James John Walker

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Translation Latin Alphabet.svg
Este artigo ou seção está a ser traduzido. Ajude e colabore com a tradução.
James Walker
O prefeito em foto de 1926.
Prefeito da cidade de Nova Iorque Estados Unidos
Período 1 de janeiro de 1926
1 de setembro de 1932
Antecessor(a) John Francis Hylan
Sucessor(a) Joseph V. McKee
Vida
Nome completo James John Walker
Nascimento 19 de junho de 1881
Nova Iorque,  Estados Unidos
Morte 18 de novembro de 1946 (65 anos)
Nova Iorque,  Estados Unidos
Dados pessoais
Esposas Janet Walker
Betty Compton
Partido Democrata
Religião Catolicismo romano

James John Walker, também conhecido como Jimmy Walker ou Beau James (Nova Iorque, 19 de junho de 1881 - 18 de novembro de 1946), foi prefeito da cidade de Nova Iorque de 1926 a 1932. Político carismático, ele foi um democrata liberal e membro da poderosa Tammany Hall. Durante um escândalo de corrupção, ele foi forçado a renunciar.

Primeiros anos[editar | editar código-fonte]

Walker era filho do imigrante irlandês William H. Walker, proprietário de uma carpintaria e serraria que era muito ativo na política local como deputado e vereador democrata de Greenwich Village - desmentindo as afirmações dadas por Walker de que ele teria crescido na pobreza. Não se destacou nos estudos e abandonou a faculdade antes se formar na New York Law School, em 1904. Seu pai desejava que ele se tornasse advogado e político, mas Walker preferia compor canções e envolver-se com a indústria da música. Em 1909, ele finalmente iniciou sua carreira política e, em 1912, foi aprovado no bar exam.[1][nota 1]

Carreira política[editar | editar código-fonte]

Walker ocupou um assento na Assembleia do Estado de Nova Iorque de 1910 a 1914 e no Senado Estadual de 1915 a 1925, desempenhando as funções de líder da minoria (1920 a 1922 e 1925) e de presidente temporário (1923 a 1924). No Senado ele opôs-se firmemente à chamada Lei seca.[2]

Notas

  1. Exame que avalia se o bacharel em Direito tem condições para exercer a advocacia (similar, no Brasil, ao exame da OAB).

Referências

  1. Whalen, Bernard; Whalen, Jon (2015). The NYPD's First Fifty Years: Politicians, Police Commissioners, and Patrolmen (em inglês). Virginia: Potomac Books. p. 127-128. 288 páginas. ISBN 978-1612346564. Consultado em 28 de Agosto de 2015 
  2. Lerner, Michael A. (2008). Dry Manhattan: Prohibition in New York City (em inglês). Cambridge: Harvard University Press. p. 12. 360 páginas. ISBN 978-0674030572. Consultado em 28 de Agosto de 2015