Jaques Artur Munhoz

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Jacques Munhoz
Vice-Prefeito de Barueri
Período 01 de janeiro de 2005 á 31 de dezembro de 2008
Antecessor Waine Billafon
Sucessor Carlos Zicardi
Vereador por Barueri
Período 01 de janeiro de 1996 á 31 de dezembro de 2004
Secretário de Educação de Barueri
Período 01 de janeiro de 2013 à 31 de dezembro de 2016
Antecessor Celso Furlan
Sucessor Celso Furlan
Vice-Prefeito de Barueri
Período 01 de janeiro de 2013 á 31 de dezembro de 2016
Antecessor Carlos Zicardi
Sucessor José Roberto Piteri
Presidente da Câmara Municipal de Barueri
Período 01 de janeiro de 2001 à 31 de dezembro de 2002
Dados pessoais
Nascimento 16 de junho de 1960
Osasco,SP,Brasil
Cônjuge Giani Cristina de Souza
Partido PTB

Jacques Artur Munhoz (Osasco, 16 de junho de 1960), é um advogado e político brasileiro, ex-vice prefeito, da cidade brasileira de Barueri. Dr. Jaques, como é conhecido em Barueri,é casado com a também advogada Giane Cristina de Souza.

Vida pública[editar | editar código-fonte]

Jaques inciou na vida pública acompanhando seu pai Alcides Munhoz,[1] uma personalidade importantíssima da história barueriense. Em 1996,[2] resolve inciar sua vida pública, lançando-se candidato ao cargo de vereador na Câmara Municipal de Barueri,pelo PFL (atual Democratas),e logo em sua primeira eleição, Dr. Jaques, consegue uma das 19 cadeiras, no legislativo barueriense, sendo eleito com 1.256 votos.[3] De lá em diante Jaques foi consolidando seu nome no cenário político, sendo reeleito vereador nas eleições municipais de 2000, desta vez pelo PSB, com 3.686 votos,[4] e eleito por seus pares presidente da Câmara Municipal de Barueri, para o biênio 2001/2002.

Eleições 2004[editar | editar código-fonte]

O prestígio de Jaques, se tornou tão forte, que agora filiado ao PPS, recebe o convite do então ex-prefeito Rubens Furlan, para que fosse candidato a vice-prefeito em sua chapa, e os dois são eleitos para comandar a cidade pelos quatro anos seguintes.[5]

Eleições 2008[editar | editar código-fonte]

Após divergências políticas, com o então prefeito Rubens Furlan, nas eleições municipais de 2008, Jaques resolve lançar candidatura própria a prefeitura, filiado ao PDT, Jaques obtêm expressivos 41.525 (29,13%),[6] só que insuficientes para elege-lo, e Furlan acabam sendo reeleito.[7]

Antecedentes das Eleições 2012[editar | editar código-fonte]

Em meados de 2011,[8] Barueri assisti um racha político jamais visto em sua história, dois aliados com extrema força politica na região, o então Deputado Estadual Gil Arantes e o prefeito Rubens Furlan, se desentendem visando as eleições municipais de 2012.

Eleições 2012[editar | editar código-fonte]

Em uma eleição extremamente disputada, Furlan não podendo mais de reeleger lança seu vice, Carlos Zicardi,[9] como candidato a prefeitura e Gil Arantes se licencia do cargo de deputado estadual, e lança-se candidato,[10] convidando Dr.Jaques, agora filiado ao PTB, para ser seu candidato a vice-prefeito.

No pleito realizado em 07 de outubro de 2012, Gil Arantes e Dr. Jaques são eleitos respectivamente prefeito e vice-prefeito de Barueri,[11] para administrarem a cidade pelos próximos quatro anos, somando ainda além do cargo de vice-prefeito, Jaques foi nomeado pelo prefeito Gil Arantes, secretário de Educação.

Prefeito Interino[editar | editar código-fonte]

No dia 23 de fevereiro de 2015Tribunal de Justiça de São Paulo determinou  afastamento imediato do prefeito Gil Arantes por crimes de responsabilidade e lavagem de dinheiro.[12] Ele foi denunciado pelo Ministério Público de São Paulo 13 vezes por desvio de verba e 50 vezes por lavagem de dinheiro.

Imediatamente ao afastamento de Gil Arantes, Dr.Jaques foi notificado, e assumiu a prefeitura interinamente até 12 de março[13] quando, após decisão do Supremo Tribunal Federal, que considerou os motivos apontados pelo TJ/SP, para justificar o afastamento de Gil,eram superficiais, com isso Gil Arantes retornou ao cargo.[14]

Eleições 2016[editar | editar código-fonte]

Com a decisão de Gil Arantes de não concorrer mais a cargos públicos, Dr. Jaques resolve retornar a vereança, lançando-se candidato nas eleições municipais de 02 de outubro, pelo recém fundado PMB, só que dessa vez Jaques não consegue retornar ao cargo, obtendo inexpressivos 867 votos.[15]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Caramez, João (28 de setembro de 1996). «PROJETO DE LEI Nº 635, DE 2006». http://www.al.sp.gov.br. Consultado em 4 de junho de 2017 
  2. «Secretário de Educação - Jaques Artur Munhoz». Flickr. Consultado em 5 de junho de 2017 
  3. Comunicação, A2. «Fundação Seade». Fundação Seade. Consultado em 5 de junho de 2017 
  4. Comunicação, A2. «Fundação Seade». Fundação Seade. Consultado em 5 de junho de 2017 
  5. «PPS São Paulo - Rubens Furlan é eleito prefeito de Barueri pela terceira vez e declara sua paixão pela cidade». saopaulo.pps.org.br. Consultado em 5 de junho de 2017 
  6. «Dr Jaques (12/PDT) - Políticos do Brasil - UOL Notícias». noticias.uol.com.br. Consultado em 5 de junho de 2017 
  7. «Barueri Eleições 2008». Portal Barueri. 1 de abril de 2009 
  8. Max, Flávio (13 de novembro de 2011). «PT conversa com Gil Arantes sobre possível aliança». Partido dos Trabalhadores de Barueri. Consultado em 5 de junho de 2017 
  9. «CARLOS ZICARDI - Plano de Governo BARUERI SP – Candidatos a Prefeito em 2012». Política 2012 - Candidatos a Prefeito em 2012. 7 de maio de 2015 
  10. SnackTools. «Plano de Governo de Gil Arantes - Barueri para Todos ::..». FlipSnack (em inglês) 
  11. «Gil Arantes vence disputa pela prefeitura de Barueri no 1º turno». Eleições 2012 em São Paulo. 7 de outubro de 2012 
  12. «Acusado de 63 crimes, prefeito de Barueri deixa o cargo | VEJA.com». VEJA.com. 25 de fevereiro de 2015 
  13. «Gil Arantes deixa o cargo e o vice Jaques Munhoz assume prefeitura». Folha de Alphaville. 25 de fevereiro de 2015 
  14. «Após decisão do STF, Gil Arantes retorna à prefeitura». Folha de Alphaville. 15 de março de 2015 
  15. «Dr.jaques 35654 PMB (Vereador) Barueri - Guia Eleições 2016». Guia de Candidatos – Eleições 2016. Consultado em 5 de junho de 2017