Jandaia-de-testa-vermelha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade (desde janeiro de 2016).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Como ler uma infocaixa de taxonomiaJandaia-de-testa-vermelha
Aratinga auricapilla no Zoológico de Wrocław, na Polônia

Aratinga auricapilla no Zoológico de Wrocław, na Polônia
Estado de conservação
Quase ameaçada
Quase ameaçada (IUCN 3.1)
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Aves
Ordem: Psittaciformes
Família: Psittacidae
Género: Aratinga
Espécie: A. auricapilla
Nome binomial
Aratinga auricapilla
(Kuhl, 1820)
Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Jandaia-de-testa-vermelha
Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Jandaia-de-testa-vermelha

Aratinga auricapilla (Kuhl), conhecido popularmente como jubacanga, ajurujubacanga[1] e jandaia-de-testa-vermelha, é uma ave psitacídea do Brasil.

Descrição[editar | editar código-fonte]

Verde-escura, somente com a parte anterior da cabeça e abdômen lavados de vermelho. Sofrem com a captura destinada ao comércio ilegal de animais silvestres. Não possuem diferenças externas aparentes entre machos e fêmeas.

Distribuição e habitat[editar | editar código-fonte]

Vive na beira da mata, habitando da Bahia ao norte do Paraná, Minas Gerais e sul de Goiás.

Dieta[editar | editar código-fonte]

Na natureza, comem sementes, castanhas e frutas. Em cativeiro, oferece-se ração comercial, frutas, legumes e vegetais (às vezes, pequenas quantidades de sementes).

Hábitos[editar | editar código-fonte]

Vivem em bandos grandes, compostos de 30 a 40 aves ou mais e dormem coletivamente em variados lugares. Os casais, no entanto, nidificam isoladamente em ocos de pau, paredões de pedra, e também embaixo de telhados de edificações humanas, o que ajuda muito na sua ocupação de espaços urbanos. Mantém-se discretos quando nidificam em habitações, chegando e saindo do ninho silenciosamente e esperando pousados em árvores até que possam voar para o ninho sem serem percebidos. Como a maior parte dos psitacídeos, não coletam materiais para a construção do ninho, colocando e chocando os ovos diretamente sobre o solo do local de nidificação. Podem botar de 3 a 4 ovos, com período de incubação de 24 dias.

Referências

  1. FERREIRA, A. B. H. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. Segunda edição. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986. p.991