anos)
Auxerre
Sepultamento Auxerre
Cidadania França
Alma mater Universidade de Bourges
Ocupação tradutor, escritor, clérigo, padre católico
Prêmios Comandante da Ordem do Espírito Santo, Cavaleiro da Ordem de São Miguel
Blason Jacques Amyot (1514-1593).svg
Religião Igreja Católica

Jacques Amyot (Melun, 30 de outubro de 1513Auxerre, 6 de fevereiro de 1593) foi um escritor e tradutor francês.

Estudou na Universidade de Paris e depois em Burges, onde ensinou grego e latim de 1536 a 1546. Tendo traduzido Etiópias de Heliodoro, foi distinguido por Francisco I, que lhe deu a Abadia de Bellozane e o encarregou de traduzir Plutarco para o francês. Viveu, então, algum tempo na Itália, onde compulsou manuscritos gregos e latinos e onde participou do Concílio de Trento. Ao voltar à França, foi nomeado preceptor dos futuros Carlos IX e Henrique III. Publicou em 1559 a tradução de Dáfnis e Cloé de Longo e as Vidas Paralelas de Plutarco, a sua obra-prima. Capelão-mor da França em 1560 e bispo de Auxerre em 1570, dividiu o resto de sua vida entre a diocese, onde combateu o protestantismo, e a vida literária, com a tradução e publicação das Obras Morais de Plutarco em 1572.

O Amyot escritor influenciou profundamente o espírito e a literatura do Século XVI. Não só deu a conhecer à França a obra de Plutarco, como a beleza de sua escrita e a clareza e vigor do seu estilo já anunciavam a prosa clássica. Montaigne agradecia-lhe por ter ensinado a seus contemporâneos como se devia escrever e declarava: "É ele nosso breviário".

Referências[editar | editar código-fonte]