Jaguariúna

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Jaguariúna
"Jaguar"
"Estrela da Mogiana"
Paróquia Matriz Santa Maria

Paróquia Matriz Santa Maria
Bandeira de Jaguariúna
Brasão de Jaguariúna
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 12 de setembro
Fundação 5 de agosto de 1896 (121 anos)
Emancipação 30 de dezembro de 1953 (63 anos)
Gentílico jaguariunense
Lema fide et labore (em português: fé e trabalho)
Prefeito(a) Márcio Gustavo Bernardes Reis (Gustavo Reis)
(2017–2020)
Localização
Localização de Jaguariúna
Localização de Jaguariúna em São Paulo
Jaguariúna está localizado em: Brasil
Jaguariúna
Localização de Jaguariúna no Brasil
22° 42' 21" S 46° 59' 09" O22° 42' 21" S 46° 59' 09" O
Unidade federativa  São Paulo
Mesorregião Campinas IBGE/2008[1]
Microrregião Campinas IBGE/2008[1]
Região metropolitana Campinas
Municípios limítrofes Norte: Santo Antônio de Posse, Holambra
Sul: Campinas
Leste: Pedreira, Amparo
Oeste: Paulínia[2]
Distância até a capital 125 km[3]
Características geográficas
Área Não disponível
População 50 719 hab. Censo IBGE/2014[4]
Densidade Área?
Altitude 570 m
Clima Tropical de altitude Cfa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,829 (SP: 36°) – muito alto PNUD/2000[5]
PIB R$ 1 937 262,365 mil (BR: 95º - RMC: 6º) – IBGE/2008[6]
PIB per capita R$ 48 351,78 IBGE/2008[6]
Página oficial

Jaguariúna é um município da Região Metropolitana de Campinas, no estado de São Paulo, no Brasil. Localiza-se a 22º42'20" de latitude sul e 46º59'09" de longitude oeste, a uma altitude de 584 metros. Sua população aferida em 2014 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística era de 50.719 habitantes.[4]

História[editar | editar código-fonte]

A primeira ocupação humana da região de Jaguariúna, como a de todo o continente americano, foi de povos ameríndios. A partir do século XVII, a região passou a ser frequentada por bandeirantes a caminho de Goiás e Mato Grosso, provenientes de São Paulo. Na mesma época, começou a ser plantada cana-de-açúcar na região. Os canaviais cederam lugar às plantações de café, no século XIX[7].

Em 3 de maio de 1875, foi inaugurada a estrada de ferro ligando Campinas a Jaguari, margeando o Rio Jaguari[8]. Na região então denominada Jaguari, existia uma grande fazenda de propriedade do coronel Amâncio Bueno chamada Fazenda Florianópolis. Na década de 1880, o coronel loteou a fazenda e propiciou a instalação, no local, de imigrantes portugueses e italianos. Em 19 de fevereiro de 1892, foi criada a Paróquia de Santa Maria, em Jaguari.

A Lei 433, de 5 de agosto de 1896, criou o distrito de paz de Jaguari, pertencente a Mojimirim. Pelo Decreto-lei 14 344, de 30 de novembro de 1944, foi acrescido, ao nome do distrito, o sufixo de origem tupi "una", que significa "preto"[9].

Em 30 de dezembro de 1953, a Lei 2 456 tornou Jaguariúna emancipada de Mojimirim, passando a constituir um município autônomo[10].

Toponímia[editar | editar código-fonte]

"Jaguariúna" é um vocábulo tupi que significa "rio preto das onças", através da junção dos termos îagûara (onça), 'y (água, rio) e un (preto)[9]. Vale destacar que o brasão da cidade, que mostra uma onça preta ao lado de um rio azul, incorre num erro em relação à etimologia tupi do nome da cidade: o correto, do ponto de vista etimológico, seria o brasão mostrar uma onça comum ao lado de um rio negro.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Possui uma área de 142,437 km², o que corresponde a uma densidade populacional de 258,38 habitantes por quilômetro quadrado, em dados de 2007.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Dados do Censo - 2010 [11]

População total: 44.311 - estimada 2016: 53.069

  • Urbana: 43.033
  • Rural: 1.277
  • Homens: 22.003
  • Mulheres: 22.307

Densidade demográfica (hab./km²): 207,84

Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 9,05

Expectativa de vida (anos): 75,36

Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 2,00

Taxa de alfabetização: 92,47%

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,829

  • IDH-M Renda: 0,772
  • IDH-M Longevidade: 0,839
  • IDH-M Educação: 0,877

(Fonte: IPEADATA)

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Rodovias[editar | editar código-fonte]

Ferrovias[editar | editar código-fonte]

Maria Fumaça no Centro Cultural de Jaguariúna

Fica no município de Jaguariúna o terminal da Viação Férrea Campinas-Jaguariúna, uma linha turística com locomotivas a vapor ("marias-fumaça"), mantida pela Associação Brasileira de Preservação Ferroviária.

Turismo[editar | editar código-fonte]

Entre as atrações turísticas de Jaguariúna, o passeio de maria-fumaça[12] é um dos mais tradicionais. Realizado na legítima locomotiva da Cia. Mogiana, fabricada em 1952, percorre as cidades de Jaguariúna a Campinas, passando pelas antigas estações de Anhumas, Pedro Américo, Tanquinho, Desembargador Furtado e Carlos Gomes. Além do passeio, é possível conhecer, na estação de Jaguariúna (conhecida como "Estrela da Mogiana”), o Museu Ferroviário, com peças e fotos sobre a história e tradição das locomotivas na região.

Imagens[editar | editar código-fonte]

Administração[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. «IBGE mapas» 
  3. «Distâncias entre a cidade de São Paulo e todas as cidades do interior paulista». Consultado em 26 de janeiro de 2011 
  4. a b «Censo Populacional 2014». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 28 de novembro de 2014. Consultado em 25 de janeiro de 2015 
  5. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  6. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  7. http://www.jaguariuna.sp.gov.br/historia.php
  8. http://www.cmef.com.br/
  9. a b NAVARRO, E. A. Método moderno de tupi antigo: a língua do Brasil dos primeiros séculos. Terceira edição revista e aperfeiçoada. São Paulo. Global. 2005. p. 42.
  10. http://www.jaguariuna.cnpm.embrapa.br/historia.html
  11. «IBGE | Cidades | São Paulo | Jaguariúna». www.cidades.ibge.gov.br. Consultado em 21 de fevereiro de 2017 
  12. ABPF – Regional Campinas. «ABPF – Regional Campinas». ABPF – Regional Campinas. Consultado em 23 de junho de 2015 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Jaguariúna