Jardim Alvorada (Belo Horizonte)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde janeiro de 2010).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.
Jardim Alvorada

Jardim Montanhês

—  Bairro do Brasil  —
Município Belo Horizonte
Distritos
Área
 - Total 202.461 m2
População
 - Total 2,604 habitantes
Domicílios 741
Energia elétrica (%) 100
Água encanada (%) 100
Coleta de lixo (%) 100
Fonte: http://portalpbh.pbh.gov.br//Julho de 2011

Jardim Alvorada é um bairro localizado entre a região Noroeste e Região da Pampulha de Belo Horizonte. É cercado pelos bairros de Engenho Nogueira, Ouro Preto, Alípio de Melo, Castelo e São José. Localiza-se próximo às avenidas Pedro II e Tancredo Neves.

Informações gerais[editar | editar código-fonte]

Registrado como Bairro das Laranjeiras e conhecido como Jardim Alvorada. A idade exata do bairro é difícil de ser calculada, mas o seu boom de desenvolvimento ocorreu a partir da década de 1970.

Apesar de sua idade e proximidade com o centro da cidade este bairro não se desenvolveu tanto quanto o esperado, possui somente uma praça pública de difícil acesso, pois é necessário descer uma escada com mais de 70 degraus para acessar, o sistema de transporte coletivo é ineficiente e caro pelo que oferece ou seja, roda em apenas sete ruas no bairro pega a PII, vai para o centro (rua São Paulo, Caetés e Rio de Janeiro) com uma tarifa de R$ 3,70, o comércio não atende à população o que atrasa ainda mais o desenvolvimento do bairro, não tem banco, mas em 2014 passou a contar com serviços de uma casa lotérica na Rua Flor D'Água, o posto de saúde já foi um dos piores da região, mas depois de algumas reformas e ampliações, o posto começa a se tornar mais útil, humanitário e eficiente.

O bairro, apesar de seu atraso no desenvolvimento, deve se desenvolver muito nos próximos 10 anos, espera-se em uma valorização de mais de 100% isso se deve ao projeto vila viva da prefeitura, e a ajuda do PAC que está tirando a vila (favela) São José, para ligar as avenidas Pedro II e Tancredo neves, isso deve diminuir o congestionamento na Pedro II e no bairro. Onde atualmente se localiza a vila será uma ampla avenida, com bancos e shoppings, além da construção de uma estação BH Bus. (Em 2012 foi inaugurada a conexão pedro II e tancredo neves. A favela São José nao existe mais!)

Período Rural[editar | editar código-fonte]

Em 1934 foi criada pela Prefeitura uma Comissão Técnica Consultiva para definir prioridades visando melhor desenvolvimento da cidade. A abertura da Avenida Sanitária, atual Pedro II, na região noroeste, que viria a impulsionar a região, sobretudo, pela atividade comercial, foi uma das iniciativas aprovadas pela comissão.

Tempos depois, na década de 50 do século passado, administrações municipais também elaboraram vários planos de urbanização na tentativa de solucionar os problemas do tráfego intenso de automóveis na cidade decorrente do crescimento da capital. Entre 1959 e 1962, por exemplo, na gestão do prefeito Amintas Ferreira de Barros, foram realizadas várias obras como a implantação do Anel Rodoviário e a melhoria das principais vias ligando a região Noroeste com o centro da cidade, como as avenidas Pedro II e Catalão (atual avenida Presidente Carlos Luz).

Toda a região era antes essencialmente rural. A área onde estão localizadas estas vilas e os bairros do entorno, era uma enorme fazenda de propriedade da família Alípio de Melo. Mais tarde, por motivo de transmissão de herança, a área foi loteada de forma desordenada, com a propriedade desmembrada em várias partes que cada herdeiro administrou de sua própria forma.

A Vila Jardim Montanhês, juntamente com o bairro de mesmo nome, foi a primeira a surgir, nos anos 40. Era considerada a parte “ruim do bairro” e por causa das más condições de acesso os moradores chegavam às suas casas por uma imensa escadaria ou descendo perigosamente um barranco. O local também era conhecido por “curral”, pois segundo alguns moradores, quando o local ainda era fazenda, os currais estavam situados lá.

Antigamente a água era escassa e proveniente de cisternas; luz era de lampião; o acesso feito por trilhas estreitas e as casas ficavam longe umas das outras; e havia muito mato e gado solto no meio do pasto.

Contam os moradores que onde hoje se localiza a Vila São José, mais exatamente à beira do Córrego Pastinho, havia uma “prainha” cujas águas límpidas eram utilizadas pelos moradores do Jardim Montanhês para lazer, especialmente nos finais de semana. Próximo ao local onde hoje se localiza a Escola Estadual Ursulina Andrade Melo, havia uma bica na qual as lavadeiras iam para fazer seu trabalho, onde uma densa mata de eucaliptos cercava a região.

História[editar | editar código-fonte]

O Bairro Jardim Alvorada surgiu por volta de 1955. A implantação da linha de ônibus nº 10 facilitou o acesso a uma parte da antiga fazenda dos Alípio de Melo, dando origem ao Bairro Jardim Alvorada, que começou a ser ocupado pelo setor onde atualmente está localizado o Centro de Saúde.

A primeira entidade comunitária do Jardim Alvorada foi a Associação Estudantil de Melhoramentos do Progresso, fundada oficialmente em 14 de outubro de 1957, que teve como primeiro presidente o Sr. José Domiciano Rodrigues Pereira. A entidade teve origem na casa da Sra. Maria Águeda, conhecida por “Tia Águeda” devido ao Jardim de Infância que criou e no qual lecionava. A associação visava “uma aproximação confraternizadora, cooperando para o progresso, ilustração e defesa de todas as classes e promovendo o aperfeiçoamento moral, cultural e intelectual de seus associados”. Em 20 de agosto de 1978 passou a se chamar Associação Comunitária do Bairro Jardim Alvorada, nome posteriormente alterado, em julho de 1998, para Associação Comunitária do Bairro Jardim Alvorada, Manacás e Castelo.

Uma das conquistas da associação foi a construção da sede própria na rua Flor D’Água. Trata-se de uma grande área com boas instalações e parte ocupada pelo Centro de Saúde Jardim Alvorada. Os recursos para a construção em mutirão foram arrecadados na própria comunidade com a promoção de bailes, barraquinhas, festas, bingos, rifa e “discotecas” nas noites de sábado, quando estas estavam na moda.

A topografia do Jardim Alvorada é bastante acidentada, com registros, ao longo de anos, de acidentes de deslizamento de encostas, inclusive com mortes. Várias obras do Orçamento Participativo e da Urbel reduziram de forma significativa os problemas de risco na comunidade.

FONTE: Plano Global Específico (PGE) da Urbel - concluído em 2002

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Interessante sobre este bairro é que a maioria de suas ruas começa com a palavra "flor", como por exemplo Flor das Pedras, Flor da Viúva,Flor do Imperador, etc. Atenção não são nomes de flores, são nomes que começam com a palavra flor.

A vila são José que se localiza logo na entrada principal do Bairro esta sendo removida para ampliação das avenidas Pedro II, João XXIII e Tancredo Neves, as fotos a seguir mostram parte das mudanças, o antes e depois com obras atrasadas.

Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia de Minas Gerais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.