Japanoise

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Japanoise, é uma palavra formada pela aglutinação das palavras "Japanese" e "Noise (Barulho)" e que consigna a cena de noise music do Japão.[1][2]


Japanoise
Merzbow, um dos artistas mais influentes do gênero.
Origens estilísticas Noise
Instrumentos típicos diversos instrumentos, incluindo eletrodomésticos, como aspiradores e rádio.
Popularidade baixa
Gêneros de fusão
Power Noise, Onkyokei

História[editar | editar código-fonte]

Nick Cain do The Wire afirma que Merzbow, Hijokaidan e Incapacitants são os maiores artistas da cena de Noise music desde 1990. Alguns artistas japoneses de Noise não aceitam serem rotulados e atribuídos ao Japanoise, e afirmam que o uso do termo ignora as diferenças musicais dos músicos que muitas vezes nem se conhecem ou seguem a mesma abordagem.

No dia 8 de maio de 1960, seis jovens músicos japoneses, incluindo Takehisa Kosugi e Yasunao Tone, formaram o grupo Ongaku com duas fitas gravadas de noise music: Automatism e Object. Essas gravações foram feitas tanto com a instrumentos musicais tradicionais quanto com sons do aspirador de pó, de rádios, barris de óleo, de uma boneca e de vários pratos sendo quebrados. Além disso, a velocidade que a fita foi gravada foi alterada, tendo os sons totalmente alterados e distorcidos. Entre o final dos anos 70 e o começo dos anos 80, Merzbow utilizou algumas faixas álbum de Lou Reed, Metal Machine Music como referência para inovar a estética do Japanoise utilizando a guitarra distorcida mono.[3]


De acordo com Paul Hegarty (2007), "De qualquer forma, com o crescimento das produções de músicas noise, principalmente no Japão, podemos finalmente chamar o Japanoise de gênero". Outras legiões de artistas de Japanoise como, Hijokaidan, Boredoms, C.C.C.C., Incapacitants, KK Null, Yamazaki Maso, Solmania, K2, The Gerogerigegege, Mayuko Hino, Ruins e Hanatarash contribuíram ainda mais para com seu desenvolvimento. [4]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «JAPANOISE AND TECHNOCULTURE». Duke University Press. 17 de julho de 2013: 169–197. ISBN 978-0-8223-9754-0. Consultado em 7 de março de 2021 
  2. Potts, Adam (2 de outubro de 2015). «The internal death of Japanoise». Journal for Cultural Research (4): 379–392. ISSN 1479-7585. doi:10.1080/14797585.2015.1065654. Consultado em 7 de março de 2021 
  3. «Japan Nakama | Japanoise: The Originators and Innovators». Japan Nakama (em inglês). 4 de julho de 2018. Consultado em 7 de março de 2021 
  4. Hegarty, Paul (25 de maio de 2016). «Noise». Oxford University Press. Oxford Music Online. Consultado em 7 de março de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]