Jacques Dubochet

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Jacques Dubochet
Nascimento 8 de junho de 1942
Aigle
Cidadania Suíça
Alma mater Universidade de Lausanne, Universidade de Genebra, Universidade de Basileia
Ocupação professor catedrático, biofisico
Prêmios Prêmio Nobel de Química
Empregador Universidade de Lausanne, European Molecular Biology Laboratory

Jacques Dubochet (8 de junho de 1942)[1] é um biofísico suiço.[2][3] Compartilhou o Nobel de Química de 2017 com Joachim Frank e Richard Henderson, pelo desenvolvimento da microscopia crioeletrônica para a determinação em alta-resolução da estrutura de biomoléculas em solução.[4]

Referências

  1. https://www.embl.it/aboutus/alumni/alumni-directory/directory/?fq%5B0%5D=Country%3A"Switzerland"&fq%5B1%5D=Nationality%3A"Swiss"
  2. Dubochet, Jacques (fevereiro de 2016). «A Reminiscence about Early Times of Vitreous Water in Electron Cryomicroscopy». Biophysical Journal. 110 (4): 756–757. doi:10.1016/j.bpj.2015.07.049 
  3. Wilson, Rosemary; Gristwood, Alan. «Science, society & serendipity». European Molecular Biology Laboratory. Consultado em 4 de outubro de 2017 
  4. «The 2017 Nobel Prize in Chemistry - Press Release». www.nobelprize.org. 4 de outubro de 2017. Consultado em 4 de outubro de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Jean-Pierre Sauvage, Fraser Stoddart e Bernard Feringa
Nobel de Química
2017
com Joachim Frank e Richard Henderson
Sucedido por