Jaime Hamilton, Duque de Châtellerault

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Jaime Hamilton
Duque de Châtellerault e Conde de Arran
Esposa Margarida Douglas
Descendência Jaime Hamilton, 3.° Conde de Arran
Anne Hamilton, Condessa de Huntly
Jean Hamilton
Barbara Hamilton
John Hamilton
Gawain Hamilton
Elizabeth
David Hamilton
Claud Hamilton, 1.° Lorde Paisley
Casa Hamilton
Nascimento c. 1516
Morte 22 de janeiro de 1575 (59 anos)
Pai Jaime Hamilton, 1º Conde de Arran
Mãe Janet Bethune de Easter Wemyss
Brasão

Jaime Hamilton, Duque de Châtellerault e 2.° Conde de Arran (em inglês: James Hamilton; c. 1516 — 22 de janeiro de 1575), foi um nobre escocês e regente de Maria da Escócia.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Hamilton era o filho legítimo mais velho de Jaime Hamilton, 1º Conde de Arran.

Por intermédio de sua avó paterna Maria Stewart, Hamilton era bisneto de Jaime II da Escócia. Com a morte de John Stuart, Duque de Albany, em 1536, Arran tornou-se o próximo herdeiro do Reino da Escócia, depois da família imediata do rei.

Regente da Escócia[editar | editar código-fonte]

As crianças da família real provaram durar poucos anos de vida, por isso, por ocasião da morte de Jaime V da Escócia em 1542 o conde de Arran passou a ser o próximo na linha sucessória do trono escocês depois da filha recém-nascida do rei de apenas seis dias de vida, Maria da Escócia, para quem foi nomeado regente. Em 1543, os partidários de Mateus Stuart, 4 º Conde de Lennox, contestaram a afirmação e a legitimação de Arran, sugerindo que o divórcio de seu pai e o segundo casamento eram inválidos.[1]

Inicialmente um protestante e membro do partido pró-ingleses em 1543, Hamilton esteve envolvido nas negociações do casamento da rainha da Escócia com o infante Príncipe de Gales (o futuro Eduardo VI da Inglaterra). O cardeal Beaton, que era favorável à Auld Alliance, foi aprisionado no Palácio de Dalkeith e depois no Castelo Blackness. Henrique VIII da Inglaterra duvidava do compromisso de Arran para com a política inglesa e queria vê-lo deposto. Em 18 de março de 1543, Sir George Douglas de Pittendreich, irmão do Conde de Angus, contou para o embaixador inglês, Ralph Sadler, que este não era o momento ideal para qualquer tentativa de trazer o governo do reino da Escócia para junto da influência direta do rei da Inglaterra, que o povo, os nobres e todos os clérigos estariam totalmente contra isso.[2]

Em 3 de setembro de 1543, houve pânico em Edimburgo, quando se soube que Arran discretamente deixou a cidade. Apesar de ele ter dito que estaria visitando sua esposa grávida no Castelo Blackness, o partido pró-ingleses achou que ele tentaria se encontrar com o cardeal Beaton. O regente e o cardeal haviam se reconciliado em Callendar House.[3] Pouco depois, Arran tornou-se católico e aderiu à facção pró-franceses, consentindo o casamento da Rainha com o Delfim francês, mais tarde Francisco II da França, e recebeu em troca, o Ducado do Châtellerault.[4] Isto levou a uma guerra de sete anos com a Inglaterra, atualmente chamada de Rough Wooing, que foi declarada em 20 de dezembro de 1543. A declaração de guerra foi levada por Henry Ray e entregue ao Parlamento da Escócia. Arran respondeu que o parlamento estava dissolvido, e que ele não responderia a Henrique VIII os pontos levantados na época.[5] Em 1548, Maria da Escócia foi viver na corte francesa. Por seu empenho nas negociações de seu casamento, Hamilton recebeu o título de Duque de Châtellerault, e feito cavaleiro da Ordem de São Miguel.

O duque e a Reforma[editar | editar código-fonte]

Em 1554, Arran entregou a regência para Maria de Guise, mãe da rainha Maria. Hamilton desistiu do cargo com a condição de que ele seria o próximo na linha sucessória depois da Rainha, caso ela morresse sem deixar filhos. Mas a sucessão escocesa já tinha sido secretamente prometida para a França.

Nos primeiros meses da Reforma Escocesa, Hamilton continuou a apoiar Maria de Guise. Enfrentou um exército protestante com o comandante francês em Cupar Muir em junho de 1559. Em agosto de 1559, mudou de lado juntando-se ao grupo de nobres protestantes escoceses denominados Senhores da Congregação para se opor à regência de Maria de Guise, e como consequência disso, perdeu seu ducado francês. Após a morte de Guise, Hamilton convenceu o Parlamento da Escócia a fazer um plano para casar seu filho Jaime com Elizabeth I da Inglaterra,[6] e, logo após a morte de Francisco II da França em 1560, tentou, sem sucesso, arranjar para Jaime o casamento com a jovem viúva, a rainha Maria.

Depois que Maria se casou com Lorde Darnley em 1565, Hamilton foi viver em sua propriedade na França. Em 1569, retornou para a Escócia e foi preso, até que, em 1573, concordou em reconhecer o filho de Maria, Jaime, como Rei da Escócia.

Casamento e filhos[editar | editar código-fonte]

Brasão de Armas do Duque e de Margaret Hamilton, Kinneil House.

Hamilton casou em 1532 com Margaret Douglas, filha de Jaime Douglas, 3.° Conde de Morton, e de Catherine Stewart, filha natural de Jaime IV. Seu meio-irmão mais velho, Jaime Hamilton de Finnart pagou a Morton 4.000 marcos, como parte do acordo de casamento.[7] Eles tiveram os filhos:

Notas

  1. Dickinson, Gladys, ed., Two Missions of de la Brosse, Scottish History Society (1942), 7-8, 19: Calendar State Papers Scotland, volume 1 (1898), 691-694.
  2. Clifford, Arthur, ed., Sadler State Papers, Edimburgo, volume 1 (1809), 70, Sadler ao rei Henrique VIII, 20 de março de 1543.
  3. Bain, Joseph, ed., Hamilton Papers, vol. 2, HM Register House, Edimburgo, (1892) 14-19.
  4. NQ Higher: Scottish History. «The French Marriage». Education Scotland 
  5. Bain, Joseph, ed., Hamilton Papers, vol. 2, HM Register House, Edimburgo, (1892), 238-9.
  6. Acts of the Parliaments of Scotland, vol. ii, (1814), 605-606; HMC Hamilton, (1887), 42, Agosto de 1560.
  7. Laing, Henry, Descriptive Catalogue of Impressions from Ancient Scottish Seals, Constable (1850), 72.
  8. Sidney Lee, ed. (1892). «Kennedy, Gilbert (1541?-1576)». Londres: Dictionary of National Biography; Smith, Elder & Co. 30 páginas 
  9. Chatellherault's will, NAS ECC8/8/4

Referências

Leituras adicionais[editar | editar código-fonte]

  • Franklin, David Byrd (1995). The Scottish Regency of the Earl of Arran: A Study in the Failure of Anglo-Scottish Relations. Edwin Mellen Press.


Jaime Hamilton, Duque de Châtellerault
Nascimento: c. 1516 Morte: 22 de janeiro de 1575
Pariato da Escócia
Precedido por
Jaime Hamilton
Conde de Arran
1529–1548
Sucedido por
Jaime Hamilton
Nobreza da França
Vago
Último detentor do título:
Charles de Valois
Duque de Châtellerault
1548–1575
Vago
Próximo detentor do título:
Diana da França