Jan Czekanowski

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Jan Czekanowski
Nascimento 6 de outubro de 1882
Morte 20 de julho de 1965 (82 anos)
Estetino
Sepultamento Cemitério de Powązki
Cidadania Polônia
Alma mater Universidade de Zurique
Ocupação explorador, antropólogo, linguista, estatístico

Jan Czekanowski (Głuchów, Grójec, 6 de outubro de 1882Estetino, 20 de julho de 1965) foi um antropólogo, etnólogo e africanista polonês.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Czekanowski trabalhou de 1905 a 1907 sob tutoria de Felix von Luschan no Museu Etnológico de Berlim, tempo no qual trouxe à instituição 109 crânios da ilha tanzaniana de Busira, no Lago Vitória. De 1907 a 1909, trabalhou na África Equatorial para trazer à Europa conhecimento sobre regiões desconhecidas.

Enquanto antropólogo, convenceu estudiosos da Alemanha Nazista que os caraítas não eram semitas, mas sim, turcomanos, salvando-os do Holocausto.

Faleceu em 1965, sendo enterrado no cemitério de Powązki, na Varsóvia.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Polnisches Ministerium für Auswärtige Angelegenheiten. Polnische Entdecker. [S.l.: s.n.] p. 18. ISBN 83-89175-51-7 
Ícone de esboço Este artigo sobre um antropólogo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.