Jan Smuts

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Jan Smuts
Jan Smuts em 1947.
Primeiro Ministro da África do Sul
Período 5 de setembro de 1939
até 4 de junho de 1948
Monarca Jorge IV
Antecessor(a) James Barry Munnik Hertzog
Sucessor(a) Daniel François Malan
Primeiro Ministro da África do Sul
Período 3 de setembro de 1919
até 30 de junho de 1924
Antecessor(a) Louis Botha
Sucessor(a) James Barry Munnik Hertzog
Dados pessoais
Nome completo Jan Christiaan Smuts
Nascimento 24 de maio de 1870
Riebeek West, Colónia do Cabo
Morte 11 de setembro de 1950 (80 anos)
Doornkloof, Irene, Transvaal, União Sul-Africana
Alma mater Christ’s College
Inns of Court
Prêmio(s)
Esposa Issie Krige
Filhos 6 (Jannie, Louis, Japie, Sylma, Santa e Cato)
Partido Suid-Afrikaanse Party
Verenigde Party
Religião Calvinismo
Profissão Barrister

Marechal de campo Jan Christian Smuts PC, OM, CH, DTD, ED, KC, FRS (24 de maio de 1870 — 11 de setembro de 1950) foi um proeminente politico, líder miliar, filósofo e estadista sul-africano, influente na Commonwealth Britânica.[1] Exerceu vários cargos de liderança, mais notavelmente o de Primeiro-ministro da União da África do Sul de 1919 até 1924 e de 1939 até 1948. Apesar de Smuts inicialmente ter defendido a segregação racial e se oposto a emancipação dos negros sul-africanos, suas visões foram mudando e apoiou a Comissão Fagan, que afirmava que uma política de segregação racial total era inviável. Por isso, Smuts subsequentemente perderia a eleição de 1948 para um movimento de Afrikaners linha-dura que implementariam o apartheid. Ele continuou trabalhando pela reconciliação e enfatizava o papel positivo da Commonwealth Britânica até sua morte em 1950.[2]

Smuts foi um dos líderes bôeres rebeldes da Segunda Guerra dos Bôeres na região de Transvaal. Durante a Primeira Guerra Mundial, liderou tropas sul-africanas ao lado dos britânicos contra os alemães, capturando o Sudoeste Africano Alemão e comandando tropas na África Oriental.[3]

De 1917 a 1919, foi um dos membros do Gabinete Imperial de Guerra britânico e foi instrumental na fundação da Força Aérea Real (RAF). Ele se tornou Marechal de campo do exército britânico em 1941 e serviu sob Winston Churchill. Foi a única pessoa signatária dos tratados que encerraram a Primeira e Segunda Guerras Mundiais. Seu legado persiste até os dias atuais, se tornando um dos fundadores da África do Sul como nação e era conhecido como um diplomata, estadista e político habilidoso.[4]

Referências

  1. Root, Waverley (1952). «Jan Christiaan Smuts. 1870-1950». Biographical Memoirs of Fellows of the Royal Society. 8 (21): 271–73. JSTOR 768812. doi:10.1098/rsbm.1952.0017 
  2. «Jan Smuts – Britain's Greatest General – Online Exhibitions – National Army Museum, London». Consultado em 1 de setembro de 2018.. Arquivado do original em 2 de março de 2016 
  3. Cameron, Trewhella (1994). Jan Smuts: An Illustrated Biography. [S.l.]: Human & Rousseau. ISBN 978-0-798-13343-2 
  4. Ingham, Kenneth (1986). Jan Christian Smuts: The Conscience of a South African. [S.l.]: Palgrave Macmillan. ISBN 978-0-312-43997-2 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.