Jan Evangelista Purkyně

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Jan Evangelista Purkyně
Nascimento 17 de dezembro de 1787
Libochovice
Morte 28 de julho de 1869 (81 anos)
Praga
Sepultamento Cemitério Vyšehrad
Cidadania Áustria-Hungria
Etnia Checos
Cônjuge Julia Rudolphi
Filho(s) Rozálie Purkyňová, Johana Purkyňová, Emanuel von Purkyně, Karel Purkyně
Alma mater
Ocupação médico, neurologista, fisiólogo, anatomista, professor(a) universitário(a), biólogo, poeta, filósofo, tradutor, escritor, naturalista
Prêmios
  • Membro Estrangeiro da Royal Society (1850)
Empregador Universidade de Breslávia, Universidade Carolina
Assinatura
Purkyne Jan Evangelista-podpis.svg

Jan Evangelista Purkyně, também grafado Johannes Evangelista Purkinje (Libochovice, 17 de dezembro de 1787Praga, 28 de julho de 1869) foi um médico e professor universitário checo que se notabilizou como anatomista e fisiologista e descobridor das células de Purkinje e do efeito de Purkinje.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Em meados do século do XIX Jan Evangelista Purkinje introduziu o uso da palavra grega plasma (significando "formado" ou "moldado") para o fluido claro que permanecia depois da remoção de todo o material corpuscular do sangue. Meio século depois, o cientista americano Irving Langmuir propôs em 1922 que os elétrons, íons e nêutrons em um gás ionizado poderiam similarmente ser considerados como material corpuscular arrastado em algum tipo de meio fluido e chamando esse meio arrastante de plasma.

Também deu nome as fibras musculares presentes no coração, as Fibras de Purkinje, que constituem um sistema especial de condução do estímulo elétrico no coração que permite que este se contraia de maneira coordenada.

Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) cientista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.