Jaime Fernandes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre o locutor português. Para outros significados, veja Jaime Fernandes (desambiguação).
Jaime Fernandes
Nascimento 23 de junho de 1947
Lisboa
Morte 27 de outubro de 2016 (69 anos)
Lisboa
Nacionalidade portuguesa
Ocupação Jornalista

Jaime Octávio Pires Fernandes (Lisboa, 23 de Junho de 1947 - Lisboa, 27 de Outubro de 2016[1]) foi um locutor, jornalista e realizador de rádio português. Costumava referir: "Gostarei sempre mais de ser conhecido como locutor de rádio do que como director ou administrador seja do que for".

Com 13 anos fazia teatro infantil radiofónico, com Odette de Saint-Maurice, aos microfones da Emissora Nacional. Aos 16 anos estreou-se como locutor no lançamento da antiga "Lisboa 2" em estereofonia e que é hoje a Antena 2.[2]

Aos 18 anos cumpre o serviço militar como voluntário cumprido como Controlador de Tráfego Aéreo na Força Aérea Portuguesa. Foi mobilizado para o Ultramar tendo trabalhado ainda na Rádio Clube de Moçambique entre 1968 e 1970.

Iniciou depois a carreira no Rádio Clube Português como jornalista. Fez parte da administração, após o 25 de Abril de 1974, eleito pelos trabalhadores da rádio.

Autor e apresentador de diversos programas na RDP e na RTP. Aceitou um desafio e foi correspondente da RDP na Alemanha em 1980. A partir de 1981 foi director de Programas na Rádio Comercial (juntamente com João David Nunes). Apresentou programas como "Dois Pontos" e "Country, A música da América" na Comercial. Na RTP participou em programas como "Vivamúsica" e "Música Da América".

Entre 1985 e 1986 esteve na Rádio Renascença onde fez parte do lançamento do Canal 1 e do FM (logo a seguir renomeado para RFM) tendo sido o autor do nome do famoso programa Oceano Pacífico.[[3]

Em 1989 teve o primeiro cargo de administração na RDP onde se manteve por 5 anos e onde criou a RDP Antena 3. Fez parte da administração da TV Guia e mais tarde do Pavilhão Atlântico.[4]

Foi gestor da RTP1 entre 2000 e 2001. Na RTP foi ainda director de programas, dos canais internacionais e de novos projectos. Estruturou e organizou o canal RTP Música, que nunca chegou a emitir apesar de ter sido apresentado oficialmente pela administração da empresa e pelo ministro da tutela[5].

Foi diretor da RTP internacional e África até se reformar. Realizou a série Estranha Forma de Vida - Uma história da música popular portuguesa[6]. Foi também membro do Conselho de Opinião da empresa concessionária de Rádio e Televisão.

Foi também voz dos tempos de antena do PSD.

Foi provedor do telespectador da RTP entre 2013 e a data do seu falecimento.[7]

Foi um dos organizadores da Web Summit em Lisboa em 2016.

Referências